Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/33092
Título: Racionalidades, territorialidades e intersubjetividades: paralaxe para uma crítica às práticas de linguagem no cuidado em saúde
Título em inglês: Rationalities, territorialities and intersubjectivities: paralaxe for a critic on language practices in health care
Autor(es): Oliveira, Pedro Renan Santos de
Orientador(es): Lima, Aluísio Ferreira de
Palavras-chave: Práticas de Saúde
Cuidado
Saúde Mental
Atenção Primária
Psicologia Social
Health Practices
Care
Mental health
Primary attention
Social Psychology
Data do documento: 2018
Citação: Oliveira, P. R. S.de; Lima, A. F. de (2018)
Resumo: Para melhor delineamento do objeto de estudo, diante das problemáticas contemporâneas em que se situa o campo de pesquisa, o recorte presente neste trabalho diz respeito às formas de linguagem que organizam o cuidado no que denomino Atenção à Saúde baseada no Território, presentes nas atuais políticas públicas de saúde. Absorvi para o desenvolvimento desta tese as discussões sobre os processos de racionalização e das patologias da racionalidade moderna de Habermas, assim como sua virada linguística. Além disso, estabeleci diálogo com as acepções da linguagem absorvidas em Bakhtin e a virada espacial trazida através de Lefebvre, com apontamentos presentes em Milton Santos. Assim, o paradigma crítico foi expresso de modo multiteórico a partir da interface com diversas áreas do saber, como Psicologia, Sociologia, Filosofia e Geografia. Diante da amplitude temática, propus como objetivo geral entender como as formas de organização da linguagem instrumentalizam as práticas de cuidado em saúde na assistência de base territorial. Optei pela metodologia específica denominada práxica-reconstrutiva. Ao filiar-me às pesquisas qualitativas, busquei a reconstrução crítica compreensiva por meio dos processos de entendimento, que se produzem por meio da linguagem, e, ao mesmo tempo, de implicação do pesquisador com o campo compromissado com a mudança da realidade. O processo de construção das informações empíricas/matérias de campo se deu por triangulação vetorial metodológica, em que constaram: Vetor Narrativo (com entrevistas de narrativas de cuidado), Vetor Interacional (com círculos narrativos), Vetor Contextual (com as observações sistemáticas), Vetor Implicativo (com a oficina de território e saúde). O campo investigativo foi a Atenção Primária à Saúde (APS) e a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), tendo o município de Fortaleza como local da pesquisa e uma equipe multiprofissional de cada um desses serviços e a comunidade assistida como os participantes do estudo. As discussões foram divididas em dois eixos que sistematizaram as quatro grandes categorias analíticas do material qualitativo construído: “Racionalidade Sistêmica (Biomédica) e Racionalidade Mundana (Cuidadora)”, “Linguagem e Signos do Cuidado”, “Produção de Territorialidades” e “Paralaxe em Saúde”. Dos conteúdos discutidos a partir do material empírico na última parte da tese (Territórios Reconstrutivos), que articulavam os elementos teóricos de pano de fundo apontados nos quatro capítulos das duas primeiras partes da tese (Territórios Teóricos e Territórios Paralácticos), tomaram relevo o debate sobre as metáforas da cobertura e carência que permeiam as cenas diálogos no cuidado em saúde na APS e RAPS, respectivamente; também foram relevantes os debates sobre a distância entre as ações em saúde e as necessidades sociais que geram demandas aos serviços e profissionais de saúde e têm por efeito determinada organização do trabalho e efetivação de técnicas de cuidado; por fim, a paralaxe zizekiana auxiliou a compreender o intrincado mecanismo de significação dos corpos anátomo-fisiológicos como corpos sociais, expurgando determinadas dimensões e concepções do “político” da ação em saúde. Os conceitos propostos de “gênero do cuidado” e “esfera glocal da saúde”, respondentes à absorção da dimensão intersubjetiva e espaço-temporal, compõem um modelo de reconstrução do cuidado em direção à poiesis estética-política-dialógica da vida.
Abstract: Based on the contemporary problems in which this research is located, the research refers to the forms of language that organize care in what I call “Health Care based on the Territory”, present in the current public health policies. For the development of this thesis, I discussed the processes of rationalization and the pathologies of Habermas's modern rationality, as well as his linguistic turn. In addition, I established a dialogue with the meanings of language from Bakhtin and the space shift brought through Lefebvre, with notes present in Milton Santos. Thus, the critical paradigm was expressed in a multi-theoretical way from the interface with several areas of knowledge, such as Psychology, Sociology, Philosophy and Geography. Facing the thematic amplitude, I proposed as a general objective to understand how the forms of language organization instrumentalize health care practices in territorial based assistance. I opted for the specific methodology called “praxis-reconstructive”. By using qualitative research, I sought a comprehensive critical reconstruction through the processes of understanding that are produced through language and, at the same time, the implication of the researcher with the field committed to the change of reality. The process of constructing the empirical information/field material was done through a methodological vector triangulation, which included: Narrative Vector (with narratives interviews about care), Interactive Vector (with narrative circles), Contextual Vector (with systematic observations), and Implicative Vector (with the Territory and Health Workshop). The research area was Primary Health Care (in Portuguese, “Atenção Primária à Saude – APS”) and the Psychosocial Care Network (in Portuguese, “Rede de Atenção Psicossocial – RAPS”); Fortaleza city was the empirical field where the research took place, and a multi-professional team and the community assisted by each of these services were taken as participants of the empirical research. The discussions were divided into two axes that systematized the four major analytical categories of the qualitative material constructed: “Systemic (Biomedical) Rationality and Mundane Rationality (Caregiver)”, “Language and Signs of Care”, “Territorial Production” and “Paralaxis in Health”. From the contents discussed in the last part of the thesis (Reconstructive Territories), the debates about the metaphors of coverage and need that permeate the dialog scene in health care in APS and RAPS took place, respectively; the debates about the distance between health actions and the social needs that generate demands on health services and professionals were also relevant, and they have as an effect a certain way of organizing the work and carrying out care techniques; finally, Zizekian (Slavoj Žižek) parallax helped to understand the intricate meaning mechanism of anatomic-physiological bodies as social bodies, expurgating certain dimensions and conceptions of the “political” action in health. The proposed concepts of “care genre” and “glocal health sphere”, responding to the absorption of the intersubjective and spatio-temporal dimensions, constitute a model of the reconstruction of care towards the aesthetic-political-dialogic poiesis of life.
Descrição: OLIVEIRA, Pedro Renan Santos de. Racionalidades, territorialidades e intersubjetividades: paralaxe para uma crítica às práticas de linguagem no cuidado em saúde. 2018. 424f. Tese- Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Fortaleza (CE), 2018.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/33092
Aparece nas coleções:DPSI - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_tese_prsoliveira.pdf4,06 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.