Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3394
Título: Marias e Madalenas entre a violência e a lei: crimes contra mulheres pobres na Vila da Fortaleza e seu Termo(1790-1830)
Título em inglês: Marias et Madalenas et de la violence entre les Etats et le droit: les crimes contre les femmes dans le village pauvre de Fortaleza et sa durée (1790-1830)
Autor(es): Braga Júnior, Walter de Carvalho
Orientador(es): Rios, Kênia Sousa
Palavras-chave: Gênero
Genre
Crime contra as mulheres - Fortaleza(CE) - 1790-1830
Mulheres pobres - Maus-tratos - Fortaleza(CE) - 1790-1830
Discriminação - Fortaleza(CE) - 1790-1830
Fortaleza(CE) - Usos e costumes - 1790-1830
Violência
Criminalidade - Século XIX.
Violence
Criminalité - XIXe siècle.
Data do documento: 2010
Citação: Braga Júnior, W. C.; Rios, K. S. (2010)
Resumo: Este trabalho busca, através do estudo de documentos jurídicos do período Colonial, compreender o processo de banalização da violência contra a mulher. Analisamos os discursos construídos pelo Estado e a Igreja no sentido de construir modelos de masculinidade/feminilidade que se tornaram privilegiados neste período. A ênfase de nossa pesquisa se direciona às mulheres pobres devido principalmente à vulnerabilidade e visibilidade das classes mais baixas, embora percebamos que a violência perpassa todas as classes. As relações estabelecidas entre homens e mulheres, traduzidas como relações de poder dentro de uma sociedade escravista e patriarcal em que as categorias etnia, classe e gênero se entrecruzam criando uma rede de relações complexas, nos permitiram perceber as práticas discursivas que, se não naturalizam a violência contra as mulheres pobres, pelo menos confere aos agressores um olhar de indulgência conquanto seus atos não extrapolem os limites prezados pela sociedade. O estudo estatístico e a análise quantitativa dos crimes levaram-nos a compreender a lógica das relações interpessoais no período, cujo elemento comum é o emprego da violência, seja como resolução de conflitos seja como sistema coercitivo. A análise qualitativa dos processos possibilitou uma aproximação do cotidiano de homens e mulheres envolvidos em crimes e que se encontravam imersos em uma realidade cujas práticas estavam sujeitas ao discurso jurídico e que teve como consequência a brutal hierarquização das relações de gênero em um nível de dependência e submissão femininas que definiu um modelo de feminilidade, mas não impediu que diversas mulheres rompessem com esta lógica, subvertendo a ordem e pondo em xeque os privilégios do patriarcado.
Descrição: JÚNIOR, Walter de Carvalho Braga. Marias e Madalenas entre a violência e a lei: crimes contra mulheres pobres na Vila da Fortaleza e seu termo (1790-1830). 2010. 141f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Ceará, Departamento de História, Programa de Pós-Graduação em História Social, Fortaleza-CE, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3394
Aparece nas coleções:PPGH - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_dis_wcbjunior.pdf3,07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.