Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3437
Título: A tradição Intelectual do Romance Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá, de Lima Barreto
Título em inglês: The Intellectual Tradition in the Novel Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá, Lima Barreto
Autor(es): Pontes, Deysiane Farias
Orientador(es): Oliveira, Irenísia Torres de
Palavras-chave: Literatura Brasileira
Barreto,Lima,1881-1922.Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá - Crítica e Interpretação
Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá - Personagens
Literatura e Filosofia
Influência(Literária, artística,etc.)
Trabalhadores na Literatura
Rio de Janeiro(RJ) - História - Séc.XIX
Rio de Janeiro(RJ) - Vida Intelectual - Séc.XIX
Ficção brasileira - Aspectos Sociais
Data do documento: 2009
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: PONTES, D. F. ; OLIVEIRA, I. T. (2009)
Resumo: Esta pesquisa pretende estudar a tradição intelectual presente no romance Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá, de Lima Barreto, publicado em 1919. Essa narrativa apresenta-se como a biografia de Gonzaga de Sá, de família tradicional, amanuense, dedicado ao estudo das mais diversas formas do conhecimento. O biógrafo e narrador-personagem, Augusto Machado, é um jovem mulato, amigo de Gonzaga. No entanto, a biografia não se estrutura como as demais: o que mais importa não são os fatos da vida pessoal, mas a vida intelectual e os conflitos do protagonista. A tradição intelectual funciona como a herança deixada por Gonzaga de Sá para Augusto Machado. O narrador escreve a biografia como quem organiza um inventário intelectual. Como método de estudo, dividimos as referências presente nessa obra em: filosóficas, históricas e literárias. No primeiro capítulo, analisamos a tradição filosófica, representada por Francis Bacon, Arthur Schopenhauer, Jean-Jacques Rousseau e Friedrich Nietzsche. Reflete-se, entre outras coisas, sobre a possibilidade de ação no mundo, tema recorrente na obra de Lima Barreto. No segundo capítulo, estudamos as reflexões sobre a história e a memória da cidade, a situação política da Primeira República Brasileira e as teorias sobre os trabalhadores. No último capítulo, abordamos a tradição literária de Vida e Morte..., composta pelos escritores do cânone ocidental, como Dostoiévski, Tólstoi, George Eliot, entre outros. Dessa forma, percebe-se que a tradição intelectual de Vida e Morte... representa a formação do intelectual brasileiro, os principais questionamentos do começo do Séc. XX e o inconformismo das personagens ao analisarem a realidade brasileira e as referências do pensamento ocidental.
Abstract: This research aims to study the intellectual tradition in the novel Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá, Lima Barreto, published in 1919. This narrative is presented as Gonzaga de Sá’s biography, from a traditional family, clerk, dedicated to the study of different forms of knowledge. The biographer and narrator-character, Augusto Machado, is a young mulatto, Gonzaga’s friend. However, the biography is not structured like the others: what most matters is not the personal life facts, but the protagonist’s intellectual life and conflicts. The intellectual tradition functions as the legacy left by Gonzaga de Sá to Augusto Machado. The narrator writes the biography as one who organizes an intellectual inventory. As the study method, we divided the intellectual tradition in this work into: philosophical, historical and literary. In the first chapter, we analyze the philosophical tradition, represented by Francis Bacon ,Arthur Schopenhauer, Jean-Jacques Rousseau and Friedrich Nietzsche. It is reflected, among other things, about the possibility of action in the world, a recurring theme in Lima Barreto’s work. In the second chapter, we studied the reflections on the history and the memory of the city, the political situation of the First Brazilian Republic and the theories about the workers. In the last chapter, we discuss the literary tradition in Vida e Morte… composed by the writers in the Western canon. Thus, it is noticed that the intellectual tradition in Vida e Morte... represents the formation of the Brazilian intellectual, the main questions from the early twentieth century and the characters’ nonconformity when demonstrating critical ability on the reflections that combine facts from Brazilian reality and the Western intellectual thought.
Descrição: PONTES, Deysiane Farias. A tradição intelectual do romance Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá, de Lima Barreto. 2009. 113f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Literatura, Programa de Pós-Graduação em Letras, Fortaleza-CE, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3437
Aparece nas coleções:PPGLE- Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_DIS_DFPONTES.pdf808,23 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.