Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/34589
Title in Portuguese: Cartilha educativa virtual sobre prevenção da violência sexual: promoção da saúde de pessoas cegas
Title: Virtual educational primer on prevention of sexual violence: promoting the health of blind people
Author: Marques, Juliana Freitas
Advisor(s): Pagliuca, Lorita Marlena Freitag
Keywords: Pessoas com Deficiência Visual
Delitos Sexuais
Tecnologia Educacional
Issue Date: 18-Dec-2017
Citation: MARQUES, J. F. Cartilha educativa virtual sobre prevenção da violência sexual: promoção da saúde de pessoas cegas. 2017. 144 f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.
Abstract in Portuguese: A deficiência visual é considerada um fator de risco para violência sexual, pois a vítima deficiente pode não conseguir identificar o agressor, tornando-se mais vulnerável. Na perspectiva de promover a saúde da pessoa cega e prevenir a violência sexual, destacam-se as tecnologias assistivas, consideradas estratégias que visam orientar não só o sujeito cego, mas também os profissionais de saúde, visto que a maioria dos serviços, seja ele de baixa, média ou alta densidade tecnológica, ainda possui grande dificuldade de acesso e acolhimento ao cego, acarretando condições desfavoráveis a efetivação da promoção da saúde. Objetivou-se construir e validar cartilha educativa acessível ao cego sobre prevenção da violência sexual. Delineou-se estudo metodológico, realizado em quatro etapas. Na primeira etapa foi realizada construção do conteúdo sobre prevenção da violência sexual, por meio de revisão integrativa da literatura que analisou a produção científica sobre as estratégias de promoção da saúde para prevenção da violência sexual. Utilizou-se os descritores Violência Sexual e Promoção da Saúde/ Sexual Violence and Health Promotion, para buscas nas bases de dados LILACS, PUBMED, ScIELO e CINAHL. Ainda nesta etapa, realizaram-se encontros com os cegos utilizando a técnica de grupo focal (GF). Os encontros aconteceram em instituição de ensino para cegos da cidade de Fortaleza, Ceará. Os dados emergidos do GF foram analisados conforme técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin. A segunda etapa da pesquisa validou o conteúdo construído com nove especialistas em violência sexual. A avaliação dos especialistas foi analisada por meio do Índice de Validade de Conteúdo (IVC) e Alfa de Cronbach. A cartilha educativa virtual foi construída seguindo as normas e padrões de acessibilidade para web. A quarta e última etapa realizou teste piloto com 22 cegos para validar aparência da cartilha. Utilizou-se Questionário de Avaliação de Tecnologia Assistiva (QUATA) e os dados foram analisados por meio do programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 22.0, tendo-se utilizado o teste x2 de Pearson na análise das variáveis. O projeto de pesquisa aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal do Ceará, com parecer com Nº 1.403.815. A análise do grupo focal evidenciou que os cegos conheciam a violência sexual, mas não compreendiam as formas de prevenção. O conteúdo construído foi validado, apresentando IVC acima de 0,83 na maioria dos itens avaliados. A cartilha foi construída considerando os padrões de acessibilidade para web, trazendo menu, com os links que direcionam para o conteúdo específico. Depois de construída, foi considerada validada pelo público-alvo, em que a maioria dos itens obteve avaliação adequada pelos cegos. Não houve significância estatística na maioria dos itens correlacionados, podendo inferir que não há diferença na acessibilidade da cartilha entre os diferentes grupos de cegos. Entretanto, a variável idade apresentou significância estatística nos itens que avaliam o estímulo à aprendizagem de novos conteúdos (p= 0,036) e estímulo para mudança de comportamento (p = 0,036). Conclui-se que a cartilha educativa virtual construída nos padrões de acessibilidade para pessoas cegas é um meio válido de informações obre a prevenção da violência sexual.
Abstract: Visual impairment is considered a risk factor for sexual violence, as the disabled victim may not be able to identify the abuser, making them more vulnerable. In the perspective of promoting the health of the blind person and preventing sexual violence, we highlight the assistive technologies, considered as strategies that aim not only at the blind subject, but also at health professionals, since most of the services are from low, medium or high technological density, still has great difficulty of access and reception to the blind, leading to unfavorable conditions to the effectiveness of health promotion. Objective was to build and validate an educational primer accessible to the blind on the prevention of sexual violence. A methodological study was carried out in four stages. The first stage involved the construction of content on the prevention of sexual violence, through an integrative review of the literature that analyzed the scientific production on health promotion strategies for the prevention of sexual violence. We used the descriptors Sexual Violence and Health Promotion / Sexual Violence and Health Promotion, for searching the LILACS, PUBMED, ScIELO and CINAHL databases. Still in this stage, blind meetings were performed using the focal group technique (GF). The meetings took place in a teaching institution for the blind in the city of Fortaleza, Ceará. Data emerged from the GF were analyzed according to the technique of content analysis proposed by Bardin. The second stage of the research validated the content constructed with 9 specialists in sexual violence. The judges' assessment was analyzed using the Content Validity Index (CVI) and Cronbach's Alpha. The virtual educational primer was built following the norms and standards of accessibility for the web. The fourth and last stage performed a pilot test with 22 blinds to validate the appearance of the booklet. An Assistive Technology Assessment Questionnaire (QUATA) was used and the data were analyzed through the Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) version 22.0, using Pearson's x2 test in the variables analysis. The research project approved by the Ethics and Research Committee of the Federal University of Ceará, with seems favorable n.º. 1.403.815. The focus group analysis showed that the blind were aware of sexual violence but did not understand the forms of prevention. The content constructed presenting IVC above 0.83 in most of the evaluated items. The booklet was built considering web accessibility standards, bringing the menu, with the links that lead to the specific content. Once constructed, it was considered validated by the target public, in which most of the items obtained adequate evaluation by the blind. There was no statistical significance in most of the correlated items, and it can be inferred that there is no difference in the accessibility of the booklet among the different blind groups. However, in the age variable presented statistical significance in the items that evaluate the stimulus to learning new contents (p = 0.036) and stimulus for behavior change (p = 0.036). Concluded that the virtual educational booklet built on accessibility standards for blind people is a viable means of information on the prevention of sexual violence.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/34589
Appears in Collections:DENF - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2017_tese_jfmarques.pdf2,39 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.