Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3488
Título: Piratarias de gênero: experimentos estéticos queer-copyleft
Título em inglês: Gender piracies: queer-copyleft aesthetical experiments
Autor(es): MÉLLO, Ricardo Pimentel
GALINDO, Dolores
Palavras-chave: Queer
Copyleft
Piratarias
Gênero
Piracies
Gender
Copylef
Pirataries
Género
Data do documento: 2010
Editor: Psico = http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/issue
Citação: MÉLLO, R. P. ; GALINDO, D. (2010)
Resumo: Neste ensaio exploramos a noção de piratarias de gênero, tendo como lócus de nossas reflexões experimentos estéticos que aliam os ativismos queer e copyleft. Na medida em que, nas sociedades ocidentais deste início de século, as dinâmicas de gênero encontram-se fortemente marcadas por códigos tecnobionormativos (conhecimentos, artefatos e tecnologias regulados por leis de propriedade intelectual e tecnológica) torna-se possível o encontro entre ativismos que, em princípio, não possuíam uma plataforma comum de ação. Algumas piratarias que discutimos estão próximas da expertise dos hackers, outras simplesmente navegam à deriva. Mas, em ambos os casos, as piratarias questionam princípios de propriedade intelectual e tecnológica que se encontram presentes nas dinâmicas de gênero contemporâneas.
Abstract: In this essay, we discuss the notion of gender piracy basing our thinking on the aesthetics of queer activism and copyleft licensing movement. By the way that in the western societies, since the beginning of the century, the gender identities and relations are strongly guided by biotech-normative codes (knowledge, artifacts, and technologies ruled by laws of intellectual property), it became possible the mix among activisms that otherwise would not share a common ground. Some gender piracies exhibit the same expertise of the hackers that work their skills in the contemporary arts and performance. Other piracy acts, just go with the flow of the daily events. But in both cases, the pirates overturn the principles of intellectual and technological properties that are mixed with the contemporary gender relations.
Resumo em espanhol: En este ensayo se aborda la noción de piraterías del género en experimentaciones estéticas que combinan los activismos queer y el copyleft. El hecho de que en las sociedades occidentales, de principios de este siglo, las dinámicas del género se quedan enredadas a códigos tecnobionormativos (conocimientos, artefactos y tecnologías gobernadas por las leyes de la propiedad intelectual y de la tecnología) hace que sea posible la convergencia entre activismos que no poseían un eje común de acción. Algunas de las piraterías del género son cercanas a la actividad de los hackers, otras navegan a la deriva en el cotidiano, pero las dos subvierten principios de propiedad intelectual y de la tecnología que forman parte de las dinámicas del género en la contemporaneidad.
Descrição: MÉLLO, Ricardo Pimentel; GALINDO, Dolores. Piratarias de gênero: experimentos estéticos queer-copyleft. Psico, Porto Alegre, v. 41, n. 2, p. 239-245, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3488
ISSN: 0103-5371 impresso
1980-8623 on-line
Aparece nas coleções:DPSI - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_Art_RPMelloDGalindo.pdf313,83 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.