Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3515
Título: Articulação hipotálica adverbial e argumentação: uma análise do uso das orações concessivas em artigos de opinião e editoriais
Título em inglês: Hypotatic clauses and argumentation: an investigation of use concessive hypotatic clauses in articles and editorials
Autor(es): Bezerra, Cleide Alves Ribeiro
Orientador(es): Nogueira, Márcia Teixeira
Palavras-chave: Gramática de uso
Oração Concessiva
Argumentação
Análise do Discurso
Análise Lingüística
Funcionalismo (Lingüística)
Editoriais – Brasil
Grammar of Using
Concessive Subordinate Clause
Argumentation
Data do documento: 2006
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: Bezerra, C. A. R.; Nogueira, M. T. (2006)
Resumo: O presente trabalho investiga o uso da articulação hipotática adverbial concessiva na construção da argumentação. Com base nos pressupostos funcionalistas, analisamos, de um modo integrado, os aspectos sintáticos, textual-semânticos e textual-discursivos associados ao uso da oração concessiva na construção da argumentação em artigos de opinião e editoriais. Verificamos que os aspectos sintáticos da articulação da oração concessiva estão relacionados aos aspectos pragmáticos. Dessa forma, a posição da oração concessiva (anteposição, posposição e intercalação) reflete a maneira como o falante decide organizar seu discurso em virtude do propósito comunicativo; portanto, está ligada às funções discursivas a que se presta. Assim, verificamos que, nos artigos de opinião e editoriais, a diferença na freqüência do uso da anteposição e da posposição não foi significativa. Em nossa investigação, alguns conectores tendem a introduzir orações concessivas antepostas é o caso de apesar de e por mais/menos que, enquanto outros tendem a introduzir orações concessivas pospostas é o caso de mesmo que. A conjunção embora apareceu, no corpus em análise, com a mesma freqüência em orações antepostas e pospostas. Quanto aos aspectos textual-semânticos, percebemos que, da articulação das orações ditas concessivas, além da inferência de concessão, emergem também outras inferências, tais como condição e inclusão. A partir de uma análise pautada nos domínios de interpretação propostos por Sweetser (1999), constatamos que, nos gêneros em estudo, a maioria das ocorrências permite leitura no domínio epistêmico, mas há um número significativo de ocorrências com a possibilidade de leitura no domínio de conteúdo, provavelmente porque os gêneros jornalísticos abordam acontecimentos, fatos sociais. Com relação ao tipo de oração concessiva, verificamos que, no corpus em análise, predominam as do tipo factual. Ao investigarmos os aspectos textual-discursivos, percebemos que, de uma maneira geral, as orações concessivas são usadas como fundo da oração nuclear e que, quando pospostas, geralmente constituem uma avaliação ou um adendo à oração nuclear; enquanto as antepostas e as intercaladas funcionam como tópico/guia para a informação núcleo ou como fator de coesão discursiva. Quanto ao papel argumentativo da oração concessiva em artigos de opinião e editoriais, percebemos que esta representa uma relevante estratégia por meio da qual o autor, pressupondo uma objeção por parte do leitor, declara que tal objeção não impedirá nem modificará o conteúdo expresso na oração nuclear.
Abstract: The aim of this work is to investigate the usage of concessive hypotatic clauses involved in the construction of argumentation. Based on functional theories, we analyzed the syntactic aspects, the textual-discursive aspects and the textual-semantic aspects that are associated to the usage of the concessive subordinate clause involved in the construction of argumentation in newspaper articles and editorials. We observed that the syntactic aspects of concessive subordinate clause are related to the pragmatic aspects. Thus the concessive subordinate clause position (before or after main clause or embedded clause) shows the way a speaker decides to organize her utterance due to communication purposes; hence it is connected to discursive functions. We observed that in newspaper articles and editorials, the concessive clause position before or after main clause is not relevant. Our investigation shows that few conjunctions tend to introduce concessive subordinate clause before main clause, for instance apesar de and por mais/menos que, whereas other concessive conjunctions tend to introduce subordinate clause after main clause, for example mesmo que. In the corpus, the conjunction embora is as frequent in concessive clauses before main clause as in concessive clauses after main clauses. As regards the textual-semantic aspects, we observed, besides the concessive inferences, other inferences such as condition and inclusion inferences. In an analysis based on the interpretation domains proposed by Sweetser (1999), we found, in newspaper articles and editorials, that the greater number of examples allows an interpretation in the epistemic domain, but there is a meaningful number of examples that lead to a possible interpretation in the content domain, probably this is due to the fact that newspapers genres are related to social happenings and facts. Regarding concessive clause types we observed, in the corpus analyzed, that the factual concessive clauses predominate. When we verified the textual-discursive aspects, we observed, that concessive subordinate clauses are used as main clause background and when they are placed after main clause they often represent an evaluation or an addendum to main clause, whereas concessive clause before main clause and embedded concessive clause work as a topic to a nuclear information or as a way to attain discursive cohesion. As regards the argumentative role of concessive clause in newspaper articles and editorials, we observed concessive subordinate clause represents an important strategy; through concessive clause, the author presupposes an objection on the part of the reader and he declares that the objection does not hinder the content expressed in the main clause.
Descrição: BEZERRA, Cleide Alves Ribeiro. Articulação hipotálica adverbial e argumentação: uma análise do uso das orações concessivas em artigos de opinião e editoriais. 2006. 110f. Dissertação (Mestrado em Linguistica) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Letras Vernaculas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza-CE, 2006.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3515
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_dis_carbezerra.pdf650,66 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.