Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36545
Title in Portuguese: Antibacterianos β-lactâmicos e vancomicina como agentes potenciadores do crescimento e virulência de candida spp.
Author: Evangelista, Antônio José de Jesus
Advisor(s): Cordeiro, Rossana de Aguiar
Keywords: Antibacterianos
Vancomicina
Candida
Biofilmes
Caenorhabditis elegans
Issue Date: 18-Jun-2018
Citation: EVANGELISTA, A. J. J. Antibacterianos β-lactâmicos e vancomicina como agentes potenciadores do crescimento e virulência de candida spp. 2018. 102 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, 2018.
Abstract in Portuguese: A antibioticoterapia prolongada pode alterar a composição da microbiota das mucosas, aumentando o risco de surgimento de infecções oportunistas em pacientes imunocomprometidos. Ademais, o uso de antibacterianos de amplo espectro pode interferir na relação de Candida com bactérias da microbiota favorecendo o estabelecimento de coinfecções que, por vezes, estão associadas ao surgimento de biofilmes. Nesse contexto, investigou-se o efeito de antibacterianos β-lactâmicos e vancomicina sobre o crescimento planctônico e virulência de Candida spp., bem como a ação de cefepime e amoxicilina e extratos de biofilme de Escherichia coli ATCC 25922 tratados com cefepime ou amoxicilina sobre o biofilme produzido por C. albicans ATCC 10231. Para tanto, foram utilizados os antibacterianos β-lactâmicos cefepime, imipenem, meropenem e amoxicilina e o glicopeptídeo vancomicina. Os antibacterianos foram testados nas concentrações correspondentes ao pico plasmático e duas vezes o pico plasmático de cada um, para o crescimento planctônico e, na concentração de pico plasmático para os testes com biofilme. Inicialmente, investigou-se o efeito dos antibacterianos sobre o crescimento planctônico de C. albicans ATCC 10231, C. parapsilosis ATCC 22019, C. krusei ATCC 6258 e C. tropicalis CEMM 03-6-070 por meio de contagem de Unidades Formadoras de Colônia por mL (UFC/mL) e citometria de fluxo. Além disso, foi analisado o efeito dos antibacterianos sobre a produção de fatores de virulência in vitro (atividade proteolítica e fosfolipídica) bem como sobre a virulência in vivo das estirpes de Candida spp. usando Caenorhabditis elegans como modelo. Por fim, investigou-se o efeito de cefepime e amoxicilina e de extratos de biofilme de E. coli ATCC 25922 tratados com os antibacterianos citados sobre o biofilme de C. albicans ATCC 10231 formado em placas de poliestireno. Foram analisadas a produção de biomassa dos biofilmes (coloração por cristal violeta), atividade metabólica (redução do XTT), contagem de células viáveis (UFC/mL), ultraestrutura dos biofilmes (microscopia eletrônica de varredura), determinação do biovolume e espessura (microscopia confocal), atividade proteolítica das células sésseis (azoalbumina como substrato), quantificação de carboidratos e proteínas (coloração com calcoflúor-white, vermelho do Congo, safranina e SYPRO® Ruby), composição da matriz (espectrometria de massas) e tolerância a antifúngicos (anfotericina B, fluconazol, itraconazol, voriconazol e caspofungina). Os resultados revelaram que os antibacterianos β-lactâmicos e vancomicina estimulam o crescimento planctônico e a atividade proteolítica, sem modificar a atividade fosfolipídica de Candida spp. Além disso, a vancomicina diante C. parapsilosis e amoxicilina face à C. tropicalis alteram o volume celular. Ademais, amoxicilina potencializa a virulência in vivo de C. krusei e C. tropicalis frente à C. elegans. Adicionalmente, amoxicilina e cefepime intensificam a produção de biofilme por C. albicans estimulando a produção de biomassa, atividade metabólica, contagem de células viáveis, biovolume, espessura, atividade proteolítica e quantificação de carboidratos dos biofilmes produzidos. Ainda, amoxicilina altera a composição da matriz do biofilme induzindo a síntese de Hsp70, em comparação ao controle. Porém, os extratos de biofilme de E. coli tratados com cefepime ou amoxicilina não interferem na produção de biofilme de C. albicans, quando comparado com os antibacterianos testados isoladamente. Por fim, a adição de amoxicilina torna o biofilme de C. albicans mais tolerante à caspofungina. Portanto, conclui-se que antibacterianos β-lactâmicos e vancomicina estimulam o crescimento planctônico e virulência de Candida spp. Além disso, cefepime e amoxicilina potencializam a produção de biofilme por C. albicans, além de a amoxicilina proporcionar aumento da tolerância do biofilme de C. albicans à caspofungina. Dessa maneira, essas descobertas podem ter impacto direto na fisiopatologia das infecções fúngicas invasivas em pacientes em risco.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/36545
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:DMC - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_tese_ajjevangelista.pdf3,76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.