Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37698
Title in Portuguese: Amamentação na primeira hora de vida e sua manutenção ao final do primeiro mês
Author: Rios, Francisca Nádia Forte
Advisor(s): Damasceno, Ana Kelve de Castro
Co-advisor(s): Pinheiro, Sabrina Magalhães Pedrosa Rocha
Keywords: Aleitamento Materno
Enfermagem
Issue Date: 2018
Citation: RIOS, F. N. F. Amamentação na primeira hora de vida e sua manutenção ao final do primeiro mês. 2018. 49 f. Monografia (Graduação em Enfermagem) – Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
Abstract in Portuguese: O estudo objetivou avaliar a influência da amamentação na primeira hora de vida e a manutenção do aleitamento materno ao final do primeiro mês da criança. Trata-se de um estudo descritivo, longitudinal prospectivo com abordagem quantitativa. Foi desenvolvido no alojamento conjunto de uma maternidade de ensino associada à Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) e posteriormente através de ligação telefônica. A amostra do estudo foi de 107 binômios mãe-filho. A coleta de dados ocorreu nos meses de abril a junho de 2018, após aprovação do comitê de ética da instituição, com o número do parecer 2.627.891. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva. Foram coletadas informações através de um questionário, ainda na maternidade, acerca dos aspectos sociodemográficos e obstétricos, e após 7 dias e 30 dias de vida da criança através de ligação telefônica sobre problemas mamários, uso de bicos artificiais, visitas domiciliares e a continuidade do aleitamento materno. Os resultados mostraram que a idade das puérperas variou entre 18 e 34 anos (88,8%). A maioria procedente da capital (80,4%). Predominou a escolaridade acima de 9 anos de estudo (68,2%). Prevaleceu as puérperas com renda mensal de até um salário mínimo (61,7%) e sem emprego (68,2%). A maioria referiu ter companheiro (67,3%). 59,8% eram multíparas e 57% tiveram parto vaginal. Ademais 64 mulheres receberam orientação no pré-natal sobre amamentação ainda na sala de parto. No que concerne aos problemas mamários, a maioria das lactantes apresentaram fissuras mamilares (48,6%) seguido de ingurgitamento mamário (32,7%). Ao que se refere ao uso de bicos artificiais, 42,1% e 33,6% das crianças já estavam fazendo uso de chupeta e mamadeira, respectivamente, ao final do primeiro mês de vida. Apenas 19 puérperas receberam visita do enfermeiro, e 47 receberam do agente comunitário de saúde. Ao término dos primeiros 30 dias após o parto, 97,2% das mulheres ainda estavam amamentando. Concluiu-se que a taxa de mulheres que desmamaram precocemente foi baixa, apesar de que muitas apresentaram fatores dificultadores ao aleitamento materno adequado. É importante ressaltar a relevância da relação mais próxima do enfermeiro com o binômio mãe-filho, através de visitas domiciliares, para que o processo da amamentação seja cumprido como preconizado.
Abstract: The objective of this study was to evaluate the influence of the breastfeeding in the first hour of life and the mainteining of breastfeeding in the end of the first month of the child. This is a descriptive, longitudinal prospective and quantitative study. It was developed in joint accommodation belonging to a school maternity associated to Baby‐Friendly Hospital Initiative and after through phone call. The study had a sample of 107 mother-child binomial. The data collection took place between the months of April to June 2018, after approval of the ethics committee of the institution, with the number of opinion 2.627.891. Data were analyzed through descriptive statistics. Informations were collected with the use of a questionnaire, still in the maternity, about sociodemographic and obstetrical aspects, and after 7 days and 30 days of child’s life through phone call about nipple problems, use of artificial teats, home visits and the breastfeeding continuing. The results showed that the age of the women ranged from 18 and 34 years old (88,8%). The majority came from the capital (80,4%). Predominant schooling was higher than 9 years (68,2%). Prevailed the mothers with monthly income of up to minimum wage (61,7%) and without a job (68,2%). The majority had a partner (67,3%). 59,8% were multiparas and 57% had a vaginal delivery. In addition 64 women received guidance in prenatal about breastfeeding still in the delivery room. About nipple problems, the most of nursing mothers had nipple fissures (48,6%) followed by breast engorgement (32,7%). Regarding artificial teats, 42,1% and 33,6% of children were using pacifiers and bottle feeding, respectively, in the end of first month of life. Only 19 women received nurse’s visit, and 47 received community healthy agent’s visit. In the end of the first 30 days after delivery, 97,2% of women still were breastfeeding. It was concluded that the rate of women who weaned prematurely was low, although many of them had impediments to the right breastfeeding. It’s important to point out the importance of the closer relationship between nurse and mother-child binomial, across home visits, to breastfeeding process be carried out as recommended.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/37698
metadata.dc.type: TCC
Appears in Collections:ENFERMAGEM - Monografias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_tcc_fnfrios.pdf676,17 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.