Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/38276
Title in Portuguese: A relação professor-aluno e suas implicações na aprendizagem
Author: Cunha, Ana Maria da Silva
Keywords: Relação professor-aluno
Processo ensino-aprendizagem
Homem-ser social
Issue Date: 2003
Citation: CUNHA, Ana Maria da Silva. A relação professor-aluno e suas implicações na aprendizagem. 2003. 48.- TCC ( Monografia) -Universidade Federal do Ceará, Centro de Treinamento e Desenvolvimento, Especialização Planejamento do Ensino e Avaliação da Aprendizagem, Fortaleza (CE), 2003.
Abstract in Portuguese: O presente documento monográfico visa apresentar resultados da pesquisa bibliográfica desenvolvida acerca da temática da relação professor-aluno e suas implicações na aprendizagem. O primeiro capítulo fundamenta-se em três teorias (Comportamentalismo, Psicologia Genética de Jean Piaget e Sócio-construtivismo de Lev Semenovich Vygotsky). No segundo capítulo analisa-se a contribuição dos enfoques mais recorrentes no estudo da relação professo-aluno, especificamente à temática abordada neste trabalho. O capitulo III apresenta o impacto das relações professo-aluno no processo de aprendizagem. Este trabalho, sem pretensão de esgotar conteúdos e estudos relativos às implicações da relação professo-aluno no processo de aprendizagem, busca contribuir para o melhor entendimento das conseqüências que tais relações têm no processo de ensinar e aprender. O homem, ser essencialmente social, configura-se como sujeito a partir das relações interpessoais que estabelece com outros sujeitos nos mais diferentes contextos. No âmbito de seu convívio social, relaciona-se com diferentes sujeitos/grupos segundo necessidades interpessoais específicas, as quais compreendem necessidades de inclusão, de controle e de afeição. A educação, enquanto prática social específica, também é desenvolvida mediante tais relações e, marcadamente no âmbito escolar, o relacionamento professor-aluno assume papel fundamental no processo de ensino-aprendizagem, o qual depende fundamentalmente da complexa rede de interações que se configura entre professor e aluno. Dessa forma, o ritmo da aprendizagem por parte dos alunos está intimamente ligado a elementos que dependem diretamente da maneira como se processa a relação professor-aluno em sala de aula e inclusive fora desta. Por sua vez, o processo de ensino-aprendizagem tem seu entendimento auxiliado pelas diferentes teorias da aprendizagem, segundo enfoques que concebem o desenvolvimento humano como desde um acúmulo de aprendizagens (teoria comportamentalista) a uma construção própria a partir de elementos/estímulos do ambiente (teoria genética e teoria sócio-construtivista). As teorias da aprendizagem têm especial importância na explicação do “como” do processo de aprendizagem, seja na ênfase dada ao comportamento, ao desnível existente entre o sujeito cognoscente e o objeto cognoscível ou à simultaneidade e complementariedade entre desenvolvimento e aprendizagem. Entretanto, 8 tais teorias, tomadas isoladamente, não são suficientes para a compreensão do processamento do aprender, dada a complexidade do mesmo. Faz-se necessário, também, considerar a maneira como professor e aluno interagem e relacionam-se entre si, de maneira a proporcionar um aprendizado (que nem sempre ocorre intencionalmente, conforme objetivos planejados). Em outras palavras, as relações estabelecidas entre professor e aluno possibilitam a concretização/objetivação dos processos cognitivos estudados pelas teorias da aprendizagem. Assim, ainda que haja divergências acerca de qual enfoque (psicanalítico, político-filosófico ou psicológico-interacionista), seu estudo mais aprofundado contribui sobremaneira para o entendimento de como ocorre a aprendizagem a partir dos fenômenos relacionais entre professor e aluno. Diante do contexto social atual, no qual os índices de violência – inclusive na escola – aumentam vertiginosamente, associados à desestruturação e fragmentação crescentes da família, a relação professor-aluno ganha ainda mais destaque na medida em que a escola e seus docentes são “convidados” a preencher lacunas afetivo-emocionais e sociais que os alunos trazem de lares inseridos na sociedade que passa por uma crise de valores sem precedentes. Assim, a qualidade das relações interpessoais, especificamente a que ocorre entre professor e aluno, determina em grande parte o grau de profundidade da educação promovida no espaço escolar.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/38276
metadata.dc.type: TCC
Appears in Collections:EAPEAA - Monografias

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2003_tcc_amscunha.pdf287,75 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.