Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/38803
Title in Portuguese: Morbidade mental materna e desenvolvimento de síndromes psiquiátricas na primeira infância
Author: Ferraz, Izabel Ester Inácio
Advisor(s): Leite, Álvaro Jorge Madeiro
Keywords: Psiquiatria Infantil
Transtornos Mentais
Depressão
Relações Mãe-Filho
Issue Date: 3-Dec-2018
Citation: FERRAZ, I. E. I. Morbidade mental materna e desenvolvimento de síndromes psiquiátricas na primeira infância. 2018. 80 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde da Mulher e da Criança) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
Abstract in Portuguese: Introdução: A depressão materna traduz-se por tristeza prolongada e sentimento de desesperança e está associada a práticas parentais menos engajadas e estimuladoras, e a problemas sociais e cognitivos nas crianças pequenas desde os primeiros meses de vida e ao longo dos anos pré-escolares. Objetivos: 1. Identificar a prevalência de síndromes psiquiátricas na primeira infância em uma amostra de crianças de uma organização não governamental; 2. Verificar a associação entre morbidade mental materna e problemas de saúde mental na primeira infância.Métodos:A pesquisa foi realizada com uma amostra representativa de mães cujos filhos são acompanhados no Instituto da Primeira Infância (IPREDE) e tinham idade entre um ano e seis meses e cinco anos. Foram avaliados dois grupos: filhos de mães com sintomas depressivos e filhos de mães sem sintomas depressivos. Estagiários aplicaram, para as mães, o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, formulário sociodemográfico, a escala Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20), utilizada para avaliar a presença de sinais de humor e pensamentos depressivos nas mães entrevistadas, e o Inventário dos Comportamentos de Crianças entre 1½-5 anos, versão para pais (CBCL –Child Behavior Checklist), para avaliar a presença de sinais de morbidade psiquiátrica em seus filhos. Principais resultados: Das 257 mães entrevistadas, 95 (37%) tiveram SRQ positivo (escore global). Entre essas, 53 (55,8%) têm filhos com CBCL clínico e 42 (44,2%) têm filhos com CBCL normal na classificação geral (p< 0,001). Das 257 mães entrevistadas, 162 (63%) tiveram SRQ negativo. Entre essas, 47 (29%) têm filhos com CBCL clínico e 115 (71%) têm filhos com CBCL normal na classificação geral(p < 0,001). Portanto, mães com SRQ positivo têm 3,08 vezes mais chances de ter filhos com CBCL clínico para a classificação geral em comparação a mães com SRQ negativo (RP=3,08/ IC 95%=1,82 a 5,23). Conclusão:Sintomas depressivos maternos impactam negativamente na saúde mental de crianças na primeira infância.
Abstract: Introduction: Maternal depression translates into prolonged sadness and a sense of hopelessness, and is associated with less engaged and stimulating parental practices and social and cognitive problems in young children from the first months of life and throughout the preschool years. Objectives: 1. To identify the prevalence of psychiatric syndromes in early infancy in a sample of children from a non-governmental organization; 2. To verify the association between maternal mental morbidity and mental health problems in early childhood. Methods: The study was carried out with a representative sample of mothers whose children are followed at the Institute of Early Childhood (IPREDE) and were aged between one year and six months and five years. Two groups were evaluated: children of mothers with depressive symptoms and children of mothers without depressive symptoms. Trainees applied, for the mothers, the Term of Free and Informed Consent, sociodemographic form, the Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20), used to assess the presence of mood swings and depressive thoughts in the interviewed mothers, and the Child BehaviorChecklist for ages 1½-5, to assess the presence of signs of psychiatric morbidity in their children. Main results: Of the 257 mothers interviewed, 95 (37%) had SRQ positive (overall score). Of these, 53 (55.8%) had children with clinical CBCL and 42 (44.2%) had children with normal CBCL in the general classification (p <0.001). Of the 257 mothers interviewed, 162 (63%) had negative SRQ. Of these, 47 (29%) had children with clinical CBCL and 115 (71%) had children with normal CBCL in the general classification (p <0.001). Therefore, mothers with positive SRQ are 3.08 times more likely to have children with clinical CBCL for the overall rating compared to mothers with negative SRQ (PR = 3.08 / 95% CI = 1.82 to 5.23). Conclusion: Maternal depressive symptoms have a negative impact on the mental health of infants.
Description: FERRAZ, I. E. I. Morbidade mental materna e desenvolvimento de síndromes psiquiátricas na primeira infância. 2018 80 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde da Mulher e da Criança) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/38803
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:MPSMC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_ieiferraz.pdf1,19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.