Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/40491
Title in Portuguese: Avaliação da glutationa como dessensibilizante após clareamento dentário com peróxido de hidrogênio: estudos in vitro e clínico randomizado
Author: Nojosa, Jacqueline de Santiago
Advisor(s): Mendonça, Juliano Sartori
Keywords: Clareamento Dental
Glutationa
Cor
Sensibilidade da Dentina
Issue Date: 31-Jan-2019
Citation: NOJOSA, J. S. Avaliação da glutationa como dessensibilizante após clareamento dentário com peróxido de hidrogênio: estudos in vitro e clínico randomizado. 2019. 95 f. Tese (Doutorado em Odontologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.
Abstract in Portuguese: O clareamento dentário pode desencadear um processo de sensibilidade dentária ocasionada pela diminuição drástica da glutationa intracelular. Este estudo foi apresentado em dois capítulos, cujos objetivos foram: Capítulo 1) Avaliar in vitro o efeito da glutationa no clareamento dentário caseiro com peróxido de hidrogênio a 7,5% sobre as propriedades das superfícies de esmalte e dentina, bem como analisar a eficácia do clareamento; e Capítulo 2) Avaliar o risco absoluto, a intensidade da sensibilidade dentária, a alteração de cor e o grau de satisfação dos participantes após o clareamento caseiro associado à glutationa como um dessensibilizante. No Capítulo 1, os espécimes foram obtidos a partir de sessenta e seis dentes humanos e aleatoriamente divididos em seis grupos: CONTROLE (sem tratamento), CLAREADO (apenas clareamento dentário), KF2 (Desensibilize KF 2%®, FGM, Joinville, Santa Catarina), CONT-EXP (sem dessensibilizante), GLUTA5 (glutationa a 5%) e GLUTA10 (glutationa a 10%). Os espécimes foram clareados por 14 ou 21 dias, dependendo do teste, com um gel de clareamento caseiro à base de peróxido de hidrogênio a 7,5% durante 1h e aplicação de um agente dessensibilizante por 10 min diariamente. As propriedades das superfícies das amostras foram determinadas por microdureza Knoop (n=5) e pela análise da composição mineral dos substratos (Espectroscopia Raman) (n=1). A alteração da cor dentária (n=5) foi avaliada com um espectrofotômetro portátil antes e após os tratamentos. Para análise estatística da microdureza e da alteração da cor foram realizados os testes ANOVA para medidas repetidas two-way e Holm-Sidak (α=0,05), enquanto os dados do Raman foram analisados por estimativa qualitativa. Todos os grupos submetidos ao clareamento apresentaram redução significativa da microdureza em relação ao CONTROLE. No grupo KF2, não foi possível realizar as medições das indentações. A composição mineral dos grupos com glutationa demonstrou redução na intensidade do pico de fosfato e aumento do carbonato quando comparado ao controle. Os grupos clareados apresentaram ΔE significativamente maior do que o grupo controle (p<0,05) e conseguiram estabilizar a cor após dois meses de acompanhamento. Concluiu-se que o uso da glutationa após o clareamento caseiro alterou os picos de fosfato e carbonato, no entanto não modificou a microdureza, nem a eficácia do clareamento ou a estabilidade de cor. No Capítulo 2, sessenta participantes com canino superior direito com cor C2 ou mais escuro foram selecionados e distribuídos aleatoriamente em três grupos (n=20): PLACEBO (sem dessensibilizante), KF2 (Desensibilize KF 2%®, FGM, Joinville, Santa Catarina) e GLUTA10 (glutationa a 10%). Os dentes foram clareados de 14 a 21 dias, dependendo do grau de satisfação, com um gel de clareamento à base de peróxido de hidrogênio a 7,5% durante 1h, seguindo-se uma aplicação de um agente dessensibilizante por 10 min diariamente. A sensibilidade dentária foi registrada durante 14 dias de clareamento com uma escala numérica de classificação de quatro pontos (NRS) e uma escala analógica visual (VAS) de 0-10. A alteração da cor foi avaliada nos dentes 11 e 13 pelo método objetivo (Espectrofotômetro Vita Easyshade) no início do estudo, seguindo-se avaliações de acompanhamento (após 1 dia, 15 dias e 2 meses do término do procedimento clareador). O grau de satisfação foi questionado aos participantes após 14 dias de clareamento, de acordo com a escala 0-3. Para análise estatística, o risco absoluto de sensibilidade dentária foi comparado usando teste de independência G. A intensidade de sensibilidade dentária e o grau de satisfação do participante foram analisados usando Kruskal-Wallis. A alteração da cor foi testada usando os testes ANOVA para medidas repetidas two-way e Holm-Sidak (α=0,05). Nenhuma diferença significativa foi observada no risco absoluto (p=0,5703) e na intensidade de sensibilidade dentária entre os grupos (p>0,05). Em todos os grupos houve uma estabilidade de cor até o final do estudo, exceto os grupos placebo e com glutationa a 10% (p<0,05), que, após dois meses de acompanhamento, não estabilizaram os incisivos. Além disso, o grau de satisfação não foi estatisticamente significante entre os grupos (p=0,4101). Clinicamente, a glutationa não reduziu o risco absoluto e a intensidade da sensibilidade dentária, no entanto não interferiu na alteração de cor e no grau de satisfação do participante.
Abstract: Dental bleaching can trigger a process of tooth sensitivity caused by the drastic decrease of intracellular glutathione. This study was presented in two chapters, whose objectives were: Chapter 1) To evaluate in vitro the effect of glutathione after at-home dental bleaching with 7.5% hydrogen peroxide on the enamel and dentin surfaces properties, as well as to assess the tooth bleaching effectiveness; and Chapter 2) To evaluate absolute risk, intensity of tooth sensitivity, color change, and degree of participant satisfaction after at-home bleaching performed associated with glutathione as a desensitizer. In the Chapter 1, the specimens were obtained from sixty-six human teeth and randomly divided into six groups: CONTROL (without treatment), BLEACH (only dental bleaching), KF2 (Desensibilize KF 2%®, FGM, Joinville, Santa Catarina), CONT-EXP (no desensitizing), GLUTA5 (5% glutathione), and GLUTA10 (10% glutathione). Specimens were bleached for 14-21 days, depending on the test, with a 7.5% hydrogen peroxide-based experimental bleaching gel for 1 h, and a desensitizing agent was applied on the dental substrate per day for 10 min. Specimens surfaces properties were determined by Knoop microhardness (n=5), and analyzed the mineral composition of the substrates (Raman spectroscopy) (n=1). Color change (n=5) was evaluated with a portable spectrophotometer before and after treatments. For statistical analysis of microhardness and color change was performed the two-way repeated measures ANOVA and Holm-Sidak test (α=0.05), while the Raman data was analyzed by qualitative estimation. All bleached groups showed a significant reduction of microhardness in relation to the control. In the commercial group, it was not possible to perform indentation measurement. The mineral composition of GLUTA5 and GLUTA10 groups demonstrated a reduction in the intensity of the phosphate peak and an increase of the carbonate when compared to the control. The bleached groups showed a significantly higher ΔE than did the control group (p<0.05) and had the color stabilized after two months of follow-up. The conclusion was that the use of glutathione after at-home tooth bleaching altered phosphate and carbonate peaks, there was no change neither in the microhardness, nor in the bleaching efficacy or in the color stability. In the Chapter 2, sixty participants with right maxillary canine of color C2 or darker were selected and randomly distributed in three groups (n=20): PLACEBO (no desensitizing), KF2 (5% potassium nitrate and 2% sodium fluoride), and GLUTA10 (10% glutathione). Teeth were bleached for 14-21 days, depending on the degree of satisfaction, for 1h with a 7.5% hydrogen peroxide-based experimental bleaching gel, and a desensitizing agent was applied on teeth per day for 10 min.Tooth sensitivity was recorded for 14 days of bleaching with a four-point numeric rating scale (NRS) and a 0-10 visual analog scale (VAS). The color change was evaluated in the teeth 11 and 13 by objective method (Vita Easyshade Spectrophotometer) at baseline and follow-up evaluations (after 1 day, 15 days, and 2 months of the bleaching procedure completion). The degree of satisfaction was questioned after 14 days of bleaching according to a 0-3 scale. For statistical analysis, the absolute risk of tooth sensitivity was compared using the G-test of independence. Intensity of tooth sensitivity and degree of participant satisfaction were analyzed using Kruskal-Wallis. The color change was tested using the two-way repeated measures ANOVA and the Holm-Sidak test (α=0.05). No significant difference was observed in the risks (p=0.5703) and intensity of tooth sensitivity between groups (p>0.05). The groups showed a color stability up to the end of the study, except the incisors in placebo and 10% glutathione groups (p<0.05), that had not stabilized after two months of follow-up. Also, the degree of satisfaction was not significantly different between the groups (p=0.4101). Clinically, the glutathione was not efficient to reduce tooth sensitivity after at-home dental bleaching with 7.5% hydrogen peroxide; however, glutathione did not interfere in the color change and the degree of participant satisfaction.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/40491
Appears in Collections:DCOD - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_tese_jsnojosa.pdf1,32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.