Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/41009
Title in Portuguese: Viva a Cidade : A qualidade do espaço público, à luz da modelagem da informação
Author: Filipe, Sílvia Marina Dias
Advisor(s): Farias Filho, José Almir
Co-advisor(s): Cardoso, Daniel Ribeiro
Keywords: Qualidade do Espaço Urbano.
City Information Modeling (CIM)
Sintaxe Espacial
Modelagem Paramétrica
Morfologia Urbana
Issue Date: Apr-2019
Publisher: UFC
Citation: FILIPE, S. M.D. Viva a Cidade : A qualidade do espaço público, à luz da modelagem da informação.Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo e Design, Fortaleza, 2019. 129 f. : il. color.
Abstract in Portuguese: O espaço público é o sustentáculo para a diversidade urbana, onde a qualidade do espaço público valoriza a sua aptidão como suporte da cidadania. Porém, não existe consenso do que é um “espaço público de qualidade”. Acrescente-se que uma nova perspectiva teórica e operacional surgiu com o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), ao mudar comportamentos e formas de utilização e apropriação da cidade. Então, como identificar a qualidade dos espaços públicos para essa sociedade urbana em constante mutação? A presente pesquisa surge das inquietações sobre o papel e a responsabilidade social dos profissionais que analisam os problemas decorrentes da apropriação desigual e casuística do espaço público. Ela tem por objetivo auxiliar a pensar a influência da modelagem da informação no processo de planejamento e gestão do espaço público, através do desenvolvimento de um procedimento metodológico formalizado num protótipo computacional, que permite aferir a qualidade do espaço público, através de indicadores e parâmetros elencados na literatura. Este método designa-se por City Information Modeling (CIM), e associa um Sistema de Informação Geográfica (SIG) com ferramentas paramétricas, possibilitando a simulação de cenários e sua respectiva avaliação. No estudo do tema são identificados parâmetros e indicadores operacionais, passíveis de serem inter-relacionados, correlacionados e ponderados, e capazes de lidar, de modo coerente, com o quadro de problemas e de dinâmicas multidisciplinares presentes em espaços públicos situados em frentes de água (waterfronts). A metodologia adotada parte da definição de um macroindicador vivacidade que se desdobra em outros indicadores: densidade, diversidade, conectividade e acessibilidade. Esta escolha encontra respaldo no conceito de “capital espacial”, de Lars Marcus (2007), que aponta um valor ou um padrão de qualidade da forma urbana correlacionado à aferição de indicadores de acessibilidade, densidade e diversidade. Para a análise do indicador densidade faz-se uso do método spacematrix desenvolvido por Berghauser Pont e Haupt (2009), a teoria da sintaxe espacial de Hillier e Hanson (1984) é utilizada para análise dos indicadores de acessibilidade e conectividade, enquanto que o indicador diversidade é traduzido pelo nível de qualidade do plinth (a cidade ao nível dos olhos) e a sua análise realizada através dos usos do solo. O protótipo computacional permite calcular indicadores de densidade (spacematrix), dos quais se destaca o índice de espaço livre público e o indicador de conectividade da sintaxe espacial, através do mapa de permeabilidade da rua. Os resultados apontam que apesar do predomínio da habitação multifamiliar, é um território dotado de diversidade de atividades econômicas, com destaque para a hotelaria e restauração. Também se verifica que embora se trate de uma área bastante privilegiada pela abundância de espaços livres públicos, também se pauta pela quantidade de espaços livres privados, devido à predominância da tipologia “condomínio fechado”, que influencia a malha urbana, tanto na percepção da amplitude do espaço livre, como no skyline da cidade.
Abstract: Public space is the backbone for urban diversity, as it serves as a stage for public life. Therefore, the quality of public space is a support for citizenship. However, there is a lack of consensus on what a "quality public space" is. Furthermore, a new theoretical and operational perspective has arisen with the modern-day use of Information and Communications Technologies (ICT), which has been changing our behavior and, consequently, the way we use and appropriate the city. How can we, in this way, identify the quality of public spaces for this urban society in constant mutation? This present research arises from the existing restlessness about the role and social responsibility of the professionals that analyze the serious issues that come from the unequal and caustic appropriation of public space. Its aim is to help to think about the influence of information modelling in the processes of public and collective space planning and management, through the development of a methodological process with a computational prototype, which allows the gauging of the quality of a public space, through indicators, parameters and variables listed in the literature. This method is called City Information Modeling (CIM), which associates a Geographic Information System (GIS) with parametrical tools, allowing for the simulation of different scenarios and their respective evaluation. A set of operational parameters and indicators are identified, with the aptitude of being interrelated, correlated and pondered, and capable of dealing, in a coherent way, with the frame of multidisciplinary issues and dynamics which exist in public spaces located by the water (waterfronts). The elected methodology starts from the definition of liveliness, macro-indicator that unfolds in other indicators: density, diversity, connectivity and accessibility. This choice is supported by the concept of "spatial capital", from Lars Marcus (2007), which indicates an urban space value or quality pattern, correlating the measurement of accessibility, density and diversity indicators. This make use spacematrix method developed by Berghauser Pont and Haupt (2009) to analyze density indicator, the theory of space syntax Hillier & Hanson (1984) is used to analyze the accessibility and connectivity indicators, while the diversity indicator, set by the quality of the plinth (the ground floor building façades, the city at eyelevel), is analyzed by land uses. With the computational prototype, it was possible to calculate density indicators (spacematrix), highlighting the open space ratio, and space syntax connectivity indicator, thru a street permeability map. The results indicate that, despite the predominance of multifamily housing, it is a territory endowed with a diversity of economic activities, especially hotels and restaurants. It is also verified that although it is an area very privileged by the abundance of public spaces, it is also guided by the amount of private free spaces, due to the predominance of the typology "closed condominium", that influences the urban network, both in the perception of free space amplitude of, as in the city skyline.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/41009
Appears in Collections:DAU - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_dis_smdFilipe.pdf4,26 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.