Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4145
Título: Incidência de reações adeversas a medicamentos em hospital de ensino no nordeste do Brasil
Título em inglês: Adverse drug reaction events in teaching hospital of northeast Brazil
Autor(es): Gomes, Adriana Parente
Orientador(es): Coelho, Helena Lutéscia Luna
Palavras-chave: Farmacovigilância
Toxicidade de Drogas
Data do documento: 2004
Citação: GOMES, A. P. (2004)
Resumo: Reações adversas a medicamentos - RAM constituem causa de morbi-mortalidade em pacientes hospitalizados, põem em risco a vida do paciente e representam aumento no tempo de internação e nos custos hospitalares. OBJETIVOS: Determinar a incidência de reações adversas a medicamentos no Hospital Universitário Walter Cantídio - HUWC, investigar quais os fatores que podem estar associados a esses eventos e propôr medidas de prevenção ou redução do impacto negativo dessas reações. MÉTODOS: Estudo observacional, analítico, prospectivo, com monitorização intensiva de pacientes, determinação da incidência acumulada de RAM e avaliação exploratória de seus determinantes. Eram incluídos no estudo, todos os pacientes internados nas clínicas médicas do HUWC, de 01 de setembro de 2000 a 28 de fevereiro de 2001, os quais foram acompanhados desde o momento da internação até a alta hospitalar ou óbito, para a detecção e acompanhamento de reações adversas. Foram realizadas visitas diárias às clínicas médicas do HUWC, registrando os medicamentos utilizados e investigação sobre a ocorrência de RAM. Os casos em que os pacientes apresentavam RAM eram avaliados seguindo a metodologia recomendada pela Organização Mundial de Saúde. As reações eram classificadas conforme imputabilidade, gravidade e tipo. Os medicamentos foram classificados de acordo com o Anatomical-Therapeutical-Chemical – ATC, Classification Index e as reações adversas através do WHO-ART também recomendado pela Organização Mundial da Saúde. RESULTADOS: Foram internados nas clínicas médicas do HUWC um total de 970 pacientes destes, 54% eram mulheres e 46% homens, com idade variando de 9 meses a 97 anos. Todos os pacientes fizeram uso de medicamentos durante a internação, variando de 1 a 20 medicamentos/paciente. Os grupos de medicamentos mais utilizados, (1 nível ATC) foram medicamentos que atuam no sistema nervoso central (19,0%), medicamentos que atuam sobre o trato alimentar e metabolismo (17,0%), medicamentos que atuam no sistema cardiovascular (16,7%). Do total, oito (0,8%) tiveram como diagnóstico de internação alguma reação adversa a medicamento. Durante o período do estudo foram verificadas 30 novas ocorrências de RAM em pacientes hospitalizados. As manifestações das reações adversas compreendiam principalmente afecções da pele (65,0%) e distúrbios do estado geral (25,0%). Quanto à gravidade, as reações foram na sua maioria classificadas como moderadas (79,0%), seguidas das reações leves (19,0%). A relação de causalidade foi considerada provável em 58,0% dos casos e definida em 24,5%. Os grupos farmacológicos mais envolvidos foram antibióticos de uso sistêmico (66,4%), seguido por medicamentos que atuam no sistema nervoso (7,7%), antineoplásicos e agentes imunomoduladores (7,7%). A incidência de RAM entre os pacientes hospitalizados não está associada ao sexo nem à idade. O número de dias de internação interferiu na ocorrência de RAM. CONCLUSÃO: Foram identificadas ocorrências de reações adversas como causa de internação e durante a internação hospitalar. Todos os pacientes admitidos com RAM apresentaram manifestações dermatológicas. Os antibióticos, principalmente a cefalotina, foram os medicamentos mais envolvidos com a ocorrência de RAM em pacientes internados.
Abstract: Adverse drug reactions (ADR) constitute cause of morbidity in hospitalized patients, represent a risk for patients and an increase in the period patients stay in hospitals and the costs. OBJECTIVES: To determine the incidence of adverse drug reactions in the Walter Cantídio University Hospital (WCUH), investigate what factors may be associated with these events and propose measures to prevent or reduce the negative impact of those reactions. METHODS: An observational, analytical, and prospective study, with intensive monitoring of patients, analysis of the cumulative incidence of ADR and an exploratory evaluation of its determinants. The study included all inpatients in the medical clinics of WCUH from September 1st, 2000 to February 28th 2001, which were assisted from admission until discharge or death, to detection and monitoring of adverse reaction. Daily calls were made to the clinics WCUH in order to register the use of drugs and the occurrence of ADR. Cases in which patients had ADRs were assessed according to the methodology proposed by the World Health Organization. The reactions were classified based on liability, severity and type. Drugs were classified according to the Anatomical-Therapeutical-Chemical (ATC), Classification Index and adverse reactions through the WHO-ART also recommended by the World Health Organization. RESULTS: 970 patients were admitted to the medical clinics of HUWC. Of those, 54% were women and 46% were men, ranging in age from 09 months to 97 years. All patients received medication during hospitalization, ranging from 1 to 20 drugs / patient. The most commonly used drug groups (1st level ATC) are drugs that act on central nervous system (19.0%), drugs that act on the digestive tract and metabolism (17.0%), and drugs that act on the cardiovascular system (16.7%). Of the total, in eight (8%) the diagnosis for admission was an adverse reaction to medication. During the study, 30 new cases of ADRs in inpatients were registered. The results of adverse reactions comprised mainly skin disorders (65.0%) and general disturbances (25.0%). About gravity, the reactions were mostly classified as moderate (79.0%), followed by mild reactions (19.0%). The relation of causality was considered probable in 58.0% of cases and set at 24.5%. Most involved pharmacological groups were antibiotics for systemic use (66.4%), followed by drugs that act on the nervous system (7.7%), antineoplastic and immunomodulating agents (7.7%). The incidence of ADR among inpatients is not associated with age or gender. The number of days of hospital admission interfered with the occurrence of RAM. CONCLUSION: Adverse reactions as cause of admission were identified. All inpatients with ADRs have skin manifestations. Antibiotics, especially cephalosporins, were drugs commonly involved with the occurrence of ADRs in inpatients.
Descrição: GOMES, Adriana Parente. Incidência de reações adversas a medicamentos em hospital de ensino no nordeste do Brasil. 2004. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2004.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4145
Aparece nas coleções:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2004_dis_apgomes.pdf976,74 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.