Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4195
Título: Ação antibacteriana antifúngica e antiparasitária de veneno de serpentes do gênero Bothrops e suas frações fosfolipase A2 e L-Aminoácido oxidase
Título em inglês: Antibacterial, antifungal and antiparasitary action of Bothrops venoms and their fractions phospholipase A2 and L-aminoacid oxidase
Autor(es): Torres, Alba Fabiola Costa
Orientador(es): Martins , Alice Maria Costa
Palavras-chave: Fosfolipases A2
Venenos de Serpentes
Data do documento: 2009
Citação: TORRES, A. F. C. (2009)
Resumo: Os venenos de serpentes contem substâncias biologicamente ativas, primariamente consistindo de proteínas (90-95%). Algumas delas apresentam atividade enzimática como as fosfolipases A2 e L-aminoácido oxidase. O presente estudo verificou a ação dos venenos de Bothrops leucurus (BleuVT) e Bothrops marajoensis (BmarVT), e suas frações PLA2 (BleuPLA2 e BmarPLA2) e LAAO (BleuLAAO e BmarLAAO) sobre cepas de bactéria, C. albicans, Leishmania sp e T. cruzi, bem com sua toxicidade sobre macrófagos murinos. A susceptibilidade das cepas bacterianas e fúngica foi analisada através do método de difusão em ágar, para determinação do potencial antimicrobiano; e microdiluição em caldo, para determinação da CIM e CLM, com modificações. A atividade antiparasitária foi avaliada através do tratamento das culturas de parasitos com diferentes concentrações dos venenos ou de suas frações. As formas promastigotas de Leishmania sp. foram cultivadas, durante 72h, em meio NNN/Schneider a 28ºC; e as formas epimastigotas de T. cruzi foram cultivadas em meio LIT, durante 5 dias, a 28ºC. Os macrófagos foram cultivados em meio RPMI 1640, em presença de diferentes concentrações dos venenos e frações, durante 24h, e submetidos ao ensaio com MTT. Os resultados foram estatisticamente analisados através do teste t ou ANOVA seguida do teste Bonferroni, quando apropriado, com p<0.05. A BmarLAAO foi capaz de inibir o crescimento bacteriano do Gram-negativo P. aeruginosa, da levedura C. albicans e do Gram-positivo S. aureus; e o BleuTV inibiu o crescimento de S. aureus, sendo a inibição dose-dependente. A ordem de susceptibilidade dos microorganismos testados com BmarLAAO foi S. aureus > C. albicans > P. aeruginosa. Por outro lado o BmarTV, BmarPLA2, BleuPLA2 e BleuLAAO não apresentaram nenhum grau de inibição sobre as cepas em estudo. O potencial inibitório foi mais significante sobre S. aureus apresentando CIM= 50µg/mL e CLM=200µg/mL para BmarLAAO, e CIM=CLM=25µg/mL para BleuTV. Em concentrações maiores que 1.56µg/mL a BmarLAAO foi capaz de inibir o crescimento de formas promastigotas de L. chagasi e L.amazonensis, sendo os valores de IC50, após 72h de cultivo, para L. amazonenis, 2.55µg/mL e 2.86 µg/mL para L. chagasi. BmarTV e BleuTV também apresentaram significante inibição sobre o crescimento parasitário, sendo os valores de IC50 86.56 µg/mL para L. amazonensis e 79.02µg/mL para L. chagasi, quando tratado com BmarTV; e 5.49µg/mL para L. amazonensis e 1.94µg/mL para L. chagasi, quando tratado com BleuTV. Os venenos e BmarLAAO mostraram efeito inibitório sobre formas epimastigotas de T. cruzi. Os valores de IC50 para BleuTV, BmarTV e BmarLAAO foram, respectivamente, 1.14µg/mL, 24.19µg/mL e 0.89µg/mL. As frações BmarPLA2, BleuPLA2 e BleuLAAO não foram capazes de promover nenhum efeito inibitório sobre os parasitos em estudo. O BmarLAAO , BmarTV e BleuTV apresentaram baixa toxicidade sobre macrófagos nas concentrações estudadas. Em conclusão, os veneno de B. leucurus e de B. marajoensis, bem como a L-aminoácido oxidase de Bothrops marajoensis mostraram ser capazes de interferir no crescimento de diferentes microorganismos como S.aureus, C. albicans, P. aeruginosa, Leishmania sp. e T. cruzi.
Abstract: Snakes venoms contain biologically active substances primarily consisting of proteins (90-95%). Some of these present enzymatic activities, such as phospholipases A2 and the L-amino acid oxidases. In this study we verify the action of Bothrops leucurus (BleuTV) and Bothrops marajoensis (BmarTV) venoms, and fractions PLA2 (BleuPLA2 and BmarPLA2) and LAAO (BleuLAAO and BmarLAAO) on strains of bacteria, yeast, Leishmania sp and T. cruzi. The susceptibility of bacterial and yeast strains was analyzed through disc-diffusion assay, for determination of antimicrobial potential; and the microdilution method, for determination of MIC and MLC, with modifications. The antiparasitic activity was evaluated through of the culture treatment of parasites with different concentrations of venoms or their fractions. The forms promastigotes of Leishmania sp. had been cultived, during 72h, in NNN/Schneider media, 28ºC; and the forms epimastigotes of T. cruzi had been cultived in LIT media, during 5d, 28ºC. The macrophages were cultured in RPMI 1640 media, during 24h, 37ºC and 5% of CO2, with different concentrations of venoms or fractions. After, they were analyzed by MTT method. The results was statistically analyzed with t test or ANOVA followed the Bonferroni’s test, when appropriated, with p<0.05. The BmarLAAO was able to inhibit the growth of gram negative P. aeruginosa, of yeast C. albicans and of gram positive S. aureus; and the BleuTV inhibited the growth of S. aureus, being the inhibitions dose-dependent. The order of susceptibility of microorganisms tested against BmarLAAO was S. aureus > C. albicans > P. aeruginosa. On the other hand the BmarTV, BmarPLA2, BleuPLA2 and BleuLAAO had not provided any degree of inhibition on strains in study. The inhibitory effect was more significant on S. aureus presenting CIM= 50µg/mL and CLM=200µg/mL for BmarLAAO, and CIM=CLM=25µg/mL for the BleuTV. In concentrations greater than 1.56µg/mL BmarLAAO was able to inhibit the growth of promastigotes forms of L. chagasi and L.amazonensis, after 72h of culture. The IC50 values were 2.55µg/mL for L. amazonenis, and 2.86 µg/mL for L. chagasi. BmarTV and BleuTV also provided significant inhibition of the parasitic growth, with an IC50 value of 86.56 µg/mL for L. amazonensis and 79.02 µg/mL for L. chagasi, when treated with BmarTV; and 5.49µg/mL for L. amazonensis and 1.94µg/mL for L. chagasi, when treated with BleuTV. The venoms and BmarLAAO showed inhibitory effect on epimastigotes forms of T. cruzi. The IC50 value for BleuTV, BmarTV and BmarLAAO where, respectively 1.14µg/mL, 24.19µg/mL and 0.89µg/mL.This effects presented behavior dose-dependent. The fractions BmarPLA2, BleuPLA2 and BleuLAAO had not been capable to promote any inhibition on the growth of these parasites. The BmarLAAO, BmarTV and BleuTV presented low toxicity in studied concentrations. In conclusion, the whole venoms as well as the L-amino acid oxidase from Bothrops marajoensis showed to be capable to interfere in the growth of several microorganisms as S.aureus, Candida albicans, Pseudomonas aeruginosa, Leishmania sp. and T. cruzi.
Descrição: TORRES, Alba Fabiola Costa. Ação antibacteriana antifúngica e antiparasitária de veneno de serpentes do gênero Bothrops e suas frações fosfolipase A2 e L-Aminoácido oxidase. 2009. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4195
Aparece nas coleções:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_dis_afctorres.pdf2,13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.