Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4198
Título: Utilização de psicofármacos entre usuários da atenção primária do município de Maracanaú-Ceará
Título em inglês: Utilization of psychoactives amongst users who attended in the primary care in the city of Maracanaú
Autor(es): Passos, Ana Claudia de Brito
Orientador(es): Arrais, Paulo Sergio Dourado
Palavras-chave: Psicotrópicos
Atenção Primária à Saúde
Saúde Mental
Data do documento: 2008
Citação: PASSOS, A. C. B. (2008)
Resumo: O presente trabalho objetivou descrever o consumo de psicofármacos entre os usuários assistidos na Atenção Primária de Saúde (APS) e encaminhados ao Centro de Apoio Psicossocial (CAPS) no município de Maracanaú; avaliar a prática de prescrição, aquisição e uso prolongado dos psicofármacos; conhecer o que representa o uso desses medicamentos no dia-a-dia e avaliar os fatores determinantes ao consumo de psicofármacos, entre as variáveis sociais, econômicas, demográficas e biológicas. Trata-se de um estudo epidemiológico, quantitativo, observacional e transversal realizado no período de setembro de 2006 a fevereiro de 2008, cujo objeto de avaliação foram os indivíduos provenientes da APS e encaminhados ao CAPS. As informações foram obtidas através de um roteiro de entrevista, contendo 57 perguntas. A amostra foi calculada em função do número de pessoas cadastradas e acompanhadas pelo CAPS. No total, foram entrevistadas 200 pessoas, em que 121 (60,5%) afirmaram ter consumido psicofármacos nos últimos 15 dias; destas, a maioria era do sexo feminino, com renda individual mensal até 2 salários mínimos (85,4%), baixa escolaridade (68,8% eram analfabetos) e com algum tipo de doença secundária (54,5%). Alguns (20,0%) informaram ser usuários de bebidas alcoólicas, 54,0% fumavam e 72,0% não praticavam atividade física. Quanto à representação desses medicamentos no dia-a-dia, a maioria (47,9%) referiu “alívio”. A média do consumo de psicofármacos foi de 1,5 medicamento por pessoa. A maioria das pessoas (78,3%) os utilizava de forma contínua e 73,3% afirmaram não ter recebido orientação quanto aos riscos de utilizá-los por tempo prolongado. Os médicos foram responsáveis por 93,9% das indicações. Os usuários referiram já ter tentado parar de tomar esses medicamentos (57,8%), sendo que 78,3% conseguiram isto de forma brusca e outros (75,6%), que estavam fazendo uso há mais de 12 meses, relataram não ter conseguido parar de tomá-los de forma alguma. Os grupos de medicamentos mais consumidos foram: ansiolíticos (36,5%), antidepressivos (31,5%), antipsicóticos (17,7%) e antiepilépticos (11,0%). Entre os ansiolíticos o mais consumido foi o diazepam (27,0%). Os principais motivos para o consumo de psicofármacos foram: “nervosismo” (20,4%), “insônia” (17,8 %) e “depressão” (11,6%). Quanto à aquisição dos psicofármacos, 41,6% foram adquiridos na farmácia do CAPS, mas 24,3% compraram tais medicamentos. Algumas pessoas (18,3%) adquiriam esses produtos sem receita médica e 83,5% utilizavam também outros medicamentos, destacando-se, segundo a classificação ATC, os do Sistema Cardiovascular (39,5%) e do Trato Alimentar e Metabolismo (17,9%). O captopril, hidroclorotiazida, ranitidina, omeprazol, propranolol, prometazina e o paracetamol foram responsáveis por 38,5% do consumo geral de medicamentos. O estudo possibilitou o aporte de informações relevantes acerca do uso de psicofármacos em Maracanaú e sobre seus usuários.
Abstract: The objectives of the present work is to describe the consumption of psychoactives amongst users who attended in the Primary Care of Health (PCS) and were directed to the Centre of Psychologic and Social Support (CPSS) in the city of Maracanaú; to evaluate the practice of prescribing, the acquisition and chronic use of psychoactives; to find out what represents the use of these medicines on a day-by-day basis and to evaluate factors that determine consumption of psychoactives, such as social, economic, demographic and biological variables. This was an epidemiologic, quantitative, observational, and cross sectional study carried out from September of 2006 to February of 2008 which evaluated individuals proceeding from the PCS and directed to the CPSS. The information was obtained through an interview comprising 57 questions. The sample was calculated as a function of the number of people registered and followed up by CPSS. In the total 200 people were interviewed, where 121 (60.5%) had affirmed to have consumed psychoactives in last the 15 days; of these, the majority were female, with an individual monthly income greater than two minimum salaries, low schooling (68.8% were illiterate) and with some type of secondary disease (54.5%). Some of them reported consumption of alcoholic beverages (20.0%), 54.0% were smokers and 72.0% did not take any physical activity. Concerning the questions about what the medicines represent to them, the majority (47.9%) said they felt something like “relief”. The average of the consumption of psychoactives was of 1,5 medicines per person. The majority of the people (78.3%) used them continuously and 73.3% had reported that they did not received any information about the risks of long-term use. Doctors were responsible for 93,9% of the indications. Of the users who reported that they had attempted to stop taking these medicines (57.8%), 78.3% did this suddenly. The groups of the most consumed medicines were: Anxyolitics (36.5%), Antidepressants (31.5%), Antipsychotics (17.7%) and Antiepileptics (11.0%). Of the anxyolitic drugs, the most consumed was diazepam it (27.0%). The main reasons for the consumption of psychoactives were: “nervousness” (20.4%), “sleeplessness” (17.8%) and “depression” (11.6%). Concerning the acquisition of psychoactives, 41.6% were obtained from the pharmacy of the CPSS, but 24.3% of these medicines were bought by patients. Some people (18.3%) got these drugs without medical prescription and 83.5% also used other medicines. These were, according to ATC classification, medicines of the Cardiovascular System (39.5%) and of the Gastric Tract (17.9%). Captopril, hidroclorotiazide, ranitidine, omeprazole, propranolol, prometazine and paracetamol were responsible for 38,5% of general medicines consumed. Our study provided relevant information about the use of psychoactive drugs in Maracanaú and on its users.
Descrição: PASSOS, Ana Cláudia de Brito. Utilização de psicofármacos entre usuários da atenção primária do município de Maracanaú-Ceará. 2008. 132 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2008.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4198
Aparece nas coleções:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2008_dis_acbpassos.pdf2,17 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.