Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4216
Título: Determinação do perfil dos erros de prescrição de medicamentos em um hospital universitário
Título em inglês: Determining key factors related to errors in medication prescribing in University Hospital
Autor(es): Neri, Eugenie Desiree Rabelo
Orientador(es): Fonteles , Marta Maria de França
Palavras-chave: Prescrição de Medicamentos
Erros de Medicação
Hospitais Universitários
Data do documento: 2004
Citação: NERI, E. D. R. (2004)
Resumo: O ciclo de utilização do medicamento no hospital é bastante complexo, sendo sua primeira etapa: a prescrição, reconhecida como importante contribuinte para os erros de medicação. No Brasil, pouco se conhece sobre o perfil dos erros e sobre a segurança do processo de prescrição. Baseado na abordagem sistêmica do erro, foi realizado um estudo exploratório, com determinação da taxa de prevalência de erros de prescrição clinicamente significativos (TPEPCS), e da taxa de segurança do processo de prescrição (TSPP) na Unidade de Clínica Médica de um hospital universitário. Neste estudo, foram analisadas, em julho/03, 474 prescrições, totalizando 3460 itens com medicamentos (ICM). Essa análise revelou que 31% das prescrições pertenciam a pacientes com 60 anos ou mais e 72,15% eram manuscritas. Quanto ao cumprimento de critérios legais e institucionais, em 75,30% dos medicamentos, foram omitidas informações importantes para garantir a segurança da dispensação e administração dos mesmos, e que em 98,40% dos ICM foram utilizadas abreviaturas, sendo estas, mais evidenciadas dentre medicamentos prescritos por médico no segundo ano de residência (R2) (p<0,001). Foi identificado ainda, que nas doses prescritas por médico no primeiro ano de residência (R1) ocorreu um maior percentual de erros (12,70%; p=0,003). Os erros clinicamente significativos identificados (ECS) (n=1012) foram distribuídos em 395 prescrições e, 78,10% deles, envolveram medicamentos, tendo como principal classe terapêutica envolvida, a de medicamentos cardiovasculares. No processo de redação da prescrição foram identificados 75,40% (n=763) dos ECS, destacando-se os erros de omissão de um ou mais itens de identificação do paciente (27,52%; n=210) e prescrição ambígua ou confusa: 27,52% (n=210). Dentre os erros no processo de decisão, destacaram-se as interações medicamentosas potencialmente significantes (60,25%; n=150), medicamento sem indicação para o paciente (8,43%;n=21) e overdose (6,83%; n=17). A maior média de ECS foi identificada no Serviço de Clínica Médica (3,42±2,09; p=0,001) e o maior percentual de prescrições com ECS, naquelas elaboradas por R1 (85,50%; p=0,011). Dentre os ECS identificados, 98,42% (n=996) foram potenciais e 7,8% (n=79) foram classificados como potencialmente fatais ou severos. As intervenções foram realizadas por farmacêuticos para 100% dos ECS identificados, destas, 88,66% foram aceitas pelo prescritor. Ao final, foram calculadas a TPEPCS (29,25%) e a TSPP (70,75%), indicando a necessidade urgente da revisão do processo de prescrição e reavaliação das estratégias educacionais adotadas para os prescritores da instituição. Para tanto, os resultados encontrados apontam grupos prioritários para implementação de estratégias voltadas para redução da ocorrência de ECS. Diante do exposto, identificar o perfil dos erros de prescrição, da Taxa de prevalência de erros de prescrição clinicamente significativos e da Taxa de segurança do processo de prescrição, constituem o primeiro passo rumo a uma cultura de prevenção de erros, porém, para que ela possa estabelecer-se no meio hospitalar, faz-se necessário que a responsabilidade pela segurança do paciente seja vista como coletiva e que a abordagem sistêmica do erro seja aplicada no dia-a-dia.
Abstract: The cycle of the application of medication in hospital is very complex, being its first step: prescribing, recognized as a key-factor in medication errors. In Brazil, little is known about the determining factors and safety in the prescribing process. Based on a systemic error approach, an exploratory study was carried through in the Medical Care Unit of a University Hospital, determining the prevalence rate of errors in clinically significant prescribing (PRECSP), and the rate of safety in the prescribing process (RSPP). In this study, 474 medication orders were analyzed in June 2003, totalizing 3.460 items with medications (IWM). 31% of the medication orders referred to patients aged 60 or more and 72,15% were written by hand, with reference to legal and institutional criteria, key information aimed to guarantee and effective medication was missing in 75,30% of the medication, and abbreviations were used in 98,40% of the IWM, which being more evident among medications prescribed by physicians in the second year at residency (R2) (p<0,001). Medication prescribed by physicians in first year at residency (R1) showed a major rate of errors (12,70%; p=0,003). Clinically significant identified errors (CSE) (n=1012) were distributed in 395 medication orders and 78,10% of which pertaining to cardiovascular medication as a main therapeutic class. In the medication writing process, 75,40% (n=763) of the CSE were identified, the majority of the errors found were related to the omission of one or more items of patient identification (27,52%; n=210) and ambiguous or confused medication orders: 27,52% (n=210). Among the errors in the decision making process, the most common specific ones were potentially significant medication interactions (60,25%; n= 150), unidentified medication to patient (8,43%; n= 21) and overdose (6,83%; n=17). The major average of CSE was identified in the medical care unit (3,42+2,09; p=0,001) and the major rate of medication orders with CSE of which elaborated by RL (85,50%; p=0,011). Among the identified CSE, 98,42% (n=996) were potential and 7,8% (n= 79) were classified as potentially fatal or severe. The interventions were performed by pharmacists in 100% of the CSE identified, 88,66% of which were accepted by the physician. In the end, the PRECSP was estimated (29,25%) and the RSPP (70,75%), indicating the urgent need for the review of the prescribing process and the reevaluation of the educational strategies adopted by the physicians of the institution. Therefore, the findings showed prioritizing groups for the implement of strategies aimed to the reduction of CSE. As it comes out, the identification of prescribing errors, the rate of prevalence of clinically significant prescribing errors and the rate of the prescribing process safety constitute the first step in order to reduce the error rate associated with each system. However, in order to establish a more accurate systemic error prevention process in hospital settings, the responsibility for the safety of the patient must be seen collectively.
Descrição: NERI, Eugenie Desiree Rabelo. Determinação do perfil dos erros de prescrição de medicamentos em um hospital universitário. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2004.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4216
Aparece nas coleções:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2004_dis_edrneri.pdf3,35 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.