Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4221
Título: Uso de preparações caseiras de plantas medicinais utilizadas no tratamento de doenças infecciosas
Título em inglês: Dosmetic preparation of medicinal plants used in the treatment for infectious diseases
Autor(es): Bastos, Gisele Medeiros
Orientador(es): Nogueira, Nadia Accioly Pinto
Palavras-chave: Plantas Medicinais
Medicamentos Fitoterápicos
Data do documento: 2007
Citação: BASTOS, G. M. (2007)
Resumo: A maioria da população de países em desenvolvimento utiliza plantas ou prepara-ções vegetais em seus cuidados básicos de saúde. A falta de informações sobre os possíveis riscos e benefícios do uso de plantas medicinais é um dos principais fato-res que contribui para automedicação da população com ervas. Muitas das espécies vegetais utilizadas na medicina popular apresentam propriedades antimicrobianas comprovadas, no entanto, diversos fatores como a preparação incorreta das plantas pode interferir na eficácia do tratamento. O presente trabalho, teve como objetivo avaliar a utilização de preparações caseiras de plantas medicinais, pelas famílias das crianças assistidas pelo Centro de Educação Infantil Aprisco, em Fortaleza. As famílias que participaram do estudo responderam a um questionário que permitiu conhecer as principais plantas medicinais utilizadas pela população estudada, suas indicações terapêuticas, modo de preparo, parte da planta utilizada, entre outras questões. Num segundo momento, foi realizado um estudo experimental, onde foi testado in vitro o potencial antimicrobiano das preparações caseiras das plantas me-dicinais citadas durante as entrevistas. Os dados foram inseridos e analisados no Microsoft Office Excel e no programa estatístico Epi Info 3.3.2. Foram entrevistadas 41 famílias, das quais 97,6% afirmaram utilizar as plantas medicinais como opção terapêutica no tratamento de doenças. Num total de 39 questionários foram citadas 97 preparações caseiras de plantas, com uma média de 2,5 ± 1,6 por questionário. Desse total de preparações, 71,1% eram usadas buscando solucionar problemas respiratórios e digestivos. A principal parte utilizada da planta foi a folha (60%) e a forma de utilização mais citada o chá por decocção (59,8%). Foram citadas trinta e duas espécies vegetais utilizadas nas preparações, das quais o eucalipto (Eucalyptus citriodora) teve a maior freqüência de citação (11,9%). Das quarenta e cinco amostras submetidas à avaliação da atividade antimicrobiana in vitro, 55,6% (25 amostras) apresentaram atividade inibitória sobre o crescimento de pelo menos um dos microrganismos utilizados. A maioria das plantas com propriedade antimi-crobiana conhecida e que foram citadas pelos entrevistados tiveram sua atividade alterada de acordo com a forma com que foram preparadas. Foi verificado ainda o uso de plantas para fins medicinais que apresentam em sua composição substân-cias com características tóxicas. Os resultados obtidos nesse trabalho sugerem que dependendo das condições em que as plantas são utilizadas elas podem apresentar ou não a atividade farmacológica que lhe é atribuída. Está nas mãos do profissional farmacêutico, contribuindo com seu conhecimento, promover o uso eficaz, seguro e racional das plantas medicinais.
Abstract: Most of the people in developing countries use plants or herbal preparations in their basic health care. The lack of information about the possible risks and benefits in the use of medicinal plants is one of the main factors that contribute with herbs automedication. Many plants used in the popular medicine have proved antimicrobial properties; however, several factors for example, incorrect preparation of the plants, can interfere in the efficiency of the treatment. The aim of this study was to assess-ment the use of domestic preparations of medicinal plants by the families of children who study in the Centre of Children Education Aprisco, in Fortaleza. The families that participated of the study answered a questionnaire that allowed knowing the most used medicinal plants by this population, as well as its therapeutic indications, forms of use, parts of the plant used, and other ones. At a second moment, an in vitro ex-perimental study analysed the antimicrobial potential of the domestic preparations of the medicinal plants quoted during the interviews. The data were inserted and ana-lysed in the Microsoftware package Office Excel and in the statistical program Epi Info 3.3.2. Forty one families were interviewed, of which 97,6 % affirmed to use the medicinal plants like therapeutic option in the treatment of diseases. In 39 question-naires were quoted 97 domestic preparations of plants, with an average of 2,5 ± 1,6 preparations. Of this total (97), 71,1 % was used to respiratory and digestive prob-lems. Furthermore, the most used part of the plant was the leaf (60 %) and the de-coction was the main form of the use (59,8 %). Thirty two plants species were used in the preparations, of which the eucalyptus (Eucalyptus citriodora) had the highest fre-quency (11,9 %). From the forty five samples that was submited to the antimicrobial activity in vitro, 55,6 % (25 samples) showed inhibitory activity on the growth at least one of the microorganisms used in the test. Many of the plants that have antimicro-bial properties and that were quoted by the families interviewed, had their activity al-tered in accordance with the form that they were prepared. It was also observed the use of plants for health care that present in their composition toxic substances. The results of this study suggest that the forms of preparation and use of the plants can interfere on the presence or absence of the farmacology activity that is attributed for the plants. Therefore, it’s in the pharmacist’s hands, who can contribute with his knowledge, to promote the efficient, safe and rational use of the medicinal plants.
Descrição: BASTOS, Gisele Medeiros. Uso de preparações caseiras de plantas medicinais utilizadas no tratamento de doenças infecciosas. 2007. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Fortaleza, 2007.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4221
Aparece nas coleções:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2007_dis_gmbastos.pdf1,14 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.