Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/42669
Title in Portuguese: Prevalência da síndrome de burnout em profissionais da saúde que trabalham em serviço de emergência terciária com Programa de Residência pelo SUS
Author: Cunha, Karen Lopes
Souza, Sandro Rodrigo Vale de
Pinto, Paulo Victor Borges
Rodrigues Filho, Filadelfo
Arnaud, Frederico Carlos de Sousa
Falcão, João Luiz de Alencar Araripe
Keywords: Sindrome de Burnout
Acadêmicos
Emergência
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Ceará
Citation: CUNHA, Karen Lopes; et al. Prevalência da síndrome de burnout em profissionais da saúde que trabalham em serviço de emergência terciária com Programa de Residência pelo SUS. Revista Encontros Universitários da UFC, Fortaleza, v. 1, n 1, 2016. (Encontro de Experiências Estudantis 9).
Abstract in Portuguese: Introdução: A unidade de Emergência é um ambiente em que situações de estresse, ansiedade e pressão são muito frequentes. O desgaste em que as pessoas são submetidas, nos ambientes e nas relações de trabalho é um dos fatores na determinação das doenças. Nesse sentido, merece destaque o sofrimento humano relacionado ao trabalho, especialmente a síndrome de Burnout (SB), que é definida como um quadro de exaustão emocional, despersonalização e reduzida realização profissional que pode acometer profissionais que trabalham no atendimento a pessoas. Objetivos: Definir o impacto dessa síndrome na saúde mental e no desempenho de funções dos profissionais da saúde e sensibilizar a comunidade acadêmica em relação à necessidade de medidas preventivas e terapêuticas para a Síndrome de Burnout. Metodologia: Estudo observacional quantitativo e qualitativo com profissionais da área da saúde, incluindo médicos, residentes e estudantes de medicina. Foi aplicado um instrumento padrão (questionário Maslach Burnout Inventory – MBI). Resultados: Apesar da motivação existente, quase a metade dos trabalhadores do serviço de emergência sente-se sobrecarregado em relação às atividades que exercem no seu cotidiano. O trabalho em dupla jornada em outras instituições de saúde foi observado em mais da metade da amostra, tendo como justificativa o baixo salário e a necessidade de complementação da renda familiar. Conclusão: O grande problema social relacionado ao burnout em profissionais da saúde é a possibilidade de se trabalhar de maneira fria, sem o envolvimento e dedicação necessários, causando, assim, uma diminuição da realização profissional, que pode culminar com a desistência de seus ideais. Portanto, o cuidado permeia o fazer dos profissionais de saúde, e ao mesmo tempo, pode ser causador de danos à saúde do cuidador.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/42669
metadata.dc.type: Resumo
Appears in Collections:EEE - Resumo de trabalhos apresentados em eventos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_resumo_eve_klcunha.pdf50,27 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.