Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/42670
Title in Portuguese: A formação da cozinha brasileira através do livro Farinha, feijão e carne seca- um tripé culinário no Brasil Colonial de Paula Pinto e Silva.
Author: Correa, Libia Amaral
Gondim Neto, Leopoldo
Keywords: Gastronomia brasileira
Antropologia
Alimentação
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Ceará
Citation: CORREA, Libia Amaral; GONDIM NETO, Leopoldo. A formação da cozinha brasileira através do livro Farinha, feijão e carne seca - um tripé culinário no Brasil Colonial de Paula Pinto e Silva. Revista Encontros Universitários da UFC, Fortaleza, v. 1, n. 1, 2016. (Encontro de Experiências Estudantis, 9).
Abstract in Portuguese: Este trabalho é fruto de pesquisa da disciplina de Cozinha Brasileira II e utilizou-se da revisão bibliográfica para tanto. O livro Feijão, Farinha e Carne Seca tem como ideia central o que ela chama de tripé culinário do Brasil Colônia: Farinha, feijão e carne seca. Esse seria o ponto central simbólico do sistema alimentar daquela época. A autora usa os relatos dos viajantes da época como Saint-Hilaire quanto ao modus vivendi daquela sociedade. Percebe-se que a formação do gosto brasileiro foi fortemente influenciado pelo modo de produção econômico de monocultura da cana de açúcar, que trouxe os elementos branco, negro e índio. Através de suas interrelações surge a cultura alimentar brasileira, com ritos, utensílios, modo de cozinhar e de servir próprios. A economia foi decisiva para o quê e como se comia.Com a lavoura de exportação, a de subsistência era relegada a segundo plano, basicamente milho e mandioca, do que se fazia farinha e comia-se aos punhados com a carne seca ou para engrossar o caldo ralo do feijão. Todavia, a cultura do açúcar influencia a doçaria brasileira, assentando um paladar extremamente doce ao nosso costume.A rapadura se torna o insumo do dia a dia. A cozinha dividia-se em duas, a de dentro das sinhás e a de fora, das negras e índias, da feitura dos doces comuns. Há influência da cultura portuguesa campesina, acostumada com criações e hortas, mesclando-se com os produtos ‘exóticos’ nativos e os temperos das africanas. Recomenda-se a leitura da obra para os que querem saber sobre história da alimentação brasileira.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/42670
metadata.dc.type: Resumo
Appears in Collections:EEE - Resumo de trabalhos apresentados em eventos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_resumo_eve_lacorrea.pdf49,29 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.