Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/43321
Title in Portuguese: Acopanhamento do transporte de tambaqui vivo (Colossoma macropomum)
Author: Silva, Lúcia de Fátima Sousa e
Advisor(s): Furtado Neto, Manuel Antonio de Andrade
Keywords: Tambaqui (Peixe)
Issue Date: 2004
Citation: SILVA, Lúcia de Fátima Sousa e. Acopanhamento do transporte de tambaqui vivo (Colossoma macropomum). 2004. TCC (Graduação em Engenharia de Pesca) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2004.
Abstract in Portuguese: O transporte de peixes vivos e"- urna prática importante na pisciculture usada rotineiramente, que consiste no deslocamento de alevinos, jovens ou adultos de um local para outro. No Brasil, o transporte de peixes vivos vem aumentando consideravelmente, sendo as principais finalidades o comércio de "peixe vivo" em feiras para consumo, o fornecimento para pesque-pague e a formação de plantei de reprodutores, além do peixamento de açudes públicos. O objetivo do presente estagio foi enriquecer o conhecimento enquanto estudante de Engenharia de Pesca, no que diz respeito ao transporte de tambaqui vivo realizado no Centro de Pesquisas em Aquicultura (CPAR) Rodolpho Von Ihiering, que esta localizado na cidade de Pentecoste, Ceara. O estagio supervisionado teve uma carga horária de 144 horas, durante urn período de 30 dias. Sacos plásticos são os mais utilizados para transporte de tambaquis vivos pelo CPAR. 0 transporte em sacos tern sido muito eficiente para pequenas quantidades de peixes e por pouco tempo, e a vantagem de provocar uma redução na oscilação dos parâmetros físico-químicos da ague de transporte, e reter a mistura de oxigênio dissolvido na ague. Durante o estagio foi observado que a manutenção de um nível adequado de oxigênio dissolvido é essencial para a sobrevivência dos peixes durante o transporte. Nos sistemas de transporte, é comum o uso de compressores de ar ou de oxigênio comprimido em garrafas. Durante o estagio foi verificado que algumas características .da ague podem ser de importância crucial no transporte de peixes. No transporte de tambaquis feito pelo Centro de Pesquisas em Aquicultura Rodolpho Von lhiering, eram adicionados de 10g a 15g de sal por saco de 20L. No CPAR, sempre que o transporte de tambaquis é feito em sacos plásticos, tem sido recomendado que se transporte 1 kg de peixe por saco com 20 litros de ague, o que tem dado resultados satisfatórios, quando se obedece às outras recomendações de jejum de peio menos 24 horas antes do translado, do uso de sal nas quantidades já vistas e um cuidadoso manuseio, principalmente quando se trata de alevinos. Do Centro de Pesquisas em AgOicultura Rodoipho Von Ihiering, os tambaquis, assim como outras espécies de peixes, são geralmente transportadas para cultivos particulares e açudes públicos. No procedimento de transporte eram colocados cerca de 500 alevinos medindo em torno de 3cm a 5cm dentro de cada saco. Na minha opinião, esse estagio foi de grande valia para a formação acadêmica, como future engenheira de pesca, pois foi possível acompanhar esta importante atividade desenvolvida no CPAR.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/43321
metadata.dc.type: TCC
Appears in Collections:ENGENHARIA DE PESCA - Trabalhos Acadêmicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2004_tcc_lfssilva.pdf20,21 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.