Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/45461
Title in Portuguese: Iniciativas governamentais em desenvolvimento inclusivo para pessoas com hanseníase, incapacidade ou deficiência: limites e potencialidades no Brasil
Author: Souza, Eliana Amorim de
Barbosa, Jaqueline Caracas
Fernandes, Thayse Andrade
Oliveira, Héllen Xavier
Pinto, Maria Solange Araújo Paiva
Ramos Junior, Alberto Novaes
Keywords: Reabilitação
Incapacidade
Desenvolvimento Inclusivo
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal do Ceará
Citation: SOUZA, Eliana Amorim de et al. Iniciativas governamentais em desenvolvimento inclusivo para pessoas com hanseníase, incapacidade ou deficiência: limites e potencialidades no Brasil. Revista Encontros Universitários da UFC, Fortaleza, v.1, n. 1, 2016. (Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação, 9).
Abstract in Portuguese: A reabilitação baseada em comunidade (RBC), possui perspectiva multisetorial integrada, mas tem limitada interface no Brasil. Objetiva-se caracterizar iniciativas governamentais de RBC nos setores saúde, educação e desenvolvimento social para pessoas com hanseníase, incapacidade ou deficiência. Estudo transversal descritivo de experiências de desenvolvimento inclusivo de pessoas com incapacidade/deficiência (DIPID) física e visual. Realizada prospecção direta nos municípios de Vitória da Conquista (BA), Tremedal (BA), João Pessoa (PB) e Cabedelo (PB), com roteiro padronizado para entrevista com gestores e coordenadores. Os 8 gestores de nível central indicaram saúde e educação como principais. Projetos ou ações para aspectos físicos foram citados por 28,6%, enquanto hanseníase, por 11,8%. Prevaleceram saúde (55,5%) e educação (44,4%), sem relato de ações de empoderamento ou subsistência. Recursos financeiros baseados em fundos municipais, e as ações compõem planos da gestão municipal, estadual ou federal. Metade afirma não ter parcerias intersetoriais, nenhum com ONGs. 83,3% defendem a sustentabilidade das ações; o principal desafio foi formação profissional (26,7%), seguida por questões financeiras (20%). O elemento facilitador para sustentabilidade foi esclarecimento da população sobre direitos (26%). 12,5% afirmam conhecer o modelo de RBC. Entre os 15 coordenadores locais governamentais, 31,1% planejam as ações e 41,7% relatam indicadores de monitoramento/avaliação. Usuários (38,5%), familiares (46,2%) e líderes comunitários (15,4%) pouco participam. A mobilização de usuários para participação foi citada por 69,2% dos coordenadores, percentual igual à realização de ações fora da instituição e à promoção de sociedade inclusiva. Constata-se atuação desarticulada, com poucas parcerias interinstitucionais. Há indicativos de insuficiência de ações direcionadas para empoderamento e incentivo à participação. Reconhece-se o potencial para promoção de maior inclusão.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/45461
metadata.dc.type: Outros
Appears in Collections:EPPG - Resumo de trabalhos apresentados em eventos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016_resumo_eve_easouza.pdf51,77 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.