Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/45853
Title in Portuguese: Avaliação dos parâmetros clínico-laboratoriais, histológicos e imuno-histoquímicos da cirrose criptogênica em pacientes submetidos ao transplante de fígado
Title: Evaluation of clinical, laboratory, histological and immunohistochemical parameters of cryptogenic cirrhosis in patients undergoing liver transplantation
Author: Hanemann, Ana Lúcia de Paula
Advisor(s): Moraes Filho, Manoel Odorico de
Keywords: Transplante
Cirrose Hepática
Imuno-Histoquímica
Receptores Ativados por Proliferador de Peroxissomo
Issue Date: 28-Aug-2019
Citation: HANEMANN, A. L. P. Avaliação dos parâmetros clínico-laboratoriais, histológicos e imuno-histoquímicos da cirrose criptogênica em pacientes submetidos ao transplante de fígado. 2019. 157 f. Tese (Doutorado em Ciências Médico-Cirúrgicas) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.
Abstract in Portuguese: A cirrose hepática é uma condição clínica que representa o estágio final comum a várias doenças crônicas do fígado, em alguns casos, mesmo após estudo clínico, sorológico e anatomopatológico detalhado, não é possível esclarecer a doença hepática crônica de base, nesses casos, a cirrose é dita como criptogênica ou idiopática. Este estudo teve como objetivo principal avaliar os parâmetros clínico-laboratoriais, histológicos e imuno-histoquímicos da cirrose criptogênica em pacientes submetidos ao transplante de fígado. A pesquisa foi desenvolvida no Hospital Universitário Walter Cantídio. Foram selecionados 50 pacientes alocados nos determinados grupos: doadores de fígado (G-I), cirrose por esteato-hepatite alcoólica (G-II); cirrose por hepatite B (G-III), cirrose por esteato-hepatite não alcoólica (G-IV) e cirrose criptogênica (G-V). Os dados clínico-laboratoriais e histopatológicos foram obtidos retrospectivamente por meio de revisões de laudos, prontuários e lâminas histopatológicas. Para as análises histopatológicas e imuno-histoquímicas realizou-se a confecção do tissue microarray com amostras de biópsias para os pacientes doadores e amostras de explantes para os pacientes cirróticos. As análises histológicas foram avaliadas através dos escores de Ishak, Brunt e NAS (Nash activity score). Foram selecionados os seguintes anticorpos para as análises imuno-histoquímicas: PPARγ, PPARβ/δ, HBV-core, NF-κB e IL-6. Neste estudo, observou-se que a maioria dos indivíduos da cirrose criptogênica apresentavam uma faixa etária em torno de 50 anos (±17,67) com predominância do sexo feminino (70%) e uma maior gravidade no escore de Child-Pugh (p=0,030). Nos escore de Ishak e Brunt todos os grupos apresentaram grau de cirrose com uma inflamação portal e septal leve, (p<0,001). Comparando a imuno-expressão do PPARγ no citoplasma dos hepatócitos, entre os grupos, verificou-se que o grupo G-V apresentou uma maior frequência (p=0,009). Já para o anticorpo PPARβ/δ os grupos G-II, G-III e G-IV (p<0,001) apresentaram maior frequência de marcação citoplasmática nos hepatócitos. O NF-κB mostrou-se expresso no citoplasma dos hepatócitos, principalmente no grupo G-II (p=0,026). Quanto a IL-6 avaliada nas células de kupffer, foi verificado uma maior imuno-expressão nos grupos G-II e G-IV (p=0,005). Já na região periportal/sinosoidal a IL-6 apresentou uma maior frequência nos grupos G-II, G-III e G-IV (p=0,013). Na presente pesquisa, observou-se que os preditores histopatológicos não são capazes de auxiliar na classificação da doença de base da cirrose na fase avançada da doença. Na avaliação da possível relação etiológica entre a cirrose criptogênica com a esteato-hepatite e hepatite B, reconheceu-se que não houve uma relação causal. Quanto aos marcadores imuno-histoquímicos, o PPARγ demonstrou ser um fator de transcrição crítico para a redução da expressão da IL-6 podendo causar uma redução do infiltrado inflamatório na fase avançada da cirrose criptogênica. A ativação dos ligantes PPARs indicam um possível alvo das funções regulatórias dos mecanismos fisiológicos ligados aos metabolismos energéticos e inflamatórios que poderiam auxiliar na detecção das principais alterações visualizadas nas doenças hepáticas criptogênicas.
Abstract: Liver cirrhosis is a clinical condition that represents the cast stage common to many chronic liver diseases. In some cases, even after detailed clinical, serological and pathological study, it is not possible to clarify the underlying chronic liver disease, in these cases cirrhosis. It is said to be cryptogenic or idiopathic. The aim of this study was to evaluate the clinical, laboratory, histological and immunohistochemical parameters of cryptogenic cirrhosis in patients undergoing liver transplantation. The research was developed at Walter Cantídio University Hospital. Fifty patients were selected from the following groups: liver donors (G-I), cirrhosis due to alcoholic steatohepatitis (G-II); hepatitis B cirrhosis (G-III), nonalcoholic steatohepatitis cirrhosis (G-IV) and cryptogenic cirrhosis (G-V). Clinical-laboratory and histopathological data were obtained retrospectively through revisions of reports, medical records and histopathological slides. For histopathological and immunohistochemical analysis, tissue microarray was made with biopsy samples for donor patients and explant samples for cirrhotic patients. Histological analyzes were evaluated using Ishak, Brunt and NAS (Nash activity score) scores. The following antibodies were selected for immunohistochemical analysis: PPARγ, PPARβ / δ, HBV-core, NF-κB and IL-6. In this study, it was observed that the majority of individuals with cryptogenic cirrhosis wasn’t is 50 years old (±17.67) with female predominance (70%) and a higher severity in Child-Pugh score (p=0.030). In the Ishak and Brunt scores, all groups presented cirrhosis degree with mild portal and septal inflammation (p<0.001). Comparing PPARγ immunoexpression in hepatocyte cytoplasm, between groups, it was found that group G-V had a higher frequency (p=0.009). For the PPARβ/δ antibody, groups G-II, G-III and G-IV (p<0.001) presented higher frequency of cytoplasmic labeling in hepatocytes. NF-κB was expressed in hepatocyte cytoplasm, especially in group G-II (p=0.026). Regarding IL-6 evaluated in kupffer cells, a higher immunoexpression was observed in groups G-II and G-IV (p=0.005). In the periportal / sinusoid region, IL-6 presented a higher frequency in groups G-II, G-III and G-IV (p=0.013). In the present research, it was observed that the histopathological predictors are not able to assist in the classification of the underlying cirrhosis disease in the advanced phase of the disease. In the evaluation of the possible etiological relationship between cryptogenic cirrhosis and steatohepatitis and hepatitis B, it was recognized that there was no causal relationship. As for immunohistochemical markers, PPARγ has been shown to be a critical transcription factor for reducing IL-6 expression and may cause a reduction in inflammatory infiltrate in the advanced phase of cryptogenic cirrhosis. Activation of PPARs ligands indicate a possible target of the regulatory functions of physiological mechanisms linked to energetic and inflammatory metabolism that could assist in the detection of major visualized changes in cryptogenic liver diseases. Key-words: Transplant. Cryptogenic cirrhosis. Immunohistochemical expression. Peroxisome proliferator activated receptor expression PPARβ / δ. PPARγ. IL-6. NF-κB.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/45853
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:DCIR - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_tese_alphanemann.pdf3,53 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.