Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/45879
Title in Portuguese: Recursos de tecnologia assistiva no desempenho funcional de crianças com encefalopatia por síndrome congênita do Zika vírus
Author: Cavalcante, Érica Feitosa
Advisor(s): Rey, Luis Carlos
Keywords: Microcefalia
Zika virus
Paralisia Cerebral
Equipamentos de Autoajuda
Issue Date: 29-Jul-2019
Citation: CAVALCANTE, E. F. Recursos de tecnologia assistiva no desempenho funcional de crianças com encefalopatia por síndrome congênita do Zika vírus. 2019. 99 F. Dissertação (Mestrado Profissional em Saúde da Mulher e da Criança) - Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.
Abstract in Portuguese: Objetivo: O objetivo do estudo é avaliar os efeitos do uso dos recursos de Tecnologia Assistiva no desempenho funcional de crianças com encefalopatia por Síndrome Congênita do Zika Vírus sob a ótica do familiar e/ou cuidador através da Medida Canadense de Desempenho Ocupacional (COPM). Metodologia: Estudo do tipo avaliação de intervenção com cuidadores de crianças com diagnóstico de microcefalia por Zika Vírus e consequente Paralisia Cerebral com diferentes topografias que receberam recursos de Tecnologia Assistiva. A pesquisa foi realizada no Núcleo de Tratamento e Estimulação Precoce da UFC. A escala utilizada foi a COPM, que identifica problemas, preocupações ou questões relativas ao desempenho ocupacional e necessidade para indicação de terapias e recursos adaptados, mobiliários, órteses e adaptações de Tecnologia Assistiva. O protocolo foi aplicado inicialmente na entrada do serviço em 2016 com os pais e/ou cuidadores de crianças para avaliação do desempenho funcional sem a utilização dos recursos e após 2 anos de uso dos recursos em 2018. Foram analisados os níveis de desempenho e satisfação pelos pais pré e pós uso dos recursos de tecnologia assistiva. Resultados: Participaram do estudo 23 crianças sendo 12 do sexo masculino e 11 do sexo feminino a média de idade de todas as crianças foi de 7,02 meses, com encefalopatia causada pelo Zika vírus com GMFCS nível V. As principais queixas relatadas pelos pais no início foram 23,8% (6) segurar a cabeça e 34,2% (9) sentar. A média de queixas por cuidadores foi 1,13. As queixas dos cuidadores extraídas do COPM após dois anos de utilização dos recursos foram rolar 4% (1), sentar; 64% (16); equilibrar a cabeça 20% (5); engatinhar 4% (1) e motor fino 8% (2) do total de demandas dos cuidadores. A média de queixas por cuidadores foi 1,08. Portanto, observa-se que, as queixas dos cuidadores em relação ao desempenho da criança para Rolar, Equilibrar a cabeça, Arrastar, Prono e Motor fino foram menores após o período de 2 anos de uso dos recursos. Conclusões: Não houve significância estatística no desempenho e satisfação dos recursos de tecnologia assistiva antes e depois para ambos os sexos em função da gravidade dos transtornos musculoesqueléticos.
Abstract: Objective: The aim of this study is to evaluate the effects of the use of Assistive Technology resources on the functional performance of children with Zika Virus Congenital Syndrome encephalopathy from the perspective of the family member and / or caregiver through the Canadian Occupational Performance Measure (COPM). Methodology: Evaluation study of intervention with caregivers of children diagnosed with Zika Virus microcephaly and consequent Cerebral Palsy with different topographies that received Assistive Technology resources. The research was carried out at the UFC Early Treatment and Stimulation Center. The scale used was the COPM, which identifies problems, concerns or issues related to occupational performance and need for indication of adapted therapies and resources, furniture, orthoses and adaptations of Assistive Technology. The protocol was initially applied at the entrance of the service in 2016 with parents and / or caregivers of children to assess functional performance without the use of resources and after 2 years of use of resources in 2018. Performance and satisfaction levels were analyzed. parents pre and post use of assistive technology resources. Results: The study included 23 children, 12 males and 11 females. The average age of all children was 7.02 months, with encephalopathy caused by Zika virus with GMFCS level V. The main complaints reported by parents in the beginning were 23.8% (6) holding the head and 34.2% (9) sitting. The average number of complaints by caregivers was 1.13. Complaints from caregivers extracted from COPM after two years of resource use were rolling 4% (1), sitting down; 64% (16); head balancing 20% (5); crawl 4% (1) and fine motor 8% (2) of the total demands of caregivers. The average number of complaints by caregivers was 1.08. Therefore, it was observed that the caregivers' complaints regarding the child's performance for Rolling, Head Balancing, Dragging, Prone and Fine Motor were lower after the 2 years of resource use. Conclusions: There was no statistical significance in the performance and satisfaction of assistive technology resources before and after for both sexes due to the severity of musculoskeletal disorders.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/45879
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:MPSMC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_dis_efcavalcante.pdf4,01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.