Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/46601
Title in Portuguese: Complexidade e capital social na economia solidária: evidências empíricas dos empreendimentos organizados em redes no Brasil
Author: Soares, Maria de Nazaré Moraes
Advisor(s): Silva, Áurio Lúcio Leocádio da
Keywords: Economia solidária
Redes de cooperação
Capital social
Princípios da complexidade
Issue Date: 2015
Citation: SOARES, M. N. M. Complexidade e capital social na economia solidária: evidências empíricas dos empreendimentos organizados em redes no Brasil. 2015. 130 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade, Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria, Fortaleza-CE, 2015.
Abstract in Portuguese: A economia solidária é uma construção social, como organização e como movimento, tendo seu lado econômico enraizado no social, e, por isso, é um ambiente propício à geração de capital social. A formação de redes na economia solidária, por sua vez, reflete uma estratégia de fortalecimento dos empreendimentos e fomenta a reprodução de capital social. A geração de capital social na economia solidária ocorre sob padrões que privilegiam a autogestão, a cooperação e a autonomia, princípios da complexidade que estão inseridos no contexto do movimento e baseiam a dinâmica de funcionamento desses empreendimentos. Nesse sentido, o objetivo do estudo foi investigar, mediante uma abordagem quantitativa, se os princípios da complexidade contribuem mais para o desenvolvimento do capital social da economia solidária quando os empreendimentos estão organizados em rede. Para tal, foi analisado o banco de dados brasileiro do levantamento realizado entre os anos de 2010 a 2013 pela Secretaria Nacional de Economia Solidária, abrangendo uma amostra de 11.138 empreendimentos econômicos solidários. Os dados permitiram a criação de índices representativos dos princípios da complexidade e do capital social. A análise dos dados foi realizada através da estatística de correlações de Pearson, teste t-Student e Regressão Linear Múltipla, utilizando-se a ferramenta estatística SPSS (Statistic Package for Social Science). Os resultados corroboraram o referencial teórico em relação ao princípio da autogestão como gerador de capital social sob a influência das redes, contudo, isso não ocorre em relação aos princípios da cooperação e autonomia, evidenciando que apenas o princípio da autogestão sofre influência positiva e significativa sob a influência das redes, conquanto sem a influência das redes, a cooperação é o princípio que mais contribui para a geração de capital social.
Abstract: The solidarity economy is a social construction, as an organization and as a movement, having your economic side rooted in the social aspect, and therefore is an enabling environment to the generation of social capital. The formation of networks in the solidarity economy, in turn, reflects a strategy of strengthening for the social enterprises and encourages the reproduction of social capital. The generation of social capital in solidarity economy occurs under standards that focus on self-management, cooperation and autonomy, principles of complexity that are inserted in the context of the movement and bases the operating dynamics of these enterprises. In this sense, the objective of the study was to investigate, using a quantitative approach, if the principles of complexity contributes more to the development of the social capital in solidarity economy when the enterprises are organized in networks. For such, the national database from the survey performed by the National Secretary of Solidarity Economy during the period 2010 to 2013 was analysed, comprising a sample with 11,138 solidarity economy enterprises. The data allowed the creation of representative indices of the principles of complexity and social capital. The data was treated through the Pearson's correlation statistics, the t-test and the multiple linear regression utilizing the statistical tool SPSS (Statistic Package for Social Sciences). The results corroborated with the referred literature, regarding the principle of self-management as a social capital generator under the influence of networks, however, this does not occur in relation to the principles of cooperation and autonomy, showing that only the principle of self-managment undergoes positive and significant influence under the influence of networks, although without the influence of networking, cooperation is the principle that most contributes to the generation of social capital.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/46601
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPAC - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
mnmsoares.pdf971,29 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.