Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4975
Título: Desenvolvimento inicial da bananeira micorrizada e atividade microbiana em neosolo quartzarenico irrigado com água salina
Título em inglês: Initial development of mycorrhizal banana plants and microbial activity in quartzipsamment irrigated with saline water
Autor(es): Mascena, Aldênia Mendes
Orientador(es): Gomes, Vania Felipe Freire
Palavras-chave: Solos - Salinidade
Banana
Musa
Fungos micorrízicos
Data do documento: 2010
Citação: MASCENA, A. M. (2010)
Resumo: O Nordeste brasileiro reúne condições edafoclimáticas favoráveis ao cultivo da banana, que pode ser comprovado pela posição de destaque dessa região no cenário produtivo brasileiro. Sendo uma fruta de preferência mundial, e uma das mais exploradas no mundo, assume importância fundamental, pelo seu valor econômico, nutritivo e social. A salinidade dos solos é um importante fator de estresse, ocorrendo em regiões semiáridas e áridas do Nordeste brasileiro, onde a bananeira é cultivada. Neste contexto, os fungos micorrizicos arbuscular (FMA) vêm sendo pesquisados nos últimos anos, com o objetivo de minimizar algum dos efeitos do estresse salino nas plantas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de níveis de sais da água de irrigação sobre o acúmulo de sais no solo, à colonização com FMA e ao desenvolvimento de mudas de bananeira Musa sp. colonizadas com fungos micorrizicos arbusculares nativos. Para isso foi instalado um experimento em casa de vegetação do Departamento de Ciências do Solo da Universidade Federal do Ceará, no Campus do Pici em Fortaleza. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, em parcelas subdivididas, correspondendo a 4 períodos de colheita (40, 60, 80 e 100 DAT) e 5 níveis de salinidade (0,5; 1,5; 2,5; 3,5 e 4,5 dS m-1), com 4 repetições totalizando 80 unidades experimentais. As mudas de bananeiras passaram por um período de aclimatização e micorrização de 40 dias após o transplantio (DAT), sendo iniciada a aplicação de água salina após este período. A primeira coleta foi aos 40 DAT antes da aplicação dos níveis de salinidade, sendo realizadas as outras coletas aos 60, 80 e 100 DAT, onde foram avaliados os parâmetros: matéria seca da parte aérea e altura das plantas, diâmetro do XI pseudocaule, condutância estomática, taxa de transpiração, taxa fotossintética, pH do solo, condutividade elétrica do solo, colonização micorrízica radicular, densidade de esporos de FMA e respiração basal do solo. O aumento da salinidade da água de irrigação provocou acúmulo de sais no solo, medido pela condutividade elétrica, porém não influenciou significativamente o pH. O aumento nos níveis de salinidade não ocasionou diferença significativa na condutância estomática, taxa de transpiração das plantas, altura das plantas e diâmetro do pseudocaule, porém reduziu a taxa fotossintética e a produção de matéria seca das plantas, notadamente após 80 DAT; o aumento da salinidade da água de irrigação reduziu os teores de N e K, e aumento nos teores de Na, porém não influenciou os teores de P nas plantas. O aumento da salinidade reduziu a colonização micorrízica radicular e a respiração basal do solo, porém não influenciou a densidade de esporos de FMA no solo. De modo geral, as respostas observadas no solo (químicas e microbiológicas) e na planta, em conseqüência da salinidade, foram influenciadas pelo tempo de exposição do sistema solo/planta aos diferentes tratamentos de irrigação.
Abstract: The Northeast of Brazil region meets the soil-climate conditions for a favorable cultivation of the banana plant, which can be demonstrated by the prominent position of the region as a great banana producer in the country. The banana is a fruit consumed all over the world, so being intensively cropped everywhere; its importance involves economic, nutritional and social aspects. The soil salinity represents a fundamental stress factor on the banana yield and such soil salinity is very common in northeast of Brazil (semi-arid climate) soils where the crop is widely grown. Under this conditions, arbuscular mycorhizal fungi (AMF) have been investigated lately with the objective to evaluate the role of the fungus in decreasing the plant salinity stress effects. Thus, the present study had the objective to investigate the effects of different irrigation water salt levels on: (a) the soil salt accumulation, (b) on the fungus (AMF) colonization, and (c) on the banana Musa sp. seedling plant growth colonized with native AMF. An experiment was conducted under greenhouse conditions (belonging to Soil Science Department – Federal University of Ceará State – Campus PICI, Fortaleza city). The statistical design was an entirely randomized blocks, in subdivided plots, with a four harvest periods (40, 60, 80 and 100 days after planting), five level of soil salinity (0,5; 1,5; 2,5; 3,5 and 4,5 dS m-1) and four replicates, summing a total of 80 treatments. The banana seedling plants were subjected to a 40 days period of adaptation for fungus infection (mycorrization) and afterwards being irrigated with saline water. The first harvest was at the 40 days after the planting; the other harvests were done at the 60, 80, and 100 days after the planting. The following variables were evaluated: aerial plant dry matter, plant height, stem diameter, stomatal conductance, transpiration rate, photosynthetic rate, soil pH, soil electrical conductivity, root fungus colonization, estimates of AMF sporous, and soil basic respiration. Increase in the irrigation water salt level caused salt accumulation in the soil which was measured through soil electrical conductivity; the soil pH was not significantly affected. The increasing soil salinity did not cause significant differences in the following varables: stomatal conductance, plant transpiration rate, plant height, and stem diameter, otherwise, it reduced the photosynthetic rate and the plant aerial dry matter yield, notably at the 80th after planting. The increase in the salinity of the irrigation water caused a reduction of N and K plant concentrations, but increased the Na concentration an had no effect on the XIII P. The root fungus colonization and the basic soil respiration were both reduced by the salinity of the irrigation water; AMF fungus sporous formation in the soil was not affected. In general, the responses observed in both soil (chemical and microbiological) and plant, as results of the water salinity, were affected by the time exposure of the system soil/plant to the different salinity irrigation water levels.
Descrição: MASCENA, A. M. Desenvolvimento inicial da bananeira micorrizada e atividade microbiana em neosolo quartzarenico irrigado com água salina. 88 f. 2010. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas) - Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/4975
Aparece nas coleções:PPGASNP - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_dis_ammascena.pdf1,86 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.