Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/50140
Title in Portuguese: Psicologia, direitos humanos e economia política: uma análise das atuais formas de governamentalidade a partir das cartilhas do CREPOP
Title: Psychology, human rights and political economy: an analysis of current forms of government from the CREPOP books
Author: Vale, Felipe Cardoso
Advisor(s): Benevides, Pablo Severiano
Keywords: Direitos Humanos
Economia Política
Psicologia
CREPOP
Políticas Públicas
Issue Date: 2019
Citation: VALE, Felipe Cardoso. Psicologia, direitos humanos e economia política: uma análise das atuais formas de governamentalidade a partir das cartilhas do CREPOP. 76f. - Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Centro de Humanidades, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Fortaleza (CE), 2019.
Abstract in Portuguese: Está dissertação busca refletir acerca da relação tênue e imbricada que permeia os campos da psicologia, Direitos Humanos e economia política. Utilizando Michel Foucault, como autor central para as discussões que estamos propondo, buscamos nas cartilhas do Centro de Referencias Técnicas em psicologia e Politicas Publicas (CREPOP), verificar a relação que se dá entre Direitos Humanos e economia política no campo da psicologia mediante estes documentos, pois O psicólogo que é guiado pelo CREPOP e que tem nas cartilhas um caminho a seguir é, também, mediador ou um negociante que tenta codificar demandas em termos de Direitos Humanos como resultados, dados e eficiências em termos de Economia Política, destacando a importância das cartilhas do centro para o profissional de psicologia e de como esta apresenta os Direitos Humanos. Para isto, iremos primeiramente apresentar de forma breve uma história dos Direitos Humanos, para melhor contextualizar e em seguida como este se apresentou na relação com a psicologia a partir dos anos 90, momento este pós redemocratização do Brasil e da constituição de 1988, considerando este um momento fortuito para estas analises que envolvem os Direitos Humanos no espaço da psicologia, como apresentado pelos dez artigos que utilizamos para melhor exemplificar esta relação e a imbricação que se encontra entre os temas que mencionamos. Foram selecionadas quatro cartilhas para analise, os critérios para esta seleção foram as cartilhas que tem como tema central as questões próprias de Direitos Humanos e não as que constam como espaços de trabalho (Psicólogo no CRAS ou CREAS), então as cartilhas foram: Referências técnicas para a atuação do (a) psicólogo (a) nos Programas de DST (2008), Referência para atuação de psicólogas (os) em serviços de atenção à mulher em situação de violência (2012), Relações raciais: referências técnicas para atuação de psicólogas/os (2017), Referências técnicas para atuação de psicólogas (os) em políticas públicas de álcool e outras drogas (2019). Nestas cartilhas vimos como muitos dos argumentos que eram pautados pelos Direitos Humanos, na verdade eram mais ligados a aspectos econômicos e neoliberais, onde os “direitos” eram ocultados em nome de um aspecto econômico, ou seja, o trabalho do psicólogo apontado pelas cartilhas e em nome dos Direitos Humanos era para a produção de uma economização da vida. Por fim, não buscamos com isso dizer que os Direitos Humanos são falaciosos ou que não servem, estamos com esta dissertação apontando a partir das cartilhas do CREPOP, como o tema é complexo no campo da psicologia e com isso trazendo também uma complexidade para o trabalho do profissional que atua em espaço de políticas públicas e que muitas vezes está produzindo e reproduzindo uma estrutura de poder coercitivo mesmo sem perceber. O que buscamos, todavia, foi refletir em cima destes temas para, enfim, problematizar o que nos parecia pouco problematizado.
Abstract: This dissertation seeks to reflect on the tenuous and intertwined relationship that permeates the fields of psychology, human rights and political economy. Using Michel Foucault, as the central author for the discussions we are proposing, we sought in the booklets of the Center for Technical Reference in Psychology and Public Policy (CREPOP) to verify the relationship between Human Rights and political economy in the field of psychology through these documents. The psychologist who is guided by CREPOP and has a way forward in the booklets is also a mediator or a trader who tries to codify demands in terms of human rights as results, data and efficiencies in terms of political economy, highlighting the importance the booklets of the center for the psychologist and how it presents human rights. For this, we will first briefly present a history of human rights, to better contextualize and then how it presented itself in relation to psychology from the 90's, this time after the redemocratization of Brazil and the 1988 constitution, considering this It is a fortuitous moment for these analyzes that involve human rights in the space of psychology, as presented by the ten articles that we use to better exemplify this relationship and the imbrication that is found among the themes we mentioned. Four booklets were selected for analysis, the criteria for this selection were the booklets that have as their central theme human rights issues and not those that appear as workspaces (Psychologist at CRAS or CREAS), so the booklets were: Technical references for the performance of the psychologist in the STD Programs (2008), Reference for the performance of psychologists in care services for women in situations of violence (2012), Racial relations: technical references for the performance of psychologists / os (2017), Technical References for the Performance of Psychologists in Public Policy on Alcohol and Other Drugs (2019). In these booklets we saw how many of the arguments that were guided by human rights were actually more linked to economic and neoliberal aspects, where “rights” were hidden in the name of an economic aspect, that is, the work of the psychologist pointed out by the booklets and in the name of human rights it was for the production of a life saving. Finally, we do not seek to say that human rights are fallacious or not useful, we are with this dissertation pointing from the booklets of CREPOP, as the theme is complex in the field of psychology and thus also bringing complexity to the work. of the professional who works in public policy space and who is often producing and reproducing a coercive power structure even without realizing it. What we sought, however, was to reflect upon these themes in order to finally problematize what seemed to us little problematized.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/50140
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_dis_fcvale.pdf879,25 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.