Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/5036
Título: Tipificação de comunidades como instrumento para adequação de políticas públicas
Autor(es): Pinheiro, José César Vieira
Ribeiro, Maria de Fátima de Sousa
Campos, Robério Telmo
Palavras-chave: Tipificação
Comunidades rurais
Água salobra
Data do documento: 2004
Editor: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural - SOBER, 42
Citação: PINHEIRO, J. C. V. ; RIBEIRO, M. F. S. ; CAMPOS, R. T. (2004)
Resumo: Este trabalho teve como principais objetivos tipificar e caracterizar as comunidades rurais cearenses abastecidas com água subterrânea cujo teor de sal está acima de 1.000 mg L-1 e que foram contempladas com dessalinizadores instalados pelo Governo do Estado do Ceará. O universo que compõe o estudo está constituído por 95 comunidades pertencentes a 36 municípios. Apesar de haver comunidades inseridas numa mesma área geográfica, estas não podem ser consideradas iguais, visto apresentarem características peculiares. Assim, este estudo mostra a importância do papel da tipificação em programas e projetos de desenvolvimento e, até certo ponto, explica os fracassos e erros de muitos projetos que em sua fase de elaboração não levaram em consideração as características, necessidades e problemas específicos das comunidades. Depois da delimitação do universo de comunidades, a primeira prioridade foi obter os dados, buscando a informação mais atualizada possível que tivesse relação com os objetivos propostos. Em seguida, partiu-se para a aplicação da análise fatorial através da análise das vinte e duas variáveis disponíveis. Foram selecionadas treze variáveis relevantes para o processo de tipificação e identificados três fatores assim denominados: F1(Fator Social), F2 (Fator Econômico-Tecnológico) e F3(Fator Hídrico). Para a obtenção dos grupos homogêneos de comunidades, foi realizada a análise de cluster. O Grupo I está representado por um total de 45 comunidades que têm como características principais o baixo número de famílias, baixa renda, alta salinidade, baixa vazão dos poços, alta demanda por carro-pipa, alto número de dessalinizadores quebrados e menor oferta de água dessalinizada por família; o Grupo II, formado por 37 comunidades, encontra-se numa posição intermediária entre os outros dois; e o Grupo III, com 13 comunidades apresentam o melhor desempenho dos indicadores acima descritos. Feita esta caracterização, para cada grupo foi indicada políticas públicas mais adequadas as peculiaridades. Assim, para algumas comunidades seria muito mais indicado o uso de dessalinizadores, enquanto que para outras, a política apropriada seria uma ação intensiva de educação ambiental e para outras o uso de carros-pipa. O importante é a percepção de que não podem ocorrer políticas de suprimento de água uniformes para comunidades com perfis diferentes.
Descrição: PINHEIRO, José César Vieira; RIBEIRO, Maria de Fátima de Sousa; CAMPOS, Robério Telmo. Tipificação de comunidades como instrumento para adequação de políticas públicas. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL - SOBER, 42., 2004, Cuiabá - MT. Anais... Juiz de Fora - MG: SOBER, UERJ,UFMG, Embrapa gado de leite, p. 1-15, 2004
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/5036
ISSN: 0103-2003
1806-9479
Aparece nas coleções:DEA - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2004_eve_rtcampos.pdf155,06 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.