Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/50372
Title in Portuguese: Avaliação do letramento funcional em saúde e a autoeficácia em pessoas com diabetes tipo 2
Author: Medina, Luis Angel Cendejas
Advisor(s): Caetano, Joselany Áfio
Keywords: Diabetes Mellitus
Autoeficácia
Issue Date: 14-Feb-2020
Citation: MEDINA, L. A. C. Avaliação do letramento funcional em saúde e a autoeficácia em pessoas com diabetes tipo 2. 2020. 144 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.
Abstract in Portuguese: Introdução: A educação em saúde é uma das principais ferramentas utilizada pelos enfermeiros na ajuda das pessoas com diabetes tipo 2 para atingir o controle da doença. Assim, informações claras, individualizadas e específicas acerca da doença e tratamento são essenciais para retardar e/ou evitar complicações. No entanto, a capacidade de confiança em realizar as atividades de cuidado que a doença demanda é outra parte essencial neste processo de cuidado e controle da doença. Portanto, torna-se necessário avaliar o nível de Autoeficacia (AE) e o Letramento Funcional em saúde (LFS) nas pessoas com diabetes tipo 2. Objetivo: Analisar o Letramento Funcional em Saúde e a Autoeficácia em pessoas com Diabetes tipo 2. Método: Trata-se de Estudo descritivo transversal correlacional realizado durante os meses de setembro e outubro de 2019. A amostra foi composta por 196 pessoas com DM2. Para coletar os dados foi utilizado os seguintes instrumentos: formulário com variáveis sociodemográficas e clínicas; a escala DMSES para mensurar a Autoeficácia e, por último, o instrumento B-TOFHLA que avaliou o Letramento Funcional em Saúde. Foi testada a normalidade (Shapiro Wilk) da distribuição dos dados obtidos, escore de AE e LFS, ao não obter normalidade na distribuição dos dados, se analisou cada um por separado (AE e LFS), utilizando o analise bivariado (Mann-Whitney e Kruskal walls), junto com as variáveis mensuradas e desse modo corroborar significância estatística (p<0,05) com o LFS e AE. Resultados: Houve predomínio de mulheres (52,04%), com companheiro (56,63%), escolaridade >9 anos (66,30%), tempo de diagnóstico em média de 13,66 anos, predominou o uso de hipoglicemiantes orais e insulina (44,90%), sobrepeso (44,90%), hipertensão (62,24%). A maior parte da população apresentou valores alterados de glicemia (68,88%) e hemoglobina glicada (94,39%). Em relação à média da escala de AE foi de 4,01 pontos e 55,1 % da população apresentou alta AE. Em quanto ao LFS a média foi de 74,75 (dp ±16,35) pontos e houve prevalência de um LFS adequado (57,14%). Houve significância estatística entre AE e as seguintes variáveis: idade (p<0,05), anos de estudo (p<0,05), tempo de diagnostico (p<0,05), uso da internet (p<0,05), hemoglobina glicada (p<0,05), com relação ao LFS, verificou-se associação estatisticamente significante com: idade (p<0,05), escolaridade (p<0,05), uso da internet (p<0,05) e a presença de AVC (p<0,05). Conclusão: A maior parte dos participantes apresentou um grau adequado de Letramento Funcional em Saúde e alta autoeficácia no cuidado em diabetes; contudo, não houve associação com significância estatística entre o LFS e AE, conseguimos observar que pessoas com um LFS adequado obtiveram maior pontuação na escala de AE em comparação com quem obteve um LFS inadequado. De modo que a presença do LFS e da AE é de grande ajuda para o tratamento medicamentoso e não medicamentoso (controle glicêmico, exercício físico, dieta) e prevenção de complicações.
Abstract: Introduction: Health education is one of the main tools used by nurses to help people with type 2 diabetes to achieve disease control. Thus, clear, individualized and specific information about the disease and treatment are essential to delay and / or avoid complications. However, the ability to confidently perform the care activities that the disease requires is another essential part of this process of care and disease control. Therefore, it is necessary to assess the level of Self-efficacy (SE) and Health Literacy (HL) in people with type 2 diabetes. Objective: To analyze Functional Health Literacy and Self-efficacy in people with type 2 Diabetes. Method: This is a descriptive cross-sectional correlational study conducted during the months of September and October 2019. The sample consisted of 196 people with DM2. To collect the data, the following instruments were used: form with sociodemographic and clinical variables; the DMSES scale to measure Self-efficacy and, finally, the B-TOFHLA instrument that assessed Functional Health Literacy. Was tested the normality (Shapiro Wilk) of the distribution of the obtained data SE and HL score, when not obtaining normality in the data distribution, each one was analyzed separately (SE and HL), using the bivariate analysis (Mann-Whitney and Kruskal walls), together with the measured variables and thus corroborating statistical significance (p <0.05) with the HL and SE. Results: There was a predominance of women (52.04%), with a partner (56.63%), education > 9 years (66.30%), time of diagnosis on average of 13.66 years, the use of oral hypoglycemic agents and insulin predominated (44.90%), overweight (44.90%), hypertension (62.24%). Most of the population presented altered values of glycemia (68.88%) and glycated hemoglobin (94.39%). In relation to the average of the SE scale it was 4.01 points and 55.1% of the population presented high SE. Regarding the HL, the average was 74.75 (SD ± 16.35) points and there was a prevalence of an adequate HL (57.14%). There was statistical significance between SE and the following variables: age (p <0.05), years of study (p <0.05), time since diagnosis (p <0.05), internet use (p <0.05) ), glycated hemoglobin (p <0.05), regarding LFS, there was a statistically significant association with: age (p <0.05), education (p <0.05), internet use (p <0 , 05) and the presence of stroke (p <0.05). Conclusion: Most participants had an adequate degree health literacy and high self-efficacy in diabetes care; however, there was no statistically significant association between the HL and SE, we were able to observe that people with an adequate HL obtained higher scores on the SE scale compared to those who obtained an inadequate HL. So, the presence of HL and SE are of great help for drug and non-drug treatment (glycemic control, physical exercise, diet) and prevention of complications.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/50372
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_dis_lacmedina.pdf273,6 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.