Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/5180
Título: A arte da sustentabilidade da pesca na comunidade da Prainha do Canto Verde, Beberibe-CE
Autor(es): Almeida, Henrique Luís de Paula e Silva de
Pinheiro, José César Vieira
Palavras-chave: Pesca artesanal
Certificação
Indicadores de sustentabilidade
Data do documento: 2004
Editor: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural - SOBER, 42
Citação: ALMEIDA, H. L. P. S. ; PINHEIRO, J. C. V. (2004)
Resumo: A pesca é uma das principais atividades econômicas da zona costeira cearense, além de ser uma importante atividade de subsistência para as mais de cem comunidades tradicionais existentes na região. Além de sua notada relevância para a sustentação da população cearense, a pesca artesanal marítima é também uma grande fonte de inspiração da cultura litorânea, que diariamente se renova no vai e vem das embarcações artesanais, acompanhando o ritmo dos ciclos naturais. Com o objetivo de discutir caminhos sustentáveis para a atividade, fazemos aqui uma reflexão sobre a arte da sustentabilidade da pesca artesanal de uma comunidade tradicional, Prainha do Canto Verde, Beberibe/CE. O trabalho é parte de uma pesquisa-ação de Dissertação do Programa Regional de Desenvolvimento e Meio Ambiente da rede PRODEMA-UFC. O estudo, empreendido em 2002, foi realizado a partir de oficinas de trabalho participativo, aplicação de questionários e entrevistas formais e informais, com moradores e técnicos que atuam na área. Uma reflexão sobre a sustentabilidade da pesca marítima no Ceará passa, inevitavelmente, pela comparação entre a pesca artesanal e a industrial, bem como pela discussão sobre a gestão participativa da atividade. Em uma comunidade como a Prainha do Canto Verde, onde a pesca é tipicamente artesanal, encontramos diversos elementos que garantem a sustentabilidade da atividade, tais como o uso predominante de recursos naturais renováveis, a diversidade de espécies capturadas, a divisão solidária dos frutos do trabalho e o baixo custo econômico de operação. Além disso, iniciativas de gestão participativa da pesca na comunidade mostram que não só é possível, mas necessária, a descentralização da gestão pesqueira no Estado, que deve contar com ampla participação dos pescadores. Neste processo, a certificação da sustentabilidade da pesca, idealizada pelo WWF (World Wildlife Fund) e empreendida pela ONG inglesa MSC (Marine Stewardship Concil), pode ser um importante instrumento. No entanto, uma pré-avaliação, realizada pelo MSC na comunidade, indica limitações de seu programa para a certificação de sustentabilidade da pesca artesanal. Acreditamos que um processo como este deve ter como foco a atividade pesqueira da comunidade, ao invés da saúde do estoque pesqueiro, que não é só de uso da comunidade. É importante ainda considerar os demais aspectos da vida comunitária que direta ou indiretamente tem influência sobre a sustentabilidade da pesca, bem como é necessário estabelecer um processo participativo de monitoramento, baseado na escolha e no uso de indicadores de sustentabilidade e com amplo envolvimento dos atores locais.
Descrição: ALMEIDA, Henrique Luiz de Paula e Silva de; PINHEIRO, José César Vieira. A arte da sustentabilidade da pesca na comunidade da Prainha do Canto Verde, Beberibe-CE. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL - SOBER, 42., Cuiabá-MT, 2004. Anais... Brasília: SOBER, 2004. p. 1-17
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/5180
ISSN: 0103-2003
1806-9479
Aparece nas coleções:DEA - Trabalhos apresentados em eventos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2004_eve_jcvpinheiroaa.pdf173,23 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.