Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/52720
Title in Portuguese: Atuação clínica do farmacêutico na adesão ao tratamento de pacientes oncológicos em cuidados paliativos
Author: Carvalho, Denilla Maria Serpa
Advisor(s): Fonteles, Marta Maria de França
Keywords: Cooperação e Adesão ao Tratamento
Farmacêuticos
Cuidados Paliativos
Issue Date: 22-Aug-2019
Citation: CARVALHO, D. M. S. Atuação clínica do farmacêutico na adesão ao tratamento de pacientes oncológicos em cuidados paliativos. 2019. 102 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.
Abstract in Portuguese: Introdução: É comum, pacientes em Cuidados Paliativos, apresentarem mais de um sintoma simultaneamente e serem polimedicados, necessitando de atenção especial e suporte de uma equipe multiprofissional, incluindo o farmacêutico. Objetivo: Estudar os aspectos da atuação clínica do farmacêutico no cuidado ao paciente oncológico em Cuidados Paliativos como membro ativo de uma equipe multiprofissional. Métodos: Estudo intervencional com abordagem quantitativa, prospectivo e analítico. Os dados foram coletados de 36 pacientes no período de seis meses no Ambulatório de Cuidados Paliativos do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes e divididos em dois grupos, o que recebeu orientação farmacêutica e o outro que não recebeu orientação. Resultados: O estudo, na sua maioria, é composto de pacientes idosos, do sexo masculino, fumantes há mais de 45 anos e de baixa escolaridade. Trata-se de pacientes críticos, com várias comorbidades, polimedicados e com limitação física para as atividades diárias. A adesão ao tratamento foi aumentada significativamente no grupo que recebeu orientação farmacêutica (p= 0,011). O teste de adesão BMQ obteve p= 0,007, com forte evidência na diferença dos resultados, na consulta farmacêutica, entre os grupos com e sem orientação farmacêutica. Foi observado que no grupo com orientação farmacêutica o valor de PPS aumentou ou foi mantido na maioria dos casos, representando uma melhora do estado funcional dos pacientes. Com relação aos sintomas avaliados pela aplicação da escala ESAS, a diferença da mediana para sete sintomas, foi considerável entre os grupos, no grupo com orientação farmacêutica houve uma melhora clínica considerável, a partir do controle dos sintomas físicos e psicológicos, o que evidencia o resultado esperado do uso da terapia medicamentosa instituída de maneira segura e racional baseada na orientação farmacêutica, intervindo para melhorar o cuidado, o conforto e o alívio do sofrimento dos pacientes. Conclusão: Os achados reforçam que as orientações farmacêuticas contribuíram com a provável adesão ao tratamento, repercutindo na melhoria clínica do paciente. O que mostra a colaboração farmacêutica na otimização da farmacoterapia, garantindo o acesso e o uso seguro do medicamento. Com essa atenção prestada, torna mais humanística a abordagem nos Cuidados Paliativos daqueles que sofrem com uma doença tão difícil como o câncer.
Abstract: Introduction: It is common for patients in palliative care to have more than one symptom simultaneously and be polymedicated, requiring special attention and support from a multidisciplinary team, including the pharmacist. Objective: To study aspects of the pharmacist's clinical performance in the care of cancer patients in Palliative Care as an active member of a multiprofessional team. Methods: Interventional study with a quantitative, prospective and analytical approach. Data were collected from 36 patients over a six-month period at the Ambulatory of Palliative Care at of “Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes” and divided into two groups, which received pharmaceutical guidance and the other which did not receive guidance. Results: The study, in its majority, is composed of elderly patients, male, smokers for more than 45 years and with low education. These are critical patients, with several comorbidities, polymedicated and with physical limitations for daily activities. Treatment adherence was significantly increased in the group that received pharmaceutical guidance (p = 0.011). The BMQ adherence test obtained p = 0.007, with strong evidence of the difference in results, in the pharmaceutical consultation, between the groups with and without pharmaceutical guidance. It was observed that in the group with pharmaceutical guidance the value of PPS increased or was maintained in most cases, representing an improvement in the functional status of patients. Regarding the symptoms evaluated by the application of the ESAS scale, the difference in the median for seven symptoms was considerable between the groups, in the group with pharmaceutical guidance there was a considerable clinical improvement, based on the control of physical and psychological symptoms, which shows the expected result of the use of drug therapy instituted in a safe and rational manner based on pharmaceutical guidance, intervening to improve the care, comfort and relief of patients' suffering. Conclusion: The findings reinforce that the pharmaceutical guidelines contributed to the probable adherence to treatment, reflecting on the patient's clinical improvement. Which shows the pharmaceutical collaboration in the optimization of pharmacotherapy, guaranteeing the access and the safe use of the medicine. With this attention, it makes the palliative care approach more humanistic for those who suffer from a disease as difficult as cancer.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/52720
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DFAR - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_dis_dmscarvalho.pdf1,41 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.