Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/555
Título: O uso pré-operatório da l-alanil–glutamina em pacientes submetidos a revascularização cardíaca com circulação extracorporea e sua repercussão sobre as concentrações séricas de indicadores do estresse oxidativo, de mediadores inflamatórios, de metabolitos e sobre o controle glicemico
Título em inglês: Pre-operative use of l-alanyl–glutamine in pacients submitted to myocardial revascularization with extracorporeal bypass and its repercussions on blood plasma metabolites concentrations of oxidative stress, inflammatory mediators and glycemic control
Autor(es): Hissa, Miguel Nasser
Orientador(es): Vasconcelos, Paulo Roberto Leitão de
Palavras-chave: Endocrinologia
Doença da Artéria Coronariana
Glicemia
Glutamina
Insulina
Data do documento: 2008
Citação: HISSA, M. N. (2008)
Resumo: Estudos recentes tem apontado um efeito deletério da hiperglicemia persistente em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca. O controle glicemico estrito abaixo de 110 mg/dl com insulina tem demonstrado exercer um efeito antiinflamatório em pacientes críticos,melhorando o prognostico da doença. A glutamina, um aminoácido condicionalmente essencial durante o estresse, promove a utilizacao de glicose e aumenta a sensibilidade a insulina em pacientes criticos. Objetivou-se, no presente trabalho, estudar os efeitos de doses nutracêuticas de L-alanil-glutamina (L-Ala-Gln) administrada no período pré-operatório, associada ao uso intra e pós-operatório da infusão de insulina. Vinte e dois pacientes adultos (idade media: 63,4 anos), candidatos a cirurgia de revascularizacao do miocárdio com circulação extracorporea (CEC), foram randomizados em 2 grupos: Grupo salina (GS) e Grupo L-Ala-Gln (GG). Receberam por via endovenosa uma infusão de 1.000 ml de solução salina (GS) ou 250ml de uma solução de L-Ala-Gln a 20% diluída em 750 ml de soro fisiológico, nas 3 horas que precederam a intervenção cirúrgica. A insulina foi administrada ininterruptamente, durante a realizacao do procedimento cirúrgico, a ambos os grupos. Amostras de sangue foram coletadas antes e apos a infusão da solução salina ou da L-Ala-Gln [tempo basal (T-0) e pre-operatorio (T-1) respectivamente]; antes e apos a circulação extracorporea (CEC) e no final do período operatório (T-2); e 12 e 24 horas no período pós-operatório (T3). Foram analisadas as seguintes variáveis: Insulina, peptídeo C, creatinofosfoquinase (CPK), lactato desidrogenase (LDH), Proteína C reativa ultra-sensível (PCR), IL-1, IL-6, IL-10, TN-, metabolitos (lactato, piruvato, acetoacetato e 3-hidroxibutirato), substancias reativas ao acido tiobarbiturico (TBARS), glutationa reduzida (GSH) e estado antioxidante total (TAS). Através da punção digital, amostras de sangue capilar foram coletadas, para analise da glicemia, nos periodos T-0, T-1, a cada hora durante a cirurgia (T-2) e a cada 2 horas apos a cirurgia (T-3). Apesar da administração exógena de insulina durante a cirurgia ter sido constante em ambos os grupos, nos pacientes do grupo GG, a insulinemia permaneceu em concentração semelhante em todos os períodos, enquanto que no grupo GS elevou-se em T-2 e T-3 comparado ao valor basal (T-1) (31.9+/-28.8 Versus 6.56+/5.4, p=0.013). O aumento da concentração plasmática de glucose foi significativamente menor nos pacientes tratados com L-Ala-Gln no período intra quando comparado ao grupo controle (129.9+/-15.2 versus 158.6+/-18.6, p= 0.003). Não se observaram alterações significantes nas concentrações sericas das demais variáveis estudadas entre os dois grupos. Conclui-se que a administração pré-operatório de doses nutraceuticas de L-Ala-Gln em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca com revascularizacao do miocárdio com CEC induz uma menor elevação da glicemia concomitante a menor elevação da insulinemia, o que ressalta o uso potencial da administracao pré-operatório desse dipeptideo para atingir um melhor controle glicemico e melhorar a sensibilidade a insulina.
Abstract: Recent studies have pointed out the negative effects of persistent hyperglycemia in cardiac surgery patients. Tight glucose control below 110 mg/dL with insulin has been shown to exert anti-inflammatory effects in critically ill patients. Glutamine, a conditionally essential amino acid during stress, has been shown to promote glucose utilization and to increase insulin sensitivity in trauma patients. The present study aimed to access the effects of nutraceutical doses of L-alanyl-glutamine preoperatively in a prospective, randomized, controlled, double-blind study. Twenty-two elective patients (63 ± 8 years) with coronary artery disease scheduled for coronary artery bypass grafting were randomly assigned to receive either saline 1000 ml (Group Saline, n=11) or L-alanyl-glutamine 20% (250ml) in saline to final volume 1000 ml (Group L-alanyl-glutamine, n=11). The infusions were started 3 h prior to the operative procedure and lasted 3 hours. Blood samples were collected 3h before [Basal (T-0)], just before the beginning of the surgical procedure [Preoperative (T-1)], at the onset and at the end of the extra-corporeal perfusion (T-2), and at the end of the surgical procedure (Intraoperative). Additional samples were colleted 12 and 24 h later (Postoperative). The following variables were analysed: Insulin, peptide C, creatine phosphokinase (CPK), lactate deshydrogenase (LDH), high sensibility protein C (PCR), IL-1, IL-6, 1L-10, TNF-α, metabolites (lactate, pyruvate, acetoacetate, 3-hidroxibutyrate), reactive substances to thiobarbituric acid (TBARS), reduced glutathione (GSH) and total antioxidant state (TAS). Glucose level were analysed throught capillary blood sample obtained by digital puncture in the periods T-0, T-1, every hour during surgery (T-2) and every two hours after surgery (T-3). Despite the exogenous insulin infusion rate to be constant in both groups during the operation, insulinemia was kept at similar concentrations at all periods studied in patients who received the dipeptide. On the other hand, control patients increased their insulinemia during the intra (T-2) and post-operative period (T-3) as compared to basal values (T-0) (31.9+/-28.8 Versus 6.56+/-5.4, p=0.013). Glucose increasing plasma concentrations were significantly decreased in L-alanyl-glutamine treated patients during the intraoperative period as compared to control patients (129.9+/-15.2 versus 158.6+/-18.6, p= 0.003). No significant difference were observed between the two groups on plasma concentration of others variables studied. In conclusion, the infusion of nutraceutical doses of L-alanyl-glutamine prior to operative period in patients submitted to coronary artery bypass grafting with extracorporeal perfusion, reduce the glicemic surge compared to control patients, without increasing insulin plasma concentrations as compared to their basal values This prospective study highlights the potential use of preoperative L-alanyl-glutamine administration in heart surgery patients to attain glucose control and to improve insulin sensitivity
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/555
Aparece nas coleções:DCIR - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2008_tese_mnhissa.pdf1,94 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.