Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/55514
Title in Portuguese: Epidemiologia do HIV/AIDS em população adulta do Chile, no período de 2000 a 2017
Author: Sanzana, Carlos Erasmo Sanhueza
Advisor(s): Kerr, Ligia Regina Franco Sansigolo
Co-advisor(s): Kendall, Bernard Carl
Keywords: HIV
Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Tuberculose
Mortalidade
Chile
Issue Date: 28-Jul-2020
Citation: SANZANA, C. E. S. Epidemiologia do HIV/AIDS em população adulta do Chile, no período de 2000 a 2017. 2020. 147 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.
Abstract in Portuguese: Introdução: A infecção por HIV/Aids é uma epidemia de importância para a saúde pública global, que tem levado milhões de vidas. Estima-se que 38 milhões de pessoas vivem com HIV/Aids (PVHA). A coinfecção TB-HIV continua a ser a principal causa de óbito entre PVHA, especialmente nos países em desenvolvimento. Objetivo: Descrever as características epidemiológicas e clínicas da infecção por HIV/Aids na população adulta do Chile entre o período de 2000 a 2017. Método: Trata-se de um estudo multimétodo, de tipo observacional retrospectivo, analisando a prevalência das novas infecções por HIV/Aids na população adulta acima de 15 anos, a partir dos Registros de Doenças de Notificação Compulsória (ENO) de 26.143 casos relatados. Teste exato de Fisher e Qui-quadrado de Pearson foram aplicados para variáveis associadas à prevalência de HIV/Aids. Além disso, foi feito um estudo de sobrevivência de 17.512 pessoas que iniciaram TARV no sistema público de saúde. Foram aplicados modelo não paramétrico de Kaplan Meier e modelo de regressão de Cox para as variáveis associadas à mortalidade por coinfecção por TB-HIV. Resultados: Observou-se um aumento de novas infecções por HIV/Aids na população jovem (15 a 29 anos). Houve um aumento da prevalência de HIV entre homens que fazem sexo com homens (HSH), uma redução da relação homem-mulher de 7,2 para 5,2 no período 2012-2017. Encontramos um aumento de novas infecções por HIV em povos indígenas de 200%, entre grupos étnicos Aymara e Mapuches. As regiões com maiores prevalências, por 100.000 hab., foram Arica e Parinacota com 22,4, Valparaíso com 6,7, e Metropolitana com 6,9. Observou-se que 11% das pessoas foram a óbito, uma densidade de incidência de 0,05 por 39.283 pessoas-ano. As seguintes variáveis caracterizaram fator de risco para óbito: coinfecção TB-HIV (HR 1,4; IC95%: 1,2-1,7), linfócitos T CD4+ <500 cel/𝑚𝑚3 (HR 3,2; IC95%: 2,2-4,9), carga viral do início de tratamento >10.000 cop/uL (HR 1,3; IC 95%: 1,2-1,6). Escolaridade de nível médio ou superior foi fator protetor (HR 0,76; IC95%: 0,6–0,9). Conclussão: A epidemia de HIV/Aids no Chile passa por um cenário de feminização do HIV. A mortalidade concentrou-se em pessoas coinfectadas por TB-HIV. Os povos indígenas como os Aymaras e Mapuches emergem como populações vulneráveis à epidemia. Sugerimos desenvolver melhorias na prevenção combinada, acesso a estratégias comunitárias, educação sexual nas escolas e intervenções estruturais em questões de política de Saúde Pública.
Abstract: Introduction: HIV/Aids infection is an epidemic of importance to global public health, that has claimed millions of lives. It is estimated that 38 million People lives with HIV/Aids (PLWHA) in the world, TB-HIV coinfection it remains the to be the main cause of death in PLWHA, especially in developing countries. Objetive: Describe the epidemiological and clinical characteristics of HIV/Aids infection in the adult Chilean population between 2000 to 2017 period. Method: This is an a multi-method retrospective observational study; analyzing the prevalence of new HIV/Aids infections in the adult population over 15 years of age, based on the Records of Compulsory Notification Disease (ENO) of 26,143 reported cases. It was applied Fisher's exact and Pearson´s chi-square test for variables associated with the prevalence of HIV/Aids. In addition, a survival study of 17,512 people admitted to ART in the public health system was carried out. Non-parametric Kaplan Meier and Cox regression models were performed for associated variables with mortality from TB-HIV coinfection. Results: It was observed an increase of new HIV/Aids infections in young population (15 to 29 years old). We found an increase of the prevalence of HIV in men who have sex with men (MSM) population, and a reduction in the male-female ratio from 7.2 to 5.2. We found an increase of 200% of new HIV infections of indigenous peoples, between Aymara and Mapuche ethnic groups. The regions with the highest prevalence rates were founded in Arica and Parinacota with 22.4/100,000 hab. Valparaíso 6.7 and Metropolitana 6.9. It was observed that 11% of people died, incidence density 0.05 per 39,283 person-years. The following variables characterized a risk factor for death: TB-HIV coinfection (HR 1.4; CI95%: 1.2-1.7), CD4+ liphocytes<500 cel/𝑚𝑚3 (HR 3.2; CI95%: 2.2-4.9), a load viral of admission to treatment >10,000cop/uL (HR 1.3; CI95%: 1.2-3.0). Secondary school or higher education was a protective factor for deaths from TB-HIV coinfection (HR 0.76; CI95%: 0,6-0.9). Conclusion: The HIV/Aids epidemic in Chile is experiencing a scenario of feminization of HIV, the mortality was concentrated in TB-HIV coinfected people. Additionally, indigenous peoples, such as the Aymara and Mapuche emerge as vulnerable populations to the epidemic. We suggest improvements in combined prevention, access to community-based strategies, sex education in schools and structural interventions in the field of public policy issues.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/55514
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGSP - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_dis_cessanzana.pdf3,71 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.