Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/57952
Title in Portuguese: Morte de mulheres nas dinâmicas da violência urbana em Fortaleza: diálogos com mulheres-integrantes de movimentos feministas e de organizações da sociedade civil
Title: The death of women in the dynamics of violence in Fortaleza: dialogues with female stakeholders from feminist movements and civil rights organizations
Author: Sousa, Ingrid Sampaio de
Advisor(s): Barros, João Paulo Pereira
Keywords: Violência Urbana
Gênero
Juventude
Psicologia
Feminismo
Interseccionalidade
Issue Date: 2020
Citation: SOUSA, Ingrid Sampaio de. Morte de mulheres nas dinâmicas da violência urbana em Fortaleza: diálogos com mulheres-integrantes de movimentos feministas e de organizações da sociedade civil. Orientador: João Paulo Pereira Barros. 2020. 135 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Programa de Pós-graduação em Psicologia, Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.
Abstract in Portuguese: Fortaleza situa-se como uma das cidades mais violentas do Brasil, matando cada vez mais jovens e adolescentes. Mais especificamente, os últimos três anos apontam para um aumento significativo de mortes de jovens mulheres nas dinâmicas da violência urbana. Esta dissertação tem por objeto os processos psicossociais relativos à problemática da morte de mulheres nas dinâmicas da violência urbana em Fortaleza, que se desdobra a partir da seguinte questão-problema: Que leituras integrantes de coletivos feministas e de organizações da sociedade civil produzem sobre a problemática da morte de mulheres em contexto de violência urbana na cidade de Fortaleza? Propomos, então, um diálogo entre a psicologia social, referências do campo das filosofias, tais quais Michel Foucault, Gilles Deleuze, Félix Guattari e Judith Butler, e, além disso, também compomos este debate em conjunto às perspectivas transfeministas, interseccionais e críticas à colonialidade, a partir de dialogos com Sayak Valencia, Sueli Carneiro, Lélia Gonzalez, Achille Mbembe e Angela Davis, por exemplo. A montagem plural das caixas de ferramentas teóricas da pesquisa se justifica pelo entendimento de que uma perspectiva transdisciplinar pode nos ajudar a analisar a complexidade desses processos psicossociais na capital alencarina. Buscamos, portanto, como objetivo geral da pesquisa, cartografar processos psicossociais relativos à problemática da morte de mulheres nas dinâmicas da violência urbana, na cidade de Fortaleza, percebendo, portanto, seus movimentos, a partir dos sentidos produzidos por mulheres integrantes de coletivos feministas e/ou organizações da sociedade civil que têm pautado o assunto na capital cearense. Para tal, separamos três objetivos específicos: 1) Conhecer como integrantes de coletivos feministas e/ou organizações da sociedade civil analisam as transformações das dinâmicas da violência e seus efeitos sobre mulheres inseridas nas periferias da cidade; 2) Discutir como, nas análises produzidas com mulheres, interseccionam-se marcadores sociais no processo de vitimização de mulheres nas dinâmicas da violência criminal em Fortaleza; 3) Refletir sobre práticas de resistências à problemática da morte de mulheres produzidas por coletivos feministas e/ou de organizações da sociedade civil. Utilizaremos, portanto, duas ferramentAções: observação participante e entrevistas semi-estruturadas. Aqui, as entrevistas semi-estruturadas terão função de ferramenAção principal, sendo complementadas com o acompanhamento de atos e processos de mobilização social em torno da temática, com o uso do diário de campo. Nesse sentido, é questão entender essas novas dinâmicas da violência urbana e produzir com mulheres que atuam em movimentos e organizações do campo dos direitos humanos narrativas críticas acerca desse fenômeno. Os resultados da pesquisa sedelineiam a partir de cinco analisadores: 1) a relação do fenômeno do assassinato de mulheres nas conflitualidades urbanas com uma rede de violências contra mulheres; 2) a seletividade dessa forma específica de vitimização, ao problematizarmos quem são as mulheres que estão morrendo nas dinâmicas da violência criminal em Fortaleza, a partir da intersecção de diferentes marcadores sociais; 3) Os efeitos das transformações da violência criminal no Ceará na precarização da vida de mulheres periféricas; 4) A brutalidade dos assassinatos de mulheres exibidos em vídeos que viralizam nas redes sociais e a partir do dispositivo da “decretação”; 5) A narrativa de criminalização das mulheres que morrem a partir da produção psicossocial da imagem da "Envolvida" e 6) as formas, caminhos, experiências e pistas de resistência que mulheres que integram movimentos feministas e organizações da sociedade civil têm produzido coletivamente. Esperamos, então, com esse trabalho, conseguir fomentar outros olhares com relação aos fenômenos da morte de mulheres nas dinâmicas da violência urbana, que sejam capazes de ampliar ferramentas para inter(in)venções nesse campo. Buscamos, também, visibilizar a potência das lutas de coletivos e movimentos feministas no que se refere ao enfrentamento dessa lógica de violência contra mulheres, bem como dar ênfase na potência de uma política de pesquisa em Psicologia Social que estabeleça alianças com diversas vozes feministas, potencializando movimentos de afirmação de vidas "vivíveis" como resistência às tecnologias necropoliticas.
Abstract: Fortaleza is one of the most violent cities in Brazil, with a crescent amount of deaths among teenagers and the youth. More specifically, the last three years point towards a significative increase of young women in the dynamics of urban violence. This work discusses the psychossocial processes concerning the issue of the women deaths in these dynamics of urban violence, that unfolds from the following problem-question: What sort of analysis the stakeholders from feminist groups produce in face of the problem of women‟s death in the context of urban violence in Fortaleza? We propose a dialogue, therefore, between social psychology, relevant authors from the field of philosophy, such as Michel Foucault, Gilles Deleuze, Félix Guatarri and Judith Butler, and, additionally, amongst transfeminist, intersectional and decolonial perspectives, through a discussion with Sayak Valencia, Sueli Carneiro, Lélia Gonzalez, Achille Mbembe and Angela Davis, for example. The pluralist assembly of the toolbox of research theories is justified by the understanding that a transdisciplinar perspective may help us to analyze the complexity of such process in the city of Fortaleza. We aim, therefore, as general goal of the research, to cartograph the psychossocial processes regarding the problem of women‟s death in the dynamics of urban violence in this city, considering, in that way, its movements from the sensemaking eleborated from women integrating feminist movements and/or civil organizations that are major stakeholders in this subject. In order to that, we have three specific aims: 1) To get to know how participants of feminist movements and/or civil organizations analyse the transformation of the dynamics of urban violence and its effects in women living in the marginalized areas of town. 2) To discuss how, in theses analyzes, there are intersections of social markers in the process of victimization of the women. 3) To reflect onto the practices of resistance to the problem of women‟s death that these movements and/or civil organizations produce. We shall use two “ferramentAções”: participative observation and semi-structured interviews. Here, these interviews will have the function of main “ferramentAção”, being complemented by the participation in acts and social mobilization processes concerning this problem, with the use of the field journal. In this sense, it is a question to understand these dynamics and to coproduce critical narratives regarding this phenomena with women that act in movements and organizations in the field of human rights. The results of the research are structured in five analyzers: 1) The relation of the phenomena of women‟s murdering within the urban conflicts in a network of violence against women; 2) the selectivity of this particular form of victimization, as we problematize who are these women dying in the dynamics of violence ofFortaleza with the intersection of different social markers; 3) The effects of the transformation of criminal violence in Fortaleza in the "social deterioration" of these women from the outskirts of town; 4)The brutality of the murdering of women exhibited in videos that go viral in social networks through the dispositive of “decretation”; 5) The narrative of criminalization of women who die in this context throught the creation of the psychosocial image of the “envolvida”, and 6) the ways, paths, experiences and clues of resistance that women who integrate feminist movements and civil organization have been producing collectively. We hope, therefore, with this work, to facilitate other perspectives into the phenomenom of women‟s death in the dynamics of urban violence, that are capable of enhancing the tools to “intervene” in this field. We aim, also, to frame the potency of this collective fights from feminist movements and civil organizations regarding their challenging of these logic of violence against women, as well as to emphasize the potency of a politics of research in Social Psychology that can establish alliances with several female voices, allowing "liveble" lifes movements to be affirmed as resistance against technologies of necropolitics.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/57952
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGP - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_dis_issousa.pdf1,23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.