Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59635
Title in Portuguese: Decisão de engravidar no contexto da ZIKA: uma abordagem qualitativa
Author: Santos, Mayara Paz Albino dos
Advisor(s): Kendall, Bernard Carl
Co-advisor(s): Kerr, Ligia Regina Franco Sansigolo
Keywords: Zika Vírus
Planejamento Familiar
Gravidez
Saúde Reprodutiva
Issue Date: 26-Feb-2021
Citation: ALBINO DOS SANTOS, M. P. Decisão de engravidar no contexto da ZIKA: uma abordagem qualitativa. 2021. 151 f. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2021.
Abstract in Portuguese: A epidemia de Zikano período 2015-2016 foi uma emergência pública com repercussões pessoais, sociais, econômicas e políticas que afetou fortemente a saúde materno-infantil no Brasil. Isso levou a recomendações das autoridades em saúde para adiar a gravidez e uma diminuição geral na taxa de natalidade no país. Atualmente a doença não é mais uma emergência, mas seus efeitos continuam sendo sentidos e a zika permanece como uma importante questão de saúde pública. O objetivo do presente estudo é compreender a decisão de engravidar das mulheres em contexto de epidemia Zika vírus (ZIKV) frente às recomendações das autoridades de saúde. A pesquisa foi desenvolvida com uma abordagem qualitativa, sendo realizadas 51 entrevistas face a face com mulheres em idade fértil na cidade de Fortaleza, Ceará, Brasil, utilizando um guia de pesquisa semiestruturado aberto e baseado na metodologia Avaliação Etnográfica Rápida (REA). O guia continha tópicos embasados em entrevistas-piloto iniciais e uma revisão da literatura científica. A amostragem foi intencional e tentou incluir uma diversidade de mulheres de classes sociais, idades e estágio reprodutivo diferentes. Participaram do estudo mulheres com faixa etária de 20 a 29 anos, com ensino médio completo, cor parda, casadas, com filhos e com algum tipo de atividade remunerada. Os resultados demonstram o caráter multidimensional da tomada de decisão para engravidar e, em contradição com as evidências demográficas nacionais mais amplas, a epidemia de Zika não afetou a intenção de engravidar, o conhecimento, o uso de anticoncepcionais ou outros métodos de planejamento familiar. Também foi identificado, uso inconsistente de métodos de planejamento familiar e a ambivalência em relação ao uso de anticoncepcionais, sugerindo um panorama sociocultural complexo no qual essas mulheres estão inseridas. Apesar das recomendações das autoridades em saúde para que houvesse aconselhamento sobre os riscos da gravidez durante a epidemia de Zika pelos profissionais de saúde, essa ação nunca foi operacionalizada por parte do estado. Assim, a recomendação unidimensional declarativa para evitar a gravidez parece ser insuficiente para abordar essa decisão complexa. A inadequação da resposta do sistema de saúde à prevenção destaca a necessidade de um desenvolvimento cuidadoso de intervenções integradas e abrangentes, além de um planejamento minucioso na implementação de políticas e ações em saúde não apenas para Zika, mas também para outras possíveis epidemias.
Abstract: The Zika epidemic in the 2015-2016 period was a public emergency with personal, social, economic and political repercussions that strongly affected maternal and child health in Brazil. This led to recommendations by health authorities to postpone pregnancy and a general decrease in the birth rate in the country. Currently, the disease is no longer an emergency, but its effects continue to be felt and Zika remains an important public health issue. The aim of the present study is to understand the decision to get pregnant by women in the context of a Zika virus (ZIKV) epidemic in the light of the recommendations of health authorities. The research was developed in a qualitative approach. 51 face-to-face interviews were carried out with women of childbearing age in the city of Fortaleza, Ceará, Brazil, using an open semi-structured research guide based on the methodology Rapid Ethnographic Assessment (REA). The guide contained topics based on initial pilot interviews and a review of the scientific literature. The sampling was intentional and attempted to include a diversity of women from different social classes, ages and reproductive stages. The average profile of the sample was women aged 20 to 29 years, with complete high school, mixed race, married, with children and with some type of paid activity. The results demonstrate the multidimensional character of decision-making to become pregnant and, in contradiction to the broader national demographic evidence, the Zika epidemic did not affect the intention to become pregnant, knowledge, the use of contraceptives or other methods of family planning. It was also identified, inconsistent use of family planning methods and ambivalence in relation to the use of contraceptives, suggesting a complex socio-cultural panorama where these women are inserted. Despite recommendations from health authorities to provide health professionals with advice on the risks of pregnancy during the Zika epidemic, this action was never implemented by the state. The declarative one-dimensional recommendation to avoid pregnancy appears to be insufficient to address this complex decision. The inadequacy of the health system's response to prevention highlights the need for careful development of integrated and comprehensive interventions, in addition to thorough planning in the implementation of health policies and actions not only for Zika, but also for other possible epidemics.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59635
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:PPGSP - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.