Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59727
Title in Portuguese: Condições de saúde bucal e acesso aos serviços de saúde bucal da população de 5 e 12 anos do município de Fortaleza-CE
Author: Saldanha, Kátia de Góis Holanda
Advisor(s): Almeida, Maria Eneide Leitão de
Keywords: Epidemiologia
Saúde Bucal
Saúde Pública
Issue Date: 22-Jun-2021
Citation: SALDANHA, K. G. H. Condições de saúde bucal e acesso aos serviços de saúde bucal da população de 5 e 12 anos do município de Fortaleza-CE. 2021. 125 f. Tese (Doutorado em Odontologia) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2021.
Abstract in Portuguese: Os levantamentos epidemiológicos em saúde bucal são os principais instrumentos de pesquisa epidemiológica que geram dados primários para o conhecimento da prevalência e tipologia das doenças bucais. Neste sentido, o objetivo desta pesquisa foi determinar as condições de saúde bucal, caracterizar socioeconômica crianças de 5 e 12 anos em Fortaleza, Ceará, Nordeste, e analisar o acesso aos serviços odontológicos. Trata-se de estudo de caráter descritivo e transversal com crianças de 5 e 12 anos. Foram examinadas 4.729 crianças, por 30 cirurgiões-dentistas, os quais participaram de treinamento teórico/prático e de calibração Inter examinador. O Kappa final apresentou o valor de 0,87. Os exames foram realizados utilizando-se a ficha clínica adaptada do levantamento epidemiológico SB Brasil 2010. Os pais/responsáveis responderam ao questionário sobre caracterização socioeconômica, acesso aos serviços e percepção sobre saúde bucal. Os dados foram analisados pelo teste Qui-quadrado de Pearson ou Exato de Fisher, considerando o P<0,05. As variáveis que mostraram valores de P<0,2 foram incluídas no modelo de regressão logística multinominal (modelo forward stepwaise). Os valores encaixados no modelo que apresentarem diferença significativa tiveram suas odds ratios e IC 95% expostas. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Ceará com o parecer nº 3.092.816. Observou-se que, na idade de 5 anos, 57,1% das crianças estavam livres de cárie, e o ceo-d médio foi de 1,65 (±2,65), com predominância do componente cariado (93%) em sua composição. Não foram encontradas alterações gengivais significantes e a presença de má oclusão foi identificada em 45,2% das crianças. Na idade de 12 anos, observou-se que, 67,3 % das crianças estavam livres de cárie e o CPO-D médio foi de 0,86 (±1.52). A prevalência de fluorose foi de 41,5% e 56,6% dos escolares não apresentaram sangramento gengival e cálculo nos sextantes examinados. A prevalência de má oclusão foi observada em 40,3% dos escolares. Em relação à utilização dos serviços odontológicos, 51,8% das crianças pesquisadas já tinham ido ao dentista alguma vez na vida. Crianças moradoras da Coordenadoria Regional de Saúde (CORES) V (OR=0,58), e número de pessoas por domicílio elevado (OR=3,51) apresentaram menor associação com uso dos serviços de saúde bucal. Estudar em escola privada (OR=3,51) e possuir automóvel foram fatores fortemente associados com visita ao dentista. Considerar a saúde bucal boa/ótima (OR1,57), absenteísmo escolar (OR=2,21), evitar sorrir (OR=2,70) e sentir dor (OR=1,99) foram condições associadas com maior utilização dos serviços. Comprometimento da fala devidos problemas bucais (OR=0,58) tiveram baixa associação com utilização do serviços. Conclui-se que, nas idades de 5 e 12 anos, o Município de Fortaleza apresenta baixa severidade de cárie e baixa prevalência de doença periodontal. A fluorose apresenta-se em maior prevalência na forma muito leve. Quanto à severidade das oclusopatias detectadas, prevaleceu a má oclusão definida aos 12 anos, e oclusopatias leves na idade de 5 anos. O baixo acesso aponta para um quadro de iniquidades em saúde bucal e a importância do planejamento das ações, considerando os fatores sociais, econômicos e culturais nas escolhas das propostas de intervenção nos agravos estudados.
Abstract: Epidemiological surveys in oral health are the main instruments of epidemiological research that generate primary data for the knowledge of the prevalence and typology of oral diseases. In this sense, the objective of this research was to determine oral health conditions, characterize the socioeconomic status of children aged 5 and 12 years in Fortaleza, Ceará, Northeast, and analyze access to dental services. This is a descriptive and cross-sectional study with children aged 5 and 12 years. A total of 4,729 children were examined by 30 dental surgeons, who participated in theoretical/practical training and Inter-examiner calibration. The final Kappa presented a value of 0.87. The examinations were performed using the clinical form adapted from the epidemiological survey SB Brasil 2010. Parents/guardians answered a questionnaire on socioeconomic characteristics, access to services and perception of oral health. . Data were analyzed using Pearson's chi-square test or Fisher's exact test, considering p<0.05. Variables showing p values <0.2 were included to a multinominal logistic regression model (forward stepwaise model). Values fitted into the model that present a significant difference had their odds ratios and 95% CI exposed. The research was approved by the Research Ethics Committee of the Universidade Federal do Ceará under opinion nº 3.092.816. It was observed that, at the age of 5 years, 57.1% of the children were free of caries, and the mean dmft was 1.65 (±2.65), with a predominance of the carious component (93 %) in its composition. No significant gingival changes were found and the presence of malocclusion was identified in 45.2% of the children. At the age of 12 years, it was observed that 67.3% of the children were free of caries and the mean DMFT was 0.86 (±1.52). The prevalence of fluorosis was 41.5% and 56.6% of the students did not present gingival bleeding and calculus in the examined sextants. Regarding the use of dental services, 51.8% of the children surveyed had already been to the dentist at some point in their lives. Children living in the Regional Health Coordination (CORES) V (OR=0.58), and a high number of people per household (OR=3.51) were less associated with the use of oral health services. Studying at a private school (OR=3.51) and owning a car were factors strongly associated with visits to the dentist. Considering good/optimal oral health (OR1.57), school absenteeism (OR=2.21), avoiding smiling (OR=2.70) and feeling pain (OR=1.99) were conditions associated with greater use of services. Speech impairment due to oral problems (OR=0.58) had a low association with service use. It is concluded that at ages 5 and 12 years, the city of Fortaleza has low caries severity and low prevalence of periodontal disease. Fluorosis is most prevalent in its very mild form. As for the severity of the malocclusions detected, malocclusion defined at 12 years of age prevailed, and mild malocclusions prevailed at the age of 5 years. Low access point to a picture of inequalities in oral health and the importance of planning actions considering social, economic and cultural factors in the choices of intervention proposals for the diseases studied.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/59727
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:DCOD - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2021_tese_kghsaldanha.pdf2,38 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.