Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/60175
Title in Portuguese: A metáfora da filosofia enquanto uma iniciação como chave de leitura do pensamento socrático-platônico
Title: The metaphor of philosophy as an initiation as a key to the reading of Socratic thought-Platonic
Author: Pinto, Sebastião Lima Holanda
Advisor(s): Araújo, Hugo Filgueiras de
Keywords: Iniciação
Mistérios
Linguagem
Conhecimento
Experiência
Banquete
Initiation
Mysteries
Language
Knowledge
Experience
Symposium
Issue Date: 2021
Citation: PINTO, Sebastião Lima Holanda. A metáfora da filosofia enquanto uma iniciação como chave de leitura do pensamento socrático-platônico. 2021. 183 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2021.
Abstract in Portuguese: Este trabalho investiga a hipótese de que a recorrente metáfora - presente no contexto do pensamento socrático-platônico -, a qual caracteriza a filosofia como um processo análogo a uma iniciação aos mistérios, pode ser aplicada na articulação de uma chave hermenêutica privilegiada que permite uma compreensão abrangente da filosofia de Sócrates e Platão. Num primeiro momento, investigamos a dificuldade que se impõe para nós, observadores contemporâneos, ao tentarmos compreender a natureza da atividade filosófica - como descrita por Sócrates e Platão - a partir do nosso paradigma contemporâneo de filosofia, empreendendo, para isso, um exame de três problemas estruturais: 1) as críticas aos limites do lógos presentes nos diálogos platônicos; 2) os sinais de continuidade entre experiência religiosa - em especial a que diz respeito aos antigos cultos de mistérios gregos - e a filosofia socrático-platônica; 3) as indicações de que a filosofia socrático-platônica não se reduz a uma mera atividade de explicitação teórica desinteressada da realidade, mas que diz respeito, sobretudo, a uma atividade prática que se orienta no sentido da realização de certos fins determinados. A partir disso, procedemos à investigação da hipótese de que explorar o sentido da caracterização da filosofia como um rito iniciático pode nos dar um paradigma de compreensão privilegiado que nos permite integrar essas três questões - que emergem como problemáticas para uma leitura delas a partir do nosso paradigma contemporâneo de filosofia - em uma unidade compreensiva não conflituosa. Para isso, exploramos a natureza da experiência mistérica na Grécia Antiga e então demonstramos as evidências da apropriação da estrutura ritual e da linguagem iniciática própria dos mistérios de Elêusis no Banquete de Platão, para então investigarmos o sentido geral da caracterização da filosofia como um rito iniciático no pensamento socrático-platônico, e assim demonstrarmos como essa metáfora ajuda a esclarecer a própria natureza da filosofia socrático-platônica.
Abstract: This work investigates the hypothesis that the recurrent metaphor - present in the context of Socratic-Platonic thought -, which characterizes philosophy as a process analogous to an initiation into the mysteries, can be applied in the articulation of a privileged hermeneutic key that gives an embracing understanding of Socrates and Plato's philosophy. At first, we investigate the difficulty imposed to us, contemporary observers, when trying to understand the nature of philosophical activity - as described by Socrates and Plato - from our contemporary Philosophy paradigm, undertaking, for this, an examination of three structural problems: 1) the criticism concerning the limits of the logos present in Platonic dialogues; 2) the signs of continuity between religious experience - especially those that which concerns the ancient Greek mystery cults - and Socratic-Platonic Philosophy; 3) the indications that Socratic-Platonic Philosophy is not reducible to a mere activity of theoretical disinterested explanation of reality, but that it concerns, above all, a practical activity that is oriented towards the realization of certain specific ends. With that in mind, we investigate the hypothesis that exploring the meaning of the characterization of Philosophy as an initiation rite can give us a privileged understanding paradigm that allows us to integrate those three questions - which emerge as problematic for a reading of them from our contemporary paradigm of Philosophy - in a comprehensive, non-conflicting unit. To do this, we explore the nature of the experience of the mysteries in Ancient Greece, and then we demonstrate the evidences of the appropriation of the ritual structure and the initiatic language, proper to the Eleusinian mysteries, at Plato's Symposium, to then investigate the general meaning of the characterization of philosophy as an initiatory rite in Socratic-Platonic thought, and thus demonstrate how this metaphor helps to clarify the very nature of Socratic-Platonic philosophy.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/60175
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:PPGFILO - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2021_dis_slhpinto.pdf1,4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.