Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/60627
Title in Portuguese: Estudo da estabilidade e avaliação do efeito do extrato de chá verde (Camellia sinensis) microencapsulado em modelo experimental de lesão gástrica induzida por etanol em camundongos
Title: Stability study and evaluation of the effect of green tea extract (Camellia sinensis) microencapsulated in an experimental model of ethanol-induced gastric injury in mice
Author: Silva, Francisca Mayla Rodrigues
Advisor(s): Figueiredo, Raimundo Wilane de
Keywords: Camellia sinensis
Extrato
Microencapsulação
Estabilidade
Biodisponibilidade
Lesão gástrica
Issue Date: 2020
Citation: SILVA, Francisca Mayla Rodrigues. Estudo da estabilidade e avaliação do efeito do extrato de chá verde (Camellia sinensis) microencapsulado em modelo experimental de lesão gástrica induzida por etanol em camundongos. 2020. 99 f. Tese (Doutorado em Biotecnologia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.
Abstract in Portuguese: Dentre os constituintes do chá verde (Camellia sinensis), destacam-se os compostos fenólicos e a cafeína, os quais têm sido associados a várias atividades biológicas no organismo. Esses compostos podem apresentar instabilidade em condições de luz e oxigênio, provocando perda nas suas propriedades bioativas. Este trabalho teve como objetivo obter evidências científicas do poder de encapsulação do extrato de chá verde, avaliando a estabilidade das microcápsulas e estudando seu efeito funcional e a ação em um modelo experimental de lesão gástrica induzida por etanol em camundongos. O extrato de chá verde (ECV) foi obtido a partir de folhas imersas em etanol a 75% utilizando banho ultrassônico. A microcápsula de extrato de chá verde (MECV) foi obtida por atomização utilizando ECV como material de núcleo e a goma do cajueiro e maltodextrina como material de parede. As microcápsulas apresentaram menores valores de umidade (1,42%), higroscopicidade (3,66%) e atividade de água (0,36) quando comparadas ao extrato puro, demonstrando que a encapsulação auxilia no aumento da vida útil do extrato. A amostra MECV foi caracterizada como sendo de maior luminosidade (L* = 77,94), menor intensidade da cor vermelha (a* = 0,84) e maior intensidade da cor amarela (b* = 23,80). O estudo da estabilidade demonstrou a viabilidade do uso de MECV, uma vez que foram encontrados melhores resultados de manutenção dos polifenóis extraíveis totais e a atividade antioxidante, bem como maior manutenção da umidade, atividade de água e cor avaliados durante o período de armazenamento de 75 dias. Foram obtidos elevados níveis de compostos fenólicos totais e de capacidade antioxidante total para a amostra MECV com valores de 14964,4 mg/100g e 1187,4 μM de Trolox.g-1, respectivamente, demonstrando o potencial a ser explorado da amostra MECV como fonte de compostos de interesse. Foi demonstrado que MECV fornece maior biodisponibilidade dos polifenóis extraíveis totais (28,2%) e da atividade antioxidante total (24,2%) quando comparada a amostra ECV, podendo sua ingestão diária fornecer resultados positivos para a saúde. As amostras ECV e MECV não apresentaram atividade larvicida nas concentrações avaliadas frente a Artemia salina, não apresentaram toxicidade nas concentrações testadas frente ao Zebrafish adulto e não apresentaram citotoxicidade para as células epiteliais humanas estudadas, sendo consideradas amostras seguras e de possível utilização como aditivo em novos produtos. ECV e MECV (10 mg/Kg) proporcionaram uma maior proteção da mucosa gástrica dos animais tratados, reduzindo a lesão gástrica provocada pela administração do etanolabs, bem como promoveram aumento nos níveis de GSH e redução dos níveis de MDA, indicando ação antioxidante reduzindo a possibilidade de peroxidação lipídica dos tecidos. Desta forma, verifica-se o 9 potencial para a indústria alimentícia do emprego das micropartículas como uma alternativa de aumentar a estabilidade dos compostos de interesse presentes no extrato de chá verde, além de fornecer um ingrediente alimentício cuja ingestão diária acarreta resultados positivos para a saúde.
Abstract: Among the constituents of green tea (Camellia sinensis), phenolic compounds and caffeine stand out, which have been associated with various biological activities in the body. These compounds may present instability in light and oxygen conditions, causing loss of bioactive properties. This work aimed to obtain scientific evidence of the encapsulation power of green tea extract, evaluating the stability of microcapsules and studying their functional effect and action in an experimental model of gastric lesion induced by ethanol in mice. The green tea extract (ECV) was obtained from leaves immersed in 75% ethanol using an ultrasonic bath. The green tea extract microcapsule (MECV) was obtained by atomization using ECV as the core material and cashew gum and maltodextrin as the wall material. The microcapsules showed lower values of humidity (1,42%), hygroscopicity (3,66%) and water activity (0,36) when compared to the pure extract, demonstrating that the encapsulation helps in increasing the life of the extract. The MECV sample was characterized as being of greater luminosity (L* = 77,94), less intensity of the red color (a* = 0,84) and greater intensity of the yellow color (b* = 23,80). The stability study demonstrated the feasibility of using MECV, since better results were found in maintaining the total extractable polyphenols and the antioxidant activity, as well as greater maintenance of moisture, water activity and color evaluated during the storage period of 75 days. High levels of total phenolic compounds and total antioxidant capacity were obtained for the MECV sample with values of 14964,4 mg/100g and 1187,4 μM of Trolox.g-1, respectively, demonstrating the potential to be explored from the MECV sample as source of compounds of interest. It has been shown that MECV provides greater bioavailability of total extractable polyphenols (28,2%) and total antioxidant activity (24,2%) when compared to the ECV sample, and its daily intake may provide positive health results. The ECV and MECV samples did not show larvicidal activity at the concentrations evaluated against Artemia salina, did not present toxicity at the concentrations tested against adult Zebrafish and did not present cytotoxicity for the studied human epithelial cells, being considered safe samples and possible use as an additive in new products. ECV and MECV (10 mg/kg) provided greater protection of the gastric mucosa of the treated animals, reducing gastric damage caused by the administration of ethanolabs, as well as promoting an increase in GSH levels and a reduction in MDA levels, indicating antioxidant action reducing possibility of tissue lipid peroxidation. In this way, the potential for the food industry of the use of microparticles as an alternative to increase the stability of the 11 compounds of interest present in the green tea extract is verified, in addition to providing a food ingredient whose daily intake brings positive health results.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/60627
metadata.dc.type: Tese
Appears in Collections:RENORBIO - Teses defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020_tese_fmrsilva.pdf2,14 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.