Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6110
Título: A manifestação da modalidade epistêmica em narrativas orais
Autor(es): Marino Neto, Francisco
Orientador(es): Nogueira, Márcia Teixeira
Palavras-chave: Linguistica
Funcionalismo
Modalidade Epistêmica
Narrativas Orais
Língua portuguesa - Modalidade
Funcionalismo(Linguística)
Análise do Discurso Narrativo
Fonctionnalisme
Modalité Épistémique
Récits Oraux
Data do documento: 2006
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: Marino Neto, F.; Nogueira, M. T. (2006)
Resumo: A presente pesquisa tem o objetivo de proceder a uma análise da manifestação da modalidade dita epistêmica (aquela que se circunscreve no eixo do conhecimento, em um continuum entre a certeza e a não-certeza, entre certo e possível) em narrativas orais, especificamente as narrativas de experiência pessoal e as narrativas recontadas, do Corpus Discurso & Gramática. A língua falada e escrita na cidade de Natal (FURTADO DA CUNHA, 1998). A investigação tem suporte na Gramática Funcional, assumindo que os enunciados se constituem em camadas que representam instâncias dos processos de modalização (DIK, 1997; HENGEVELD, 1987, 1988). Os resultados desta análise dizem respeito, primeiramente, à freqüência dos modalizadores epistêmicos nos dois tipos de narrativa; nesse caso, observou-se maior freqüência nas narrativas recontadas. Ainda com relação aos dois tipos de narrativa, ao se avaliar o nível de comprometimento no uso dos modalizadores epistêmicos, os resultados indicaram que os informantes tenderam bem mais para o descomprometimento com a veracidade dos conteúdos relatados. Nas narrativas orais, o escopo da modalização teve maior freqüência no nível da proposição; a segunda maior freqüência é relativa ao nível do termo e, por último, a modalização menos freqüente foi a que incidiu sobre a predicação. Com relação ao nível de descomprometimento relativo ao escopo da modalização epistêmica, a maior incidência deu-se no nível do termo, depois no da proposição e, finalmente, a modalização incidiu, com menor freqüência, no nível da predicação. Quantos aos meios lingüísticos utilizados para a modalização epistêmica nas narrativas orais, constatou-se a predominância do verbo, seguido do advérbio; o adjetivo, o substantivo e o pronome apresentaram freqüência bem reduzida. Conforme hipótese levantada, a narrativa de experiência pessoal apresentou menor índice de modalização. Em termos proporcionais, no entanto, o nível de descomprometimento foi menor nas narrativas recontadas. A qualificação epistêmica da proposição excedeu bastante a modalização epistêmica objetiva.
Descrição: MARINO NETO, Francisco. A manifestação da modalidade epistêmica em narrativas orais. 2006, 89f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Letras Vernáculas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Fortaleza-CE, 2006.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6110
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_dis_fmneto.pdf362,89 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.