Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/679
Título: Jornalismo de resistência: apropriação das estratégias discursivas do campo midiático pela Revista Sem Terra
Título em inglês: Journalism of resistance: ownership of the strategies of discursive field media by Revista Sem Terra
Autor(es): Menezes, Antonio Simões
Orientador(es): Nunes, Márcia Vidal
Palavras-chave: Movimentos Sociais
Jornalismo
Análise do Discurso
Jornalismo - Aspectos sociais – Brasil
Revista Sem Terra – Análise do Discurso
Movimentos Sociais Rurais – Brasil
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra
Analise do Discurso-Aspectos Sociais
Social Movements
Journalism
Discourse Analysis
Data do documento: 2010
Citação: Menezes, A. S.; Nunes, M. V. (2010)
Resumo: A comunicação é um dos diferenciais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Por meio de uma política de comunicação consolidada, ele objetiva ganhar mais visibilidade e conquistar o apoio da sociedade para suas causas e ações. A partir da observação aprofundada do jornalismo praticado por um dos mais veementes críticos da chamada grande imprensa, neste trabalho temos o objetivo básico de compreender como a Revista Sem Terra supostamente se apropria das estratégias discursivas do campo midiático para materializar e legitimar um discurso jornalístico informativo capaz de operar na construção social da realidade. Com o referencial teórico baseado em autores como Gohn (2007), Bourdieu (2007), Peruzzo (2008), Traquina (2005), Sponholz (2009), Sousa (2005), Melo (2003), as categorias fundamentais para a nossa análise foram apresentadas. O método selecionado foi a Análise do Discurso, pois os procedimentos pragmáticos, por também estarem preocupados com o contexto da enunciação, serão utilizados para buscar entender as intenções dos enunciadores. De acordo com autores como Maingueneau (2001), Foucault (2003), Bakhtin (1997) e Charaudeau (2006), foi realizada a análise do material empírico. Longe de defender uma visão purista da comunicação alternativa, com as mesmas estratégias discursivas da mídia comercial, a publicação estudada constrói uma realidade legitimadora do MST.
Abstract: Communication is one of the differentials of the Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Through a consolidated communications policy, it aims to gain more visibility and gain support from society for their causes and actions. From the detailed observation of journalism practiced by one of the most vehement critics of the so called mainstream media, in this work we aim to understand how the Revista Sem Terra supposedly appropriates the discursive strategies of the media field and to realize a legitimate journalistic discourse information can to operate in the social construction of reality. With the theoretical framework based on authors like Gohn (2007), Bourdieu (2007), Peruzzo (2008), Naughty (2005), Sponholz (2009), Sousa (2005), Melo (2003), the main categories for our analysis were presented. The method chosen was to Discourse Analysis, as pragmatic procedures, also for being concerned with the context of the utterance will be used to try to understand the intentions of speakers. According to authors like Maingueneau (2001), Foucault (2003), Bakhtin (1997) and Charaudeau (2006), was performed to analyze the empirical material. Far from advocating a purist vision of alternative communication, with the same discursive strategies of the commercial media, publication constructs a reality that legitimizes the MST.
Descrição: Menezes, Antonio Simões; Nunes, Márcia Vidal. Jornalismo de resistência: apropriação das estratégias discursivas do campo midiático pela Revista Sem Terra. 2010. 155f. - Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Fortaleza-CE, 2010.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/679
Aparece nas coleções:PPGCOM - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010_Dis_ ASMenezes.pdf1,29 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.