Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6897
Título: Influência da mecânica respiratória sobre a assincronia paciente-ventilador, na ventilação com pressão de suporte, com e sem sistema de disparo e ciclagem automáticos, e na ventilação assistida proporcional
Título em inglês: Influence of respiratory mechanics on patient-ventilator asynchrony in pressure support ventilation with and without automatic triggering and cycling system and proportional assist ventilation
Autor(es): Vasconcelos, Renata dos Santos
Orientador(es): Holanda , Marcelo Alcantara
Palavras-chave: Mecânica Respiratória
Respiração Artificial
Data do documento: 2013
Citação: VASCONCELOS, R. S. (2013)
Resumo: Contextualização: A obtenção de uma boa sincronia paciente-ventilador consiste em um dos maiores desafios no manejo da ventilação mecânica (VM). A ventilação com pressão de suporte ou pressure support ventilation (PSV) é uma modalidade ventilatória amplamente utilizada no processo de desmame da VM. A ventilação assistida proporcional ou proportional assist ventilation (PAV) é uma modalidade de suporte ventilatório onde o ventilador gera assistência proporcional e instantânea aos esforços do paciente. O Auto-Trak® digital consiste em uma tecnologia capaz de ajustar automaticamente, ciclo a ciclo, os mecanismos de disparo e ciclagem durante o modo PSV. Objetivos: Determinar a influência da mecânica respiratória sobre a assincronia paciente-ventilador durante os modos PSV, com e sem sistema de disparo e ciclagem automáticos e na PAV, em modelo pulmonar mecânico e identificar padrões nas curvas de ventilação apresentadas na tela do ventilador que sejam relacionadas aos tipos de assincronia investigados. Métodos: Trata-se de estudo experimental, de bancada utilizando o simulador pulmonar mecânico, ASL 5000®. Estudaram-se três perfis de mecânica respiratória: normal, obstrutivo e restritivo, com variação do tempo inspiratório neural 0,5, 1,0, 1,5 e 2,0 segundos, sendo a intensidade máxima do esforço muscular (Pmus) fixada em -7.5 cmH2O, durante a VM nos modos PSV e PAV, em cinco ventiladores de UTI, de circuito duplo, e um ventilador de circuito único. O Auto-Trak® foi estudado quando disponível no ventilador. Os desfechos primários foram: tempo de retardo inspiratório e tempo de assincronia de ciclagem identificando, neste segundo caso, dois tipos possíveis, ciclagem tardia ou precoce. Além disso, procedeu-se a uma análise por inspeção visual comparativa entre as curvas de mecânica: fluxo, VC e Pmus do ASL 5000® e as curvas na tela gráfica do ventilador mecânico de VC, fluxo e pressão x tempo, na tentativa de se identificar padrões associados à assincronia, que fossem passíveis de identificação pela simples observação na tela do ventilador pulmonar. Resultados: Houve marcante influência da mecânica respiratória sobre a assincronia paciente-ventilador. O tempo de retardo inspiratório foi maior e clinicamente significativo (> 100 ms) no perfil obstrutivo de mecânica respiratória, e foi menor, muitas vezes zero, no ventilador de circuito único; a assincronia de ciclagem foi comum no perfil obstrutivo, sendo predominantemente do tipo ciclagem tardia, enquanto no perfil restritivo predominou o tipo ciclagem precoce. O emprego do Auto-trak® eliminou a ocorrência de assincronia do tipo auto-disparo no ventilador de circuito único. A análise visual das curvas detectou padrões de traçados da curva de fluxo x tempo que são característicos de assincronia do tipo ciclagem precoce e ciclagem tardia e passíveis de identificação por inspeção visual direta na tela do ventilador. Conclusão: as assincronias de disparo e ciclagem entre o paciente e o ventilador são a regra e não a exceção durante os modos PSV e PAV, sendo estas influenciadas pela mecânica respiratória. O emprego do sistema Auto-trak®, mostrou benefício durante o uso do ventilador de circuito único com melhora substancial do disparo. A inspeção visual da curva de fluxo na tela do ventilador pode favorecer a identificação destes tipos de assincronia.
Abstract: Obtaining a good patient-ventilator synchrony is one of the biggest challenges in the management of mechanical ventilation (MV). Pressure support ventilation (PSV) is a ventilator mode widely used in the MV weaning process. Proportional assist ventilation (PAV) is a mode of ventilator support in which the ventilator generates assistance proportional and instant to the efforts of the patient. Digital Auto-TrakTM consists in a technology capable of automatically adjusting, cycle by cycle, the mechanisms of triggering and cycling in PSV mode. Objectives: To determine the influence of respiratory mechanics on patient-ventilator asynchrony during PSV mode, with and without automatic triggering and cycling system, and PAV, in a mechanic lung model and to identify patterns on ventilation curves presented on the ventilator screen, which are related to the types of asynchrony investigated. Methods: This is an experimental bench study using the mechanic lung model, ASL 5000TM. Three profiles of respiratory mechanics were studied: normal, obstructive and restrictive, with variation of neural inspiratory time of 0.5, 1.0, 1.5 and 2.0 seconds, with maximum intensity of muscle effort (Pmus) fixed in -7.5 cmH2O, during MV in PSV and PAV modes, in five ICU ventilators, with double limb, and in one single limb ventilator. Auto-TrakTM was studied when avaliable in the ventilator. Primary outcomes were: inspiratory delay time and cycling asynchrony time identifying, in the second case, two possible types, late or premature cycling. Furthermore, we proceeded to an analysis by visual inspection of the: flow, VT and Pmus curves of ASL 5000TM and the: VT, flow and pressure curves on the ventilator screen in an attempt to identify patterns associated to asynchrony that would be identified through simple observation. Results: There was a marked influence of respiratory mechanics on patient-ventilator asynchrony. The inspiratory delay time was higher and clinically significant in the obstructive profile of respiratory mechanics, and lower, many times “zero”, with the single limb ventilator. Cycling asynchrony was common in the obstructive profile, predominantly the late cycling type, while in the restrictive profile, the premature cycling type predominated. The use of Auto-TrakTM system eliminated the occurrence of auto triggering asynchrony type in the single limb ventilator. Visual analysis of the curves detected patterns of flow x time curves that are characteristic of premature and late cycling asynchrony types and which can be identified by direct visual inspection of the ventilator screen. Conclusion: Triggering and cycling asynchronies between the patient and the ventilator are the rule rather than the exception during PSV and PAV modes, which are influenced by respiratory mechanics. The use of Auto-TrakTM system showed benefit during the use of the single limb ventilator, with substantial improvement of the triggering. Visual inspection of the flow curve on the ventilator screen may favor the identification of these types of asynchrony.
Descrição: VASCONCELOS, Renata dos Santos. Influência da mecânica respiratória sobre a assincronia paciente-ventilador, na ventilação com pressão de suporte, com e sem sistema de disparo e ciclagem automáticos, e na ventilação assistida proporcional. 2013. 101 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina, Fortaleza, 2013.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6897
Aparece nas coleções:DMC - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_dis_rsvasconcelos.pdf5,08 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.