Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6989
Title in Portuguese: Religiosidade, adesão e qualidade de vida em pessoas vivendo com AIDS em uso de antirretrovirais
Title: Spirituality, adherence and quality of life levels in aids patients under antiretroviral treatment
Author: Fiuza, Maria Luciana Teles
Advisor(s): Galvão , Marli Terezinha Gimenez
Keywords: HIV
Qualidade de Vida
Adesão à Medicação
Issue Date: 2012
Citation: FIÚZA, M. L.T. Religiosidade, adesão e qualidade de vida em pessoas vivendo com AIDS em uso de antirretrovirais. 2012. 80 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.
Abstract in Portuguese: Teve-se como objetivo geral avaliar a relação da religiosidade na efetividade da adesão e da qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV/aids utilizando terapia antirretroviral. Trata-se de estudo de corte transversal, exploratório, com abordagem quantitativa, realizado no ambulatório de infectologia do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) da Universidade Federal do Ceará. Participaram 215 pessoas infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), em uso de terapia antirretroviral (TARV) por meio de entrevista estruturada, utilizada para a coleta de dados sociodemográficos e clínicos, sendo aplicados três instrumentos: o Questionário de avaliação da adesão ao tratamento antirretroviral (CEAT-VIH) que possui 20 itens; o Questionário para avaliação de qualidade de vida (WHOQOL-HIV Bref), composto por seis domínios; e a Escala de índice de religiosidade da Universidade Duke (Duke Religious Index – Durel) com três dimensões: Religiosidade Organizacional (RO), Religiosidade Não-Organizacional (RNO) e Religiosidade Intrínseca (RI). Os dados coletados foram analisados utilizando-se o programa estatístico STATA versão.11. Foram descritos os totais das principais características do estudo e estratificados de acordo com os graus de adesão. Realizou-se análises bivariadas, aplicados diferentes testes para comparação entre proporções e correlações. Para avaliação da consistência interna das respostas aos itens dos instrumentos, foi utilizado o coeficiente Alfa de Cronbach. Para avaliar a magnitude da adesão, foi utilizada a prevalência e a Razão de Prevalência. Em todas as análises foi adotado o nível de significância estatística de 5%. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa do HUWC. Os resultados demonstraram que as mulheres se apresentaram 45% menos aderentes do que os homens. As pessoas com idades entre 50 e 59 anos são aproximadamente três vezes menos aderentes. Ser heterossexual, possuir menos rendimentos, ter menores anos de estudo e estar desempregado, possuir três ou mais filhos e coabitar com quatro pessoas ou mais são as situações indicativas de menores níveis de adesão. Em relação à adesão aos antirretrovirais e a religiosidade observou-se que à medida que reduz o tempo para as atividades religiosas privadas também é reduzido o grau de adesão. Com relação à religiosidade e a qualidade de vida, existe relação entre apresentar condições físicas e o aumento da frequência a encontros religiosos e contar com suporte social amplia e frequência a encontros religiosos. As pessoas que participam de atividades religiosas privadas possuem aumento das crenças pessoais, religiosas e espirituais. Quanto à relação da adesão e a qualidade de vida, os domínios de qualidade de vida e os grupos de adesão (inadequada/adequada) diferiram entre si. Conclui-se que ser mulher, viver com baixos rendimentos, ter frequentado menos à escola, ter mais idade, ter mais filhos e coabitar com várias pessoas implicam em nível inadequado de adesão a TARV. Foi evidenciado que a religiosidade promove restrita influência na adesão, entretanto, a adesão repercute substancialmente na qualidade de vida.
Abstract: The general aim was to assess the contribution of religiosity to the effectiveness of adherence and quality of life in people under antiretroviral therapy. A cross-sectional study with a quantitative approach was developed at the outpatient clinic for infectious diseases of Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) at Universidade Federal do Ceará, Brazil. Participants were 215 people infected by HIV and under antiretroviral therapy (ARVT) between March and June 2012. A structured interview was used to collect sociodemographic and clinical data, and three instruments were applied: the Antiretroviral treatment adherence assessment questionnaire (CEAT-VIH), which consists of 20 items; the Quality of life assessment questionnaire (WHOQOL-HIV Bref), including six domains: and the Duke Religious Index – Durel, comprising three dimensions: Organizational Religiosity (OR), Non-Organizational Religiosity (NOR) and Intrinsic Religiosity (IR). The collected data were analyzed using STATA v.11. Total scores for the main characteristics were described and stratified according to the adherence levels. Bivariate analyses were performed and different tests were applied to compare proportions and correlations.To evaluate the internal consistency of the answers to the instrument items, Cronbach’s Alpha coefficient was used. To assess adherence, prevalence and the Prevalence Ratio were used. In all analyses, statistical significance was set at 5%. The study received approval from the research ethics committee at HUWC. The results demonstrated that the women were 45% less adherent than the men. Adherence levels are approximately three times lower among people between 50 and 59 years of age. Being heterosexual, gaining a lower income, having less years of education and being unemployed, having three or more children and living with four people or more are situations that indicate lower adherence levels. As regards adherence to antiretroviral therapy and religiosity, it was observed that shorter time for private religious activities also reduces adherence levels. As regards religiosity and quality of life, a possible relation exists between physical conditions and increased participation in religious meetings. Counting on social support can enhance attendance of religious meetings. People who participate in private religious activities show higher levels of personal, religious and spiritual beliefs. Concerning the relation between adherence and quality of life, distinctions are found between the quality of life domains and adherence groups (inappropriate/appropriate). In conclusion, being a woman, living on a low income, lower education level, older age, more children and living with different people entail an inappropriate adherence level to ARVT.As evidenced, the influence of religiosity on adherence is restricted, while adherence substantially affects quality of life.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/6989
metadata.dc.type: Dissertação
Appears in Collections:DENF - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_dis_mltfiuza.pdf777,26 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.