Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/807
Título: Tô maluco, mas tô em obra: a trajetória do artista moderno e as representações da loucura
Autor(es): REINHEIMER, Patrícia
Palavras-chave: Representações
Arte
Criação
Loucura
Representations
Art
Creation
Madness
Data do documento: 2010
Editor: Revista de Ciências Sociais
Citação: REINHEIMER, P. (2010)
Resumo: Este ensaio procura fazer uma comparação entre dois contextos históricos nos quais a aliança entre arte, psiquiatria e psicanálise foi acionada como recurso na transformação das representações do fenômeno artístico e da loucura. Para tanto, parto de reflexões sobre as transformações nos sistemas de valores que regem o fenômeno artístico no Brasil, em meados do século XX, consagrando a singularidade individual como lócus da produção artística moderna. A aliança entre arte, psiquiatria e psicanálise foi fundamental nesse processo, no qual estratégias, ações e comportamentos dos atores sociais construíram um sistema de representações que transformava o papel imaginário e o lugar simbólico ocupado pelo criador. A partir desse processo, tracei uma comparação entre a aliança arte, psiquiatria e psicanálise naquele contexto e o recurso às manifestações artísticas no contexto atual da “Reforma Psiquiátrica”, mostrando que ambas as representações, do louco e do artista, se constituem de valores antagônicos que podem ser acionados em situações diversas.
Abstract: This essay compares two historical contexts in which the alliance between art, psychology and psychiatry was set in motion as a resource in the transformation of madness’ and the artistic phenomenon’s representations. In such a way, I depart from the reflections on the transformations in the values’ systems that conducted the artistic phenomenon in Brazil, in middle of 20th century, consecrating the individual singularity as a locus of the modern artistic production. The alliance between art, psychology and psychiatry was fundamental in this process, in which social actors’ strategies, actions and behaviors had constructed a system of representations that transformed the imaginary role and the creator’s symbolic place. From this process, I compared the alliance between art, psychology and psychiatry in that context and the use of artistic manifestations in the current “Psychiatric Reformation”, showing that both representations, that of the insane and the artist, are constituted of antagonistic values.
Descrição: REINHEIMER, Patrícia. Tô maluco, mas tô em obra: a trajetória do artista moderno e as representações da loucura. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 41, n. 1, 2010, p. 48-66
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/807
ISSN: BL 0041-8862
Aparece nas coleções:DCSO - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2010-art_PReinheimer.PDF297,84 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.