Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/847
Título: Efeito protetor dos extratos de Ascaris suum e Coccidioides posadasii e da lectina da semente de Dioclea violacea na artrite por zymosan em ratos e camundongos
Título em inglês: Effect protector of the Ascaris suum and Coccidioides posadasii extracts and lectin of the seeds Dioclea violacea in arthritis zymosan in rats and mice
Autor(es): Leite, Ana Karine Rocha de Melo
Orientador(es): Rocha, Francisco Airton Castro da
Palavras-chave: Reumatologia
Ascaris suum
Coccidiodes posadasii
Artrite
Data do documento: 2009
Citação: LEITE, A. K. R. M., (2009)
Resumo: Interações entre a resposta imune inata e adquirida participam na fisiopatologia de doenças auto-imunes. Embora infecções estejam associadas ao desenvolvimento de artrites crônicas, é possível que exposição a alguns germes, como helmintos e fungos, potencialmente influencie a prevalência e/ou gravidade de doenças imunomediadas. Lectinas derivadas de plantas, por ação em receptores de resposta inata, podem modular inflamação. Nós investigamos o efeito dos extratos de Ascaris suum (AS) e de Coccidioides posadasii (CP) e de uma lectina isolada da Dioclea violacea (Dviol) na artrite induzida por zymosan (AZy). Ratos Wistar e camundongos Swiss receberam 1 mg ou 0,1 mg de zymosan intra-articular (i.art.), respectivamente. Grupos foram pré-tratados (30 min) com os extratos de AS (0,25 - 2,5 mg/animal; i.p ou p.o.), CP (1 - 100 µg/animal; i.art., i.p. ou p.o.) ou Dviol (0,3 - 30 µg i.art. ou 1 - 6 mg/Kg e.v.). Grupo não-tratado (NT) recebeu Zy (i.art.) e veículo. Animais naive receberam apenas salina (i.art.) e veículo. A hipernocicepção foi avaliada através do teste de incapacitação articular em s / 1min. O lavado articular foi usado para análise do influxo celular (IC), níveis de nitrito e citocinas. A sinóvia foi utilizada para histopatologia. O conteúdo de glicosaminoglicanos (GAG) da cartilagem foi quantificado para medir dano estrutural. O extrato de AS, seja i.p. ou p.o., inibiu de forma dose-dependente a hipernocicepção e o IC na AZy em relação ao grupo NT (P<0,01), bem como reverteu o dano articular avaliado pela quantificação de GAG e a sinovite vista à histologia. A administração do extrato de AS, reduziu significantemente os níveis de nitrito, inteleucina-1β (IL-1β) e IL-10, mas não de fator de necrose tumoral alfa (TNF-α), em relação ao NT. Em camundongos, o extrato de AS reduziu os níveis de IL-10, mas não de IL-1β ou TNF-α. O tratamento com o extrato de CP, seja i.p. ou p.o., inibiu significantemente a hipernocicepção e o IC na AZy, em relação ao NT, no entanto, não reverteu a lesão articular medida pela quantidade de GAG e histologia. A administração da Dviol, em animais naive promoveu IC significante, embora apenas a maior dose (30µg) promoveu hipernocicepção. Na AZy, a injeção i.art. da Dviol reduziu o IC e hipernocicepção de forma dose-dependente, em relação ao NT (P<0,01). A administração da Dviol (i.v.) reduziu ambos hipernocicepção e IC na AZy, em relação ao NT (P<0,01). O efeito da Dviol foi revertido quando essa lectina foi pré-incubada com manose 1 M. Os dados mostram que um extrato de AS promove melhora funcional e protege do dano estrutural na AZy, que são associados com redução na liberação de NO e citocinas i.art. Esse efeito independe da espécie e ocorre por via oral. Um extrato do fungo CP tem ação anti-inflamatória na AZy. Uma lectina isolada da Dviol reduz IC e hipernocicepção na AZy, provavelmente por acoplamento a um receptor de manose. Em conjunto, os resultados mostram que substâncias que agem em receptores de resposta inata modulam a inflamação articular imunomediada.
Abstract: The interactions between innate and acquired immune responses participate in the pathophysiology of the autoimmune diseases. Though infections are associate with the development of the chronic arthritis it is possible that exposure to some germs as helminthes and fungi influences potentially the prevalence and/or gravity of the immune diseases. Lectins derivate of the plants can modulate the inflammation by action in receptors of the innate response. We investigated the effect of extracts from Ascaris suum (AS), Coccidioides posadasii (CS) and a lectin isolated from Dioclea violacea (Dviol) in zymosan-induced arthritis (ZyA). Wistar rats and Swiss mice received 1 mg or 0.1 mg zymosan intra-articular (i.art.), respectively. Groups were pretreated (30 min) with AS (0.25 - 2.5 mg/animal; i.p. or p.o.) CP (1 - 100 µg/animal; i.art. i.p. or p.o) or Dviol (0.3 - 30 µg; i.art. or 1 - 6 mg/kg; i.v.). Non-treated group (NT) received Zy (i.art.) and the vehicle. Naive animals received just saline (i.art.) and the vehicle. The hypernociception was evaluated through articular incapacitation test in s/1min. The joint exudate was used for evaluation of cell influx (CI), nitrite and cytokine levels. The synovium was used for histopatology. The glycosaminoglycan (GAG) content of the cartilage was quantificated for the measured of the structural damage. The AS extract both i.p. and p.o. significantly and dose-dependently inhibited CI and hypernociception in ZyA as compared to NT (P<0.01) as well as reverted articular damage assessed by quantification of the GAG and by synovitis observed in the histology. The administration of the AS extract reduced significantly levels of nitrite, interleukin-1β (IL-1β) and IL-10, but not tumor necrosis factor alpha (TNF-α) as compared to NT. In mice, it reduced IL-10 but not IL-1β and TNF- α. The treatment with CP extract both i.p. and p.o. inhibited hypernociception and CI in ZyA as compared to NT, but not reverted articular injury measured by GAG and histology. The administration of the Dviol in naïve animals promoted CI significant, though just the highest dose (30 g) promoted hypernociception. In ZyA, Dviol (i.art.) reduced the CI and hypernociception dose-dependently (P<0.01). The administration of Dviol (i.v.) significantly reduced both the hyperalgesia and CI in ZyA as compared to NT (P<0.01). The effect of the Dviol was reverted when it was pre-incubated with mannose (1M). The date show that AS extract promote functional improve and protect of the articular damage in ZyA that are associate with reduction of the NO and cytokine (i.art.) liberation. This effect is species independent and functions orally. An extract of the fungi CP has anti-inflammatory activity in ZyA. A lectin isolated of the Dviol reduces CI and hypernociception in ZyA probably by coupling the mannose receptor. Together the results show that substances that act in receptors of the innate response modulate the immunomediate articular inflammation.
Descrição: LEITE, Ana Karine Rocha de Melo. Efeito protetor dos extratos de Ascaris suum e Coccidioides posadasii e da lectina da semente de Dioclea violacea na artrite por zymosan em ratos e camundongos. 2009. 70 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Ceará. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, Fortaleza, 2009.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/847
Aparece nas coleções:DMC - Teses defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_tese_akrmleite.pdf1,53 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.