Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17041
Título: Corpos no samba de cacete: tamboros, educação e gingas na dança ancestral afrocametaense
Título em inglês: Corpos sin samba de cacete: tambores, educação e gingas na Dança afrocametaense ancestral
Autor(es): Barbosa, Carmen Lucia
Orientador(es): Petit, Sandra Haydée
Palavras-chave: Marcadores das africanidades
O Samba de cacete Como facilitador hacer pertencimento afro
Sociopoética
Quilombola
Data do documento: 2015
Citação: BARBOSA, C. L.; PETIT, S. H. (2015)
Resumo: Essa pesquisa trata dos marcadores das africanidades no samba de cacete, do ponto de vista de moradores de um quilombo da região de Cametá, interior do Pará. Escolhi realizar a pesquisa sobre essa temática a partir da convivência com um grupo de pessoas que praticam o samba de cacete, liderado por Dona Iolanda do Pilão. Trago no percurso esse início da investigação que pretendia descobrir como se dá a vivência do samba de cacete para esse grupo. No entanto, por impossibilidade de realizar etnografia, terminei optando por estudar quais os marcadores das africanidades que os quilombolas daquela região apontam espontaneamente através de Vivências Sociopoéticas com el@s e quais os confetos – conceitos metafóricos – que tecem acerca do samba de cacete. Para tanto, efetivei dois momentos: o primeiro aconteceu na escola do quilombo onde juntamos pessoas entre alunos de oitava série com membros da associação comunitária quilombola para oficina sociopoética sobre as africanidades no samba de cacete. Essa Vivência permitiu depreender cinco grandes subtemas relativos a esses marcadores que identificam as africanidades que perpassam o samba de cacete, a saber: as dimensões de tradição oral africana, a prática do cunvidado, forma tradicional de mutirão que está caindo em desuso, elementos sobre o histórico do samba de cacete e sua relação com a história da comunidade quilombola e a dimensão de pertencimento afro, que coloca a problemática em torno do afirmar-se ou não negro/negra quilombola. O segundo momento é a realização de uma intervenção Sociopoética, buscando descobrir com o grupo estudado as possibilidades de apropriação do pertencimento afro através da identificação por eles próprios dos marcadores das africanidades, na expectativa de contribuir na escola quilombola com a implementação da lei 10.639/2003, a partir da exploração do tema gerador samba de cacete.
Descrição: BARBOSA, Carmen Lucia. Corpos no samba de cacete: tamboros, educação e gingas na dança ancestral afrocametaense. 2015. 77f. – Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2015.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17041
Aparece nas coleções:PPGEB - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_dis_clbarbosa.pdf1,99 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.