Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17337
Título: Puig ou o dialogo como forma de discurso
Autor(es): D'ALGE, Carlos
Palavras-chave: Diálogo
Discurso
Literatura
Cem anos de solidão
Data do documento: 1987
Editor: Revista de Letras
Citação: D'ALGE, C. (1987)
Resumo: A presença de Manuel Puig em Fortaleza coincidiu, para· a satisfação dos intelectuais cearenses, com a outorga do Prêmio Nobel de Literatura, de 82, a Gabriel Garcia Márquez. O prêmio, como afirmou o autor de Cem anos de solidão, pertence a todos os escritores da América Latina. É o reconhecimento de uma literatura extremamente rica e mágica que supera a esgotada ficção da velha Europa. Outro aspecto a referir nesta visita de Manuel Puig é o renovado interesse pelo estudo da língua espanhola pelos autores espanhóis e hispano-americanos. Como vimos, estudaram-se na UFC textos de Cervantes, Garcia Lorca, Vargas Liosa e da atual crítica espanhola. Isso muito me alegra, pois a Universidade, inexplicavelmente, há cerca de dezoito anos, fechou os olhos a uma realidade vizinha, restringindo o ensino do espanhol ao nível da extensão. Com o retorno do então professor de espanhol Adolfo Cuadrado Muniz a Madrid, o ensino daquela língua não foi mais ministrado na área de graduação do Universidade. A hoje Casa de Cultura Hispânica viu-se limitada a ensinar espanhol a alunos do 2º grau e a alguns interessados da Universidade, constituindo-se a sua maior clientela de candidatos ao Vestibular...
Descrição: D'ALGE, Carlos. Puig ou o dialogo como forma de discurso. Revista de Letras, Fortaleza, v. 12, n. 1/2, p. 149-153, jan./dez. 1987.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/17337
ISSN: 0101-8051
Aparece nas coleções:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1987_art_cd'alge.pdf684,15 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.