Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3445
Título: Africanidades e Juventudes: Tecendo Confetos numa Pesquisa Sóciopoética
Autor(es): SANTOS, Silvia Maria Vieira dos
Orientador(es): PETIT, Sandra Haydée
Palavras-chave: Educaçao
Africanidades
Juventudes
Sociopoética
Confetos
Ensino de História Africana e Afrodescendente
Educação - Fortaleza(CE) - Influências africanas
Educação multicultural - Fortaleza(CE)
Educação - Fortaleza(CE) - Estudos Interculturais
Negros - Educação - Fortaleza(CE)
Jovens - Educação - Fortaleza(CE)
Pesquisa-ação em educação - Fortaleza(CE)
Africanités
Jeunesses
Sociopoétique
Confect
Enseignement de l´histoire africaine et Afrodescendante
Data do documento: 2011
Editor: http://www.teses.ufc.br
Citação: SANTOS, S. M. V. ; PETIT, S. H. (2011)
Resumo: A sociedade brasileira, racista e colonialista utiliza a educação como um mecanismo de naturalização da cosmovisão eurocêntrica, tratando-a como única possível. Desse modo, a contribuição dos africanos e afrobrasileiros na história do Brasil é invisibilizada. A ausência e as distorções desta história nos levam ao desconhecimento e desvalorização de nossas raízes africanas, contribuindo diretamente para o enraizamento das idéias racistas em nosso país. Em contraposição a esses pensamentos estão as africanidades, elementos e manifestações da diversidade cultural africana ressignificadas na cultura brasileira. Diante deste fato, realizei uma pesquisa sociopoética que teve como objetivo entender que conceitos os jovens teciam sobre as africanidades a partir da realidade na qual estão inseridos. Desta feita, pude constatar que a sociopoética foi potencializadora de uma maior diversidade de conceitos sobre as africanidades, sugerindo algumas alternativas metodológicas para o ensino da história africana e afrobrasileira na escola. Percebi que a ancestralidade estava na experiência daqueles adolescentes e jovens que compartilhavam suas idéias e reflexões acerca das africanidades e que - apesar de apresentarem um conhecimento restrito sobre a África e as culturas afrodescendentes - produziram conceitos bastante diferenciados dos estereótipos comumente veiculados, apresentando até muitos pontos de convergência com as concepções dos estudiosos da área. Para eles as africanidades devem ser apresentadas e vivenciadas na escola a partir de atividades lúdicas que utilizem o corpo em sua integralidade através de apresentações teatrais, danças, semanas culturais e do meio ambiente. E que estas, só serão trabalhadas de fato, quando professores e funcionários forem tolerantes com as religiões de matriz africana e com os/as jovens que as praticam, reconhecendo a importância da cultura africana e afrodescendente como referenciais de brasilidade
Descrição: SANTOS, Silvia Maria Vieira. Africanidades e juventudes: tecendo confetos numa pesquisa sóciopoética. 2011. 152f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira, Fortaleza-CE, 2011.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/3445
Aparece nas coleções:PPGEB - Dissertações defendidas na UFC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_DIS_SMVSANTOS.pdf10,21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.