Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/39594
Title in Portuguese: Rap e identidade cultural: uma análise dos grupos Irmandade Rap Crato e Júnior Baladeira
Author: Batista, Laelba Silva
Advisor(s): Silva, Joselina da
Keywords: Rap
Identidade cultural
Juventudes
Issue Date: 2018
Citation: BATISTA, Laelba Silva. Rap e identidade cultural: uma análise dos grupos Irmandade Rap Crato e Júnior Baladeira. 2018. 96f. - Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em educação, Fortaleza(CE), 2018.
Abstract in Portuguese: Nascido no subúrbio nova-iorquino, o rap é um estilo musical conhecido em todo o mundo. Junto com outros elementos como o break (dança), o MC (Mestre de Cerimônia), o grafite (arte visual) e o DJ (composição sonora), compõe, hoje, o estilo o qual denominamos de hip hop. A partir da junção do DJ com o MC, nasceu o rap, que tem como significado “ritmo e poesia”. Desde o seu surgimento e desenvolvimento, ganhou notoriedade e se difundiu para outros lugares do mundo, tornando-se um símbolo de luta e resistência juvenil. Assim, o rap assume, em cada lugar, características particulares, incorporando as realidades e contornos culturais de cada localidade. Desta forma, objetivamos, com este estudo, compreender a relação entre o rap e a construção da identidade cultural dos jovens dos grupos Irmandade Rap Crato (CE) e Júnior Baladeira (PE). A metodologia adotada respalda-se na pesquisa de abordagem qualitativa, na qual utilizamos as entrevistas semiestruturadas e observação participante, como formas de coleta de informações. Além disso, apoiamos nossa análise em teóricos como Hall (2002), Giddens (2005), Pais (1996), Abramo (1997), Weller (2002), Kellner (2002), dentre outros. Os resultados demonstraram que o rap tem sido um espaço de descobertas e de novas identificações por parte dos integrantes dos grupos Irmandade Rap Crato e Júnior Baladeira. Inclusive, o estilo musical possibilita a esses jovens, não só o entendimento de que a música é uma cultura de resistência, frente ao sistema excludente que esses meninos estão inseridos, mas, sobretudo, tem sido capaz de também promover a construção e reconfiguração de identidades locais, consolidando-se como um espaço de ressignificação da identidade cultural juvenil.
Abstract: Born on the suburbs of New York rap is a musical style well known worldwide. Together with other elements such as break (dance), the MC (master of ceremony), the graffiti (visual art), and the DJ (musical composure) we have what we now days call hip-hop. The fusion of DJ with MC generated the Rap, which means “rhythm and poetry.” Rapidly rap developed and was spread to all the world. It has become a symbol of juvenile resistance and struggles, and in each different place of the world rap presents different characteristics, baring the cultural framework of each location. The primary goal of this work was to understand the relationship between rap and the cultural identity of youngsters from the Irmandade Rap Crato (CE) e Júnior Baladeira (PE). The methodology used is based on a qualitative approach, using semi-structured interviews and participant observation. The analysis of the results was mainly supported by authors like Hall (2002), Giddens (2005), Pais (1996), Abramo (1997), Weller (2002), Kellner (2002), among others. The obtained results indicate that rap has been a proficuous space for discoveries and new identifications by the youngsters from both groups. In this sense, these young people had the chance to realize that they live in a culture of resistance facing an exclusionary system. Additionally, rap promoted the construction of local identities, becoming a space of re-signification of the cultural identity of the young.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/39594
Appears in Collections:PPGEB - Dissertações defendidas na UFC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2018_dis_lsbatista.pdf1,64 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.