Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/51707
Title in Portuguese: A expressão de violência no idiomatismo brasileiro
Author: Martins, Vicente de Paula da Silva
Plantin, Rosemeire Selma Monteiro
Keywords: Fraseologia popular
Violência
Expressão idiomática
Memória episódica
Metáfora
Issue Date: 2012
Publisher: ANTARES: Letras e Humanidades
Citation: MARTINS, Vicente de Paula da Silva; PLANTIN, Rosemeire Selma Monteiro. A expressão de violência no idiomatismo brasileiro. ANTARES: Letras e Humanidades, Caxias do Sul (RS), v. 4, n. 7, p. 143-165, jan./jul. 2012.
Abstract in Portuguese: As crianças, durante o processo de aquisição da linguagem, aprendem e memorizam formas simbólicas de violência através de palavras, frases e fraseologias de sua língua materna. Na fase adulta, recorremos, graças à memória episódica, às expressões idiomáticas em diversos contextos de uso da língua. Como os adultos, então, interpretam as expressões idiomáticas? Que tipo de compreensão as crianças, na primeira infância, têm das expressões idiomáticas do tipo “chutar o pau da barraca”, “entrar no pau”, “meter o pau (em)” e “mostrar com quantos paus se faz uma canoa”? O presente artigo procura responder a estas indagações que inquietam educadores, psicólogos e pais. Dados coletados da fraseologia popular apontam que os significados dados às expressões idiomáticas não são arbitrários, mas têm base metafórica que decorre de esquemas de imagens e movimentos que emergem a partir de nossas experiências corpóreas armazenadas em nossa memória episódica.
Abstract: Children, during the process of language acquisition, learn and memorize symbolic forms of violence through words, phrases and phraseologies from their mother tongue. In the adult phase, we recur thanks to episodic memory, to the idioms in diverse contexts of language use. How do adults, then, interpret idioms? What kind of comprehension do young children have of idioms such as “chutar o pau da barraca”, “entrar no pau”, “meter o pau (em)” e “mostrar com quantos paus se faz uma canoa”? The present article seeks to answer these questions that worry educators, psychologists and parents. Data collected from popular phraseology show that idioms given meanings are not arbitrary, but have metaphorical bases which arise from image schemas and movements that emerge from embodied experiences stored in episodic memory.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/51707
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
ISSN: 1984-4921
Appears in Collections:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012_art_vpsmartinsrsmplantin.pdf412,6 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.