Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/52218
Title in Portuguese: Complexidade da repetição
Title: Complexity of repetition
Author: Lemos, Carolina Lindenberg
Keywords: Semiótica Tensiva
Repetição
Ritmo
Aspecto
Progressão textual
Issue Date: 2019
Publisher: Revista Estudos Semióticos
Citation: LEMOS, Carolina Lindenberg. Complexidade da repetição. Revista Estudos Semióticos, São Paulo (SP), v. 15, edição especial, p. 104–121, abr. 2019.
Abstract in Portuguese: A vastidão da presença da repetição nos textos convida a múltiplas abordagens. Neste artigo, propomos investigar a relação da repetição com a construção da tensão, da espera e, enfim, do ritmo textual. Para tanto, inquirimos sobre seu papel de manifestante de uma estrutura manifestada, que se organiza em torno das noções de aspecto e andamento, configuração que traçamos por meio da investigação de casos extremos: textos impossíveis. Em seguida, na comparação com os mecanismos da isotopia e da explicação, argumentamos por uma diferença de configurações de estilos tensivos, em que a repetição, inicialmente átona e sem direção, passa, num segundo momento, a engendrar pela falta um estilo ascendente de tensão. Por fim, a estrutura discutida é abordada do ponto de vista da globalidade do texto e a repetição é tratada como um fator na construção do regime de evolução do texto, que progride em pequenos círculos localizados, em grandes arcos ou por círculos entrelaçados numa progressão em espiral. O laço entre a falta e a surpresa que a repetição põe em jogo nos textos parece trazer uma solução tensiva à oposição entre a semiótica clássica e a visada inaugurada por Claude Zilberberg.
Abstract: The vast presence of repetition in texts invites multiple approaches. On this article, we investigate the relation of repetition and the construction of tension, expectation, and, finally, a textual rhythm. To do so, we inquire on its role as the manifestation of a manifested structure, which is organized around the notions of aspect and tempo. Such configuration is thus drawn up by means of the investigation of extreme cases: impossible texts. We then compare repetition with the mechanisms behind isotopy and explanation and argue for a difference in the configuration of tensive styles, where repetition, initially lacking stress and direction, later produces an ascending style of tension due to the excessive permanence on the same unstressed state. Finally, the structure under scrutiny is approached from the perspective of the text as a whole and repetition is treated as a factor on the construction of the evolution regime of texts, which is seen as progressing in small, localized circles, in large arches (taking up the whole text), or by intertwining circles in a spiral progression. The bond between what is lacking and what surprises which is brought to light by the inner workings of repetition seems to bring about a tensive solution to the opposition between classical French school semiotics and the point of view inaugurated by Claude Zilberberg.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/52218
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
ISSN: 1980-4016
Appears in Collections:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2019_art_cllemos.pdf183,62 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.