Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16533
Título: O criado mudo: a arqueologia de uma personagem
Autor(es): PORTÁCIO, Denilson Albano
Palavras-chave: Literatura
Pós-modernidade
Romance
Edgar Telles Ribeiro
Personagem
Arqueologia
Data do documento: 1998
Editor: Revista de Letras
Citação: PORTÁCIO, D. A. (1998)
Resumo: Constatou-se, através de uma análise à luz da contemporaneidade, a existência de elementos pós-modernos no romance O Criado Mudo de Edgar Telles Ribeiro. Sobretudo, quando se sabe que a contemporaneide se caracteriza pela multiplicidade de ações, pela indiferença, por um novo imaginário e pela convivência democrática e simultânea de diversas linguagens. O Criado Mudo apresenta uma narrativa em consonância com o nosso tempo. Nele, nada está totalmente pronto, tudo está inacabado e por construir. O leitor, envolvido pelo jogo que aos poucos se revela, torna-se parceiro inseparável desse jogo. São vários os narradores que conduzem a narrativa através do fio da meada que tenta reconstruir a história de Guilhermina, a personagem protagonista. O leitor, envolto numa teia de fios, mergulha juntamente com os narradores na arqueologia dessa personagem. A narrativa fragmentada e a presença de várias vozes para narrarem a história privilegiam o pastiche, conduzindo o enredo como se montasse o roteiro de um filme ou compusesse uma partitura musical, fazendo desse romance, um exercício neobarroco e, logicamente, mais um exemplo de escritura pós-moderna.
Descrição: PORTÁCIO, Denilson Albano. O criado mudo: a arqueologia de uma personagem. Revista de Letras, Fortaleza, v. 20, n. 1/2, p. 23-29, jan./dez. 1998.
URI: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/16533
ISSN: 0101-8051
Aparece nas coleções:DLV - Artigos publicados em revistas científicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
1998_art_daportacio.pdf47,24 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.